Sem ganho económico e muitas mortes. O que dizem os dados da controversa estratégia sueca

A estratégia relaxada da Suécia contra a covid-19 gerou várias críticas. Os números mostram que tanto a nível sanitário como económico, o país saiu a perder.

O Governo sueco não impôs um confinamento à população e, em vez disso, apelou às pessoas para que aplicassem o distanciamento social. Ainda que tenham sido proibidos ajuntamentos com mais do que 50 pessoas, restaurantes, bares, ginásios, lojas e cabeleireiros mantiveram-se abertos.

A Suécia conta com quase 75 mil casos confirmados de covid-19 e cerca de 5.500 mortes. A abordagem relaxada da nação nórdica à pandemia levou a muitas críticas de quem considerava a estratégia um fiasco sanitário.

Olhando para os números, é possível concluir que a estratégia sueca contra a covid-19, para além de ter levado a um maior número de mortes, não resultou em ganho económico, como muitos pensavam.

Este mês, o banco central da Suécia previu que o PIB do país caísse 4,5% este ano, contrastando com a previsão anterior de que o PIB aumentaria 1,3%. Além disso, a taxa de desemprego na Suécia aumentou de 7,1% em março para 9% em maio.

“Eles não ganharam literalmente nada”, disse Jacob F. Kirkegaard, do Instituto Peterson de Economia Internacional, em Washington, em declarações ao The New York Times. “É um ferimento autoinflingido e eles não têm ganhos económicos”.

Também a taxa de mortalidade pelo novo coronavírus está entre as mais altas do mundo, escreve o Business Insider. A Suécia tem mais mortes por milhão de pessoas do que os Estados Unidos, Brasil, Índia e Rússia.

A opinião do primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, diverge desta visão. O político entende que a estratégia tem como base o “senso comum” que terá permitido ao país manter o status quo. Apesar das críticas que recebeu devido à elevada taxa de mortalidade no país, Lofven quer manter a estratégia inicial que defendeu ser “a certa”.

O epidemiologista Anders Tegnell, que aconselhou o Governo, admitiu erros, dizendo que havia margem para melhorar o desempenho do país e que a taxa de mortalidade é muito elevada. Outros especialistas sugerem que o plano de ação delimitado pode não ter sido o mais inteligente.

Por sua vez, a antiga epidemiologista estatal sueca Annika Linde disse que o país deveria saber que estava despreparado para lidar desta forma com a pandemia. “Um confinamento poderia ter-nos dado a hipótese de nos prepararmos, pensarmos e desacelerarmos radicalmente a propagação da infeção”, disse a especialista ao jornal Dagens Nyheter.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Sporting 2 - 1 Braga | Leão entra em 2021/22 a rugir

O Sporting parece querer manter a senda de sucesso da época passada e entrou em 2021/22 com o pé direito. Os “leões” bateram o Sporting de Braga por 2-1, num jogo que valeu, sobretudo, pela primeira …

Ensinar crianças a dizer palavrões? Uma cientista acha que é boa ideia

A auto-intitulada "cientista dos palavrões" acredita que ensinar as crianças a usá-los de forma eficiente ajuda os mais novos a perceber como este palavreado afecta outras pessoas. Já se sabia que dizer palavrões é um sinal …

Fósseis misteriosos podem ser uma das provas mais antigas de vida animal na Terra

Elizabeth Turner, cientista numa universidade do Canadá, poderá ter encontrado a prova mais antiga de vida animal na Terra. Uma cientista encontrou possíveis sinais de vida animal multicelular em restos de recifes microbianos de há 890 …

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …

Todos os anos, esta cidade italiana entrega sal ao Papa em mãos

O Sal de Cervia, também conhecido como "sal do Papa", é-lhe entregue todos os anos em mãos. A tradição sofreu algumas interrupções até ter sido recuperada pelo Bispo Mario Marini, que serviu no Pontificado de …

A colisão secreta entre navios soviéticos e britânicos podia ter tido um desfecho drástico

Colisão aconteceu durante um dos períodos mais quentes da Guerra Fria e foi camuflado pela marinha britânica, que tratou de fazer regressar a sua embarcação à base de Devonport durante a noite para evitar dar …

Esta garrafa de tequila demorou seis anos para ser desenvolvida (e contém ouro)

A Clase Azul Spirits é uma empresa que comercializa tequila e está a preparar uma edição limitada para homenagear o legado artesanal do México - de onde a bebida é originária. A 2 de agosto, a …

Covid-19. Milhares de franceses protestam contra passe sanitário

Milhares de pessoas concentraram-se este sábado em Paris para protestar contra o passe sanitário — certificado de vacinação contra a covid-19 que passa a ser obrigatório para entrar em vários locais —, tendo a polícia …

"Toque de Midas" científico. Químicos transformam água purificada em metal dourado

Esta nova descoberta ajuda a entender o estado de transição da água e pode vir a ser importante no estudo de planetas como Neptuno ou Urano. Numa experiência alucinante, cientistas conseguiram transformar água purificada num metal …