//

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

4

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%.

Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos, rotulou o novo coronavírus como “vírus chinês”, mas parece que não está sozinho nesta estigmatização.

A pandemia de Covid-19, que surgiu em território chinês, levou milhares de internautas a insultar o país asiático e os seus cidadãos com insultos racistas. Um relatório da L1ght, uma empresa especializada em medir a toxicidade das plataformas digitais, sugere que houve um crescimento de 900% no discurso de ódio contra a China no Twitter.

“As pessoas estão a passar mais tempo online e, portanto, estão a ser expostas a cada vez mais discursos de ódio. Os instigadores de ódio estão, provavelmente, a usar o clima de incerteza e tensão para incentivar comportamentos discriminatórios“, refere a empresa.

“De acordo com os nossos dados, o abuso racista está a ter como alvo os asiáticos. Os tweets tóxicos estão a usar linguagem tóxica para acusar os asiáticos de transportarem o coronavírus e de o disseminarem”, lê-se no relatório, citado pelo The Next Web.

Segundo a empresa, a acompanhar o discurso de ódio, surgem também um conjunto de hashtags para criar o efeito de discriminação, como #Chinavirus ou #Kungflu.

Ainda assim, o relatório destaca que a discriminação não acontece apenas nas redes sociais. Vários asiáticos-americanos estão a enfrentar racismo nas ruas: em São Francisco, nos Estados Unidos, foram relatados mais de 1.000 casos de xenofobia entre 28 de janeiro e 24 de fevereiro, e o Reino Unido também registou vários casos de crime de ódio nas últimas semanas.

Se, por um lado, o mundo une-se para combater a atual pandemia de Covid-19, também há um ódio crescente pelas comunidades asiáticas a formar-se quer online, quer offline.

  ZAP //

4 Comments

  1. a culpa nao é da populaçao mas sim do presidente pois sabia do virus e escondeu do mundo, ele é que deixou a populaçao viajar pelo pais e pelo mundo
    se o presidente tomasse logo medidas, com certeza o virus nao teria infectado tanta gente
    se o governo chines escondeu o virus do mundo, tambem é possivel que esconda os nºs reais de casos e de mortes. nao acredito nos nºs tao baixos de vitimas

  2. a culpa morre solteira. será que quem culpa os chineses são os mesmo que ncompram imensas coisas feitas na China para onde os industriais ocidentais em buscas de regras menos apertadas sobre o trabalho e poluição? não foram os chinese nem a china que obrigou os ocidentais a irem para a China fabricar !!!
    sera que Dr.Franis Boyle tem razão e o virus começou a ser desenvolvido nos EUA e no Canada? por agora nem interessa levantar a lebre com o isolamento social nem podemos protestar e agora o mais importante é salvar vidas tal como no 11 de Setembro se lerem o que dizem os bombeiros lá do sitio !!!
    O mais importante é salvar vidas de qualquer idade e isolar os nacionalistas e populistas mantendo o patriotismo e cooperando Vencer a epedemia e+e cooperar é ficar em casa é isolar os xenofobos.

  3. Tenho a certeza que não é contra os chineses, mas sim contra o governo chines e quem os apoia.
    Este tipo de jornalismo de esquerda é que são o cancro, deviam era ter vergonha e verem o mal que o regime chinês já fez incluindo alguns cidadãos chineses cegamente fiéis ao regime continuam a fazer danos nos países ocidentais.
    Se vocês pensam que a súbita escassez de material médico é por acaso estão enganados. E o governo chinês(já nem digo china por causa dos eternamente ofendidos), tem lançado uma campanha de desinformação pelo mundo fora direcionado à imprensa internacional. Mas quem os apanhou na curva foi os Australianos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.