Falha numa folha de Excel pode ter levado a mais de 1.500 mortes no Reino Unido

Angelo Carconi / EPA

Um erro numa folha de Excel que eliminou quase 16 mil casos de covid-19 das estatísticas do Reino Unido pode ter levado a mais de 1.500 mortes evitáveis, de acordo com um artigo da Warwick University.

Os casos que foram removidos do registo devido ao erro na folha de cálculo não foram encaminhados para a operação de teste e rastreamento do NHS (Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido), o que significa que as pessoas que foram expostas à covid-19 não souberam que precisavam de se isolar.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, uma análise dos dados sugere que essas referências perdidas estão associadas a mais de 125 mil infecções e 1.500 mortes por covid-19.

Thiemo Fetzer e Thomas Graeber, economistas da Warwick University, descobriram o efeito graças a uma anomalia estatística nos dados. Diferentes partes da Inglaterra foram afetadas pelo erro em diferentes graus – e o número de casos perdidos é suficientementealeatório para tratar o erro como uma “quase-experiência”.

Isto significa que o resultado pode ser analisado como se algumas áreas tivessem sido atribuídas aleatoriamente ao rastreamento de contato menos eficaz, com outras a agir como um grupo de controle. Ao comparar os dois grupos, o artigo estima a eficácia do rastreamento de contatos para salvar vidas e quantas vidas podem ter sido perdidas devido ao erro.

“A falha específica de rastreamento de contacto oportuno devido à falha de dados está associada a algo entre 126.836 (22,5% de todos os casos no período pós-tratamento em consideração) e 185.188 (32,8%) casos adicionais e com entre 1.521 (30,6% de todas as mortes) e 2.049 (41,2%) mortes adicionais relacionadas com covid-19”.

Os investigadores “aconselham cautela contra considerar esses tamanhos de efeito pelo valor de face” devido à estrutura complexa da pandemia.

“A boa notícia – se os autores estiverem corretos de que este foi um evento puramente aleatório – o rastreamento de contacto realmente funciona e é de vital importância para impedir a propagação do vírus. A má notícia – este único erro pode ter matado indiretamente cerca de 1.500 pessoas e, implicitamente, atrasos do governo e falhas no rastreamento de contactos podem ser responsáveis ​​por muito mais mortes”, disse Jonathan Portes, professor de economia na King’s College London.

Por outro lado, a Public Health England contestou as descobertas. Isabel Oliver, diretora do Serviço Nacional de Infecção de Saúde Pública da Inglaterra, disse que “estas estimativas são enganosas. Não é apropriado concluir que um aumento de casos e mortes na época foi causado por este problema e os próprios autores aceitam que há pouca confiança nas suas conclusões”.

“Cada pessoa recebeu o resultado do teste como faria em qualquer outro momento, juntamente com o conselho para se isolar. A orientação nacional afirma que as pessoas com sintomas e as suas famílias devem isolar-se imediatamente. Em termos práticos, sabemos que a maioria dos contactos próximos são contatos domésticos, portanto, deveriam estar cientes da sua necessidade de se isolar”, continuou Oliver.

Além disso, acrescentou a responsável, “a maioria dos casos afetados por esse problema também foram detetados por contacto em cinco dias, o que significa que é improvável que o atraso tenha levado os seus contactos próximos a transmitirem o vírus sem saber, dados os períodos de incubação típicos.”

Em outubro, o SNS britânico usou o Microsoft Excel para contabilizar os casos de covid-19 no país. Isso levou a um erro que deixou passar ao lado cerca de 16 mil infeções.

  ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Péssimo título, quem falhou foi quem fez a programação da planilha eletrônica ou a inserção dos dados, não deve ter sido uma falha do Excel. O título induz o leitor ao erro.

  2. À primeira vista pensa-se: Mas que raio tem o Excel a ver com isto?
    É que os programas informáticos não erram. Quem erram são os operadores ao introduzir e, como parece ter sido o caso, ao compilar e tratar a informação. Que, mandam as boas regras, deve ter um backup até ao fim do processo.

  3. Agora decidiram dar nome ao velho “problema informático”, que é a desculpa do costume para os erros humanos cometidos por quem usa mal o computador!
    Isto seria motivo de riso não fosse a tragédia causada pela enorme quantidade de pessoas que mal sabem usar os computadores pelas quais são responsáveis no seu posto de trabalho, que em muitos casos são o motivo de grandes atrasos e erros sistemáticos em vários serviços públicos que até estão bem equipados informaticamente.

  4. O erro foi não implementarem um sistema de informação de gestão dessa informação. A falta de investimento e de visão da entidade que gere essa informação resultou neste problema. É preciso muita falta de ética para culpar um programa de produtividade generalista.

  5. Para os que se questionam: sim, o problema foi uma limitação do Excel e ao mesmo tempo um erro do utilizador.
    https://www.theguardian.com/politics/2020/oct/05/how-excel-may-have-caused-loss-of-16000-covid-tests-in-england
    Há um limite de 1 milhão de linhas no excel, logo todos os novos dados inseridos pelos laboratórios de testes acima desses valores não foram contabilizados. Não sei se será bem um problema de design do programa ou de má utilização porque o utilizador desconhecia esta limitação.

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …