O tratamento para a covid-19 pode já existir em medicamentos antigos

Robin Van Lonkhuijsen / EPA

O tratamento para a covid-19 pode já existir em medicamentos antigos usados para outras doenças. Os cientistas estão a usar partes do coronavírus para encontrá-los.

Um pouco por todo o mundo, equipas de investigadores estão já a tentar arranjar uma cura ou um tratamento eficaz contra a covid-19, que já matou mais de 35 mil pessoas em todo o mundo. Até quando para os cientistas encontrarem uma solução para esta pandemia?

O SARS-CoV-2, o coronavírus que causa a doença covid-19, é completamente novo e ataca as células de uma maneira nova. Todos os vírus são diferentes, assim como os medicamentos usados para tratá-los. É por isso que não havia um medicamento pronto para combater o novo coronavírus que surgiu apenas há alguns meses.

Encontrar pontos de vulnerabilidade e desenvolver um medicamento para tratar uma doença geralmente leva anos. Mas o novo coronavírus não está a dar ao mundo esse tipo de tempo. Com a maior parte do mundo bloqueada e a ameaça iminente de milhões de mortes, os investigadores precisam de encontrar um medicamento eficaz muito mais rapidamente.

Diante desta crise, uma equipe de investigadores aqui está a tentar descobrir como o vírus ataca as células. Mas, em vez de tentar criar um novo medicamento, está a verificar se existem hoje medicamentos disponíveis que possam combater o coronavírus. Até agora, identificaram 27 medicamentos aprovados pela FDA, a agência que regulamenta os medicamentos nos Estados Unidos, que esperam restringir e acelerar a investigação.

A equipa de 22 laboratórios está a trabalhar a uma velocidade vertiginosa – literalmente 24 horas por dia e em turnos – sete dias por semana.

Um adversário furtivo

Comparados às células humanas, os vírus são pequenos e não se podem reproduzir por conta própria. O coronavírus possui cerca de 30 proteínas, enquanto uma célula humana possui mais de 20.000.

Para contornar este conjunto limitado de ferramentas, o vírus habilmente vira o corpo humano contra si mesmo. Os caminhos para uma célula humana são normalmente bloqueados para invasores externos, mas o coronavírus usa as suas próprias proteínas como chaves para abrir estes “bloqueios” e entrar nas células.

Uma vez dentro, o vírus liga-se às proteínas que a célula normalmente usa para as suas próprias funções, essencialmente sequestrando a célula e transformando-a numa fábrica de coronavírus. À medida que os recursos e a mecânica das células infetadas são reorganizados para produzir milhares e milhares de vírus, as células começam a morrer.

As células pulmonares são particularmente vulneráveis a isso porque expressam grandes quantidades da proteína “bloqueada” que o SARS-CoV-2 usa para entrar. Um grande número de células pulmonares de uma pessoa a morrer causa os sintomas respiratórios associados à covid-19.

Existem duas maneiras de retaliar. Primeiro, os medicamentos podem atacar as próprias proteínas do vírus, impedindo-as de entrar na célula ou copiar o seu material genético. É assim que funciona o remdesivir, um medicamento atualmente em testes clínicos para a covid-19.

Um problema com essa abordagem é que os vírus mudam com o tempo. No futuro, o coronavírus poderá evoluir de maneira a tornar inútil um medicamento como o remdesivir. Esta corrida armamentista entre medicamentos e vírus é o motivo pelo qual precisamos de uma nova vacina contra a gripe todos os anos.

Como alternativa, um medicamento pode funcionar ao impedir que uma proteína viral interaja com uma proteína humana necessária. Esta abordagem tem uma grande vantagem sobre a desativação do próprio vírus, porque a célula humana não muda tão rapidamente. Depois de encontrar um bom medicamento, ele deve continuar a funcionar. Esta é a abordagem que a equipa de investigadores está a adotar.

Aprender o plano do inimigo

A primeira coisa que os cientistas precisaram de fazer foi identificar todas as partes da fábrica celular nas quais o coronavírus confia para se reproduzir. Era necessário descobrir quais proteínas o vírus estava a sequestrar.

Para fazer isso, os cientistas partiram para uma expedição de pesca molecular dentro das células humanas. Em vez de uma minhoca no anzol, usaram proteínas virais com minúsculas marcadores químicos. Colocaram estas “iscos” nas células humanas cultivadas em laboratório e retiraram para ver o que capturavam. Tudo o que ficasse preso seria uma proteína humana que o vírus sequestra durante a infeção.

No dia 2 de março, os cientistas tinham uma lista parcial das proteínas humanas que o coronavírus precisa para prosperar.

O contra-ataque

Depois de ter essa lista de alvos moleculares com os quais o vírus precisa para sobreviver, os membros da equipa apressaram-se para identificar compostos conhecidos que poderiam ligar-se a esses alvos e impedir que o vírus os usasse para se replicar.

Se um composto puder impedir que o vírus se replique no corpo de uma pessoa, a infeção será travada. Mas não se pode simplesmente interferir com os processos celulares à vontade, sem causar danos ao corpo. A equipa precisava de ter a certeza de que os compostos que identificaram seriam seguros e não tóxicos para as pessoas.

A maneira tradicional de fazer isto envolveria anos de estudos pré-clínicos e ensaios clínicos que custariam milhões de euros. Mas existe uma maneira rápida e basicamente gratuita de contornar isso: olhar para os 20.000 medicamentos aprovados pela FDA que já foram testados com segurança. Talvez haja um medicamento nesta grande lista que possa combater o coronavírus.

Os químicos da equipa usaram um enorme banco de dados para combinar os medicamentos e proteínas aprovados com os quais interagem com as proteínas da lista. Eles encontraram dez medicamentos candidatos. Por exemplo, um é um medicamento contra o cancro chamado JQ1. Embora não se possa prever como este medicamento pode afetar o vírus, ele tem boas chances de fazer alguma coisa. Através de testes, os cientistas vão saber se ajuda os pacientes.

Diante da ameaça de paralisações globais nas fronteiras, enviamos imediatamente caixas desses 10 medicamentos para três dos poucos laboratórios do mundo que trabalham com amostras vivas de coronavírus: dois no Instituto Pasteur, em Paris, e Mount Sinai, em Nova Iorque. A 13 de março, os medicamentos a ser testados nas células para ver se impediam a reprodução do vírus.

Envio para o campo de batalha

Brevemente, a equipa saberá se algum desses 10 primeiros medicamentos funciona contra infeções por SARS-CoV-2. Enquanto isso, a equipa continua a pescar com iscos virais. Até agora, encontraram 332 proteínas humanas que o coronavírus escolhe e existem medicamentos que interagem com 66 dessas proteínas.

Os resultados do estou foram publicados, na semana passada, na base de dados científica bioRxiv, na esperança de que laboratórios ao redor do mundo possam começar a testar esses medicamentos e encontrar um tratamento o mais rápido possível.

A boa notícia é que, até agora, a equipa encontrou 69 medicamentos existentes que ligam as proteínas humanas identificadas: 27 deles são aprovados pela FDA e 42 estão em ensaios clínicos ou pré-clínicos.

Este grande número deixa os cientistas esperançosos de que se possa encontrar um medicamento para tratar a covid-19. Caso um medicamento aprovado que até diminua a progressão do vírus seja encontrado, os médicos deverão poder levá-lo aos pacientes rapidamente e salvar vidas.

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Aqui está uma boa oportunidade para os senhores do mundo meditarem um pouco, porem de parte o investimento em armamento e investir na saúde, pois outros desafios dolorosos hão-de chegar de novo e é necessário estar-se preparado.
    Entretanto também os senhores chinocas e outros poderão comer menos merd@ controlar mais a natalidade e pôr menos em risco quem nada tem a ver com as porcarias que fazem, se é que não foi ainda mais criminoso do que isto!

  2. É característico do ser humano andar atrás do prejuízo, ‘mas’, nestes tempos de crise que ainda se vai tornar mais grave o essencial é salvar vidas e resistir positivamente. Recordo uma canção em de língua inglesa que em português será: ‘há tempo para todas as coisa tempo para cada coisa…’ e este tempo é para salvar vidas e sobreviver e ajudar a sobreviver e não para apontar o dedo ou desestabilizar, lá chegará o tempo para tal, manter a serenidade e a cabeça fria é meia cura portanto deixem de nacionalismos e populismos e xenofobias sem perder noção da Pátria. Sendo correcto que é tempo de ‘transferir’ o orçamento Militar para o orçamento do capital Humano é fundamental despoluir para aumentar o nível de saúde do Planeta Terra para que a espécie humana possa viver mais saudável e abrandar nos ritmos gerais excepto naqueles que bloqueiem novas pragas de se revelarem tal como deve acontecer com o degelo nas mais altas montanhas do planeta. Afinal passamos o século e o milénio Vamos ultrapassar o SARS-COV-2 e esta informação do artigo é um grande indicio dessa esperança se tornar realidade.

  3. Parem, Pensem, usem a inteligência, esqueçam os dólares ou euros ou libras….
    Temos de ser todos UNIDOS, os laboratórios, não podem estar á lutar cada um por si….
    Não há prémios NOBEL, nem Triliões de Dólares que sirvam se virem a humanidade reduzida a Cinzas, a vossas Famílias destruídas.
    Sr. Cientistas e Laboratórios Mundiais, de-em as Mãos, unam-se TODOS, contra um único inimigo.
    CORONAVIRUS, COVID19.
    Sejam-mos HUMANOS, pelo menos esta vez.
    O meu Obrigado.
    Eliseu b. Vinagre. – “Portugal”

  4. https://sos-riotejo.blogspot.com/…/pandemia-covid-19…
    Covid-19, a questão da vacina que é o ponto fulcral, a minha análise pela negativa, pois estou muito pessimista. Já agora teremos dois anos de isolamento pela frente e correndo tudo bem. As autoridades ainda não estão a assumir isso para não assustarem as pessoas. Vejo comentários a dizerem que em Maio ou Junho ficará tudo bem! Infelizmente tal não irá acontecer. O sonho da humanidade é que a vacina seja descoberta antes do fim deste ano, mas depois teremos a construção de fábricas/laboratórios gigantes para fabricar a vacina, depois o fabrico em massa da mesma, depois a distribuição à escala global, depois a vacinação massiva da população-e esgotam-se os dois anos!. Outro sonho é que já exista um medicamento ligado a outras doenças e que funcione neste covid-19. Oxalá que o conseguissem. No caso deste vírus toda a população planetária terá de ser vacinada, pois não adianta deixar focos para trás.Preparem-se e protejam-se embora 70% de nós ficaremos infectados.

  5. Porque não vão falar com os gajos que desenvolveram o SARS-CoV-2 e, os “convidam” a partilhar a cura que desenvolveram em paralelo? Era bem mais simples.

    E não venham com teorias que não se sabe quem desenvolveu este CV, pois os Serviços de Inteligência internacionais, especialmente os Americanos, Israelitas, Ingleses, sabem bem onde encontrar esses pcicopatas assassinos. Não o fazem porque certamente estão feitos com eles.

    Para já a malta vai sendo entretida com estórias de morcegos contadas na hora do jantar.

    Entretanto em breve aparecerá a miraculosa vacina, que será mandatória e, que incluirá sabe-se lá o quê; mas isso não interessa nada, pois o que conta é continuar a enriquecer as farmacêuticas e os seus donos, que por mero acaso, são também os donos dos bancos, dos media e, de quem move realmente os cordelinhos de todos os governos.

    Só merda.

    Vamos rumo à III Guerra Mundial a todo o gás!!!

    • Jorge fidalgo Pois pode estar aqui uma solução
      para ajudar combater sintomas do covid , mas apoios e solução de quem pode tomar decisões em portugal ainda nada !!!! Estou a ser criticado e mal tratado denunciado difamado investigado … por pedir a todas as autoridades de saude infarmed dgs hospitais onde enviei mail cartas registadas que ja me responderam e estou em contacto para que analisem o meu pedido ja a 7 meses … mas ate agora nada de avançar … imploro que analisem o produto e que testem … o que eu acredito que vai ajudar rapidamente pessoas infetadas covid melhorando sintomas baseio-me em factos e evidencias , eu não afirmo nada não digo que curo ! nem posso dizer isso apenas quero dar o meu contributo para ajudar a sairmos desta pandemia nada mais !! Sou um ser humano que mereço respeito e que seja reconhecido pela minha boa ação e iniciativa !!! obrigado pelo apoio de milhares de pessoas maravilhosas ! por favor não me confundam eu acredito -reforço – Quero apenas que testem e se certifiquem se este tratamento e eficaz ou não !!

RESPONDER

Professores "desenrolam" queixas em frente do parlamento (e pedem saída do ministro)

Dirigentes da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) colocaram esta quinta-feira grandes faixas com reivindicações junto da Assembleia da República e criticaram o ministro da Educação, que tem que “ir embora”. “Quem não sabe ter uma atitude …

Iniciativa Liberal quer retirar "carga ideológica" da Constituição

A Iniciativa Liberal vai apresentar um projeto de revisão constitucional com uma primeira parte dedicada a retirar "carga ideológica à Constituição", clarificando, por exemplo, que serviços públicos de saúde e educação podem ser prestados pelo …

Urgência do Hospital Santa Maria está a chegar ao limite

A urgência dedicada aos casos suspeitos de covid-19 do Hospital Santa Maria, em Lisboa, reflete a evolução da pandemia em Portugal com doentes a avolumarem-se à porta para realizar o teste e no interior a …

Novo Banco. BCP garante que não faz "favores a ninguém" ao emprestar dinheiro ao Fundo de Resolução

O presidente executivo do BCP, Miguel Maya, disse ontem que o banco não faz "favores a ninguém" ao entrar no empréstimo de 275 milhões de euros da banca ao Fundo de Resolução, que posteriormente financiará …

Máfia italiana "lavou" milhões de euros ganhos com fundos europeus na Madeira

Uma das mais violentas máfias de Itália, a Società Foggiana, utilizou a Madeira para branquear mais de 16 milhões de euros obtidos com um esquema de burla à União Europeia (UE). Em causa estão fundos comunitários …

Ajudas de custo para professores deslocados ficaram na gaveta (e não estão previstas no OE2021)

O Orçamento de Estado para 2020 (OE2020) previa um programa de ajudas de custo para professores deslocados como incentivo à fixação. No entanto, a medida não avançou. O Jornal de Notícias avança esta sexta-feira que a …

Biden ainda à frente, mas nada está perdido para Trump. A luta pelos "swing states" continua

O dia em que os norte-americanos vão saber quem é o próximo presidente dos EUA está muito próximo. Entres sondagens, parece fácil levantar a ponta do véu. No entanto, é importante não esquecer que não …

Nani entre os candidatos a melhor jogador da época na MLS

O internacional português, capitão dos Orlando City, está entre os 46 jogadores nomeados para o prémio de melhor da época na liga norte-americana de futebol (MLS), anunciou, esta quinta-feira, o organismo. A eleição decorre até 9 …

"Estranho, muito estranho". Ana Gomes comenta morte do marido de Isabel dos Santos e é criticada

O empresário congolês Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos, morreu no Dubai, durante a prática de mergulho. Uma morte prematura aos 48 anos que leva Ana Gomes a comentar o assunto como "estranho", "muito …

Conselho Europeu. Vacinas distribuídas de forma justa e fronteiras não vão fechar

O presidente do Conselho Europeu garantiu, esta quinta-feira, no final de uma videoconferência entre os líderes da União Europeia, que os 27 estão "unidos" para enfrentar a "luta difícil" contra a segunda vaga da covid-19. "A …