Coronavírus: gémeos mais famosos de França morreram no espaço de seis dias

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Igor Bogdanoff e Grichka Bogdanoff faleceram praticamente na mesma semana. Nenhum tinha sido vacinado.

Igor Bogdanoff e Grichka Bogdanoff, dois irmãos gémeos que se tornaram muito populares na televisão francesa, morreram. E os falecimentos ocorreram em menos de uma semana.

Na noite desta segunda-feira foi confirmada a morte de Igor Bogdanoff. Na terça-feira da semana passada tinha morrido o seu irmão Grichka Bogdanoff. Ambos morreram infectados pelo coronavírus e ambos não estavam vacinados.

Quem afirmou que os irmãos Bogdanoff tinham optado por não tomarem qualquer vacina contra a COVID-19 foi Luc Ferry, amigo da família. O filósofo e antigo ministro da Educação contou na semana passada, após a morte de Grichka, que tentou convencer os irmãos “inúmeras vezes” mas ambos sempre recusaram a vacina.

“Eles argumentavam sempre que eram pessoas muito ligadas ao desporto, sem qualquer grama de gordura. O Grichka não era anti-vacina. Ele era anti-vacina no caso dele, só para ele próprio”, disse Luc Ferry.

Igor Bogdanoff e Grichka Bogdanoff começaram a ser famosos em França na década 1980, através de um programa televisivo dedicado à Ciência. O programa chamava-se Temps X e era transmitido pelo canal TF1. Também escreveram sobre Ciência, mais tarde; artigos polémicos, por vezes.

Mas tornaram-se ainda mais famosos por causa de alegadas cirurgias plásticas. Os irmãos sempre negaram terem optado por cirurgias plásticas, assegurando que as (bem) visíveis alterações nos seus rostos foram consequência de “experiências”.

“Estamos orgulhosos de ter caras de extraterrestres”, comentaram ambos, em 2010.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.