O vírus parecia controlado, mas Singapura deu um passo em falso

How Hwee Young / EPA

Singapura foi um exemplo no combate ao novo coronavírus. Ainda o surto não tinha nome de covid-19 e o país já tinha agido, mas bastaram três semanas para tudo mudar.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) teceu largos elogios a Singapura, que se tornou uma lição para todo o mundo no controlo do novo coronavírus. Agora, volta a sê-lo, mas não por bons motivos.

No dia 23 de janeiro, um turista chinês, vindo de Wuhan, pisou o solo de Singapura e o país não hesitou em agir. Perante a primeira ameaça do surto, que na altura ainda nem tinha sido batizado de covid-19, o Governo arregaçou as mangas e lançou uma campanha de testes, cujo objetivo era localizar os casos de infeção para, depois, os isolar.

No mês seguinte, os voos provenientes da China foram cancelados e a quarentena de 14 dias foi imposta a todos os turistas que quisessem entrar em Singapura.

A postura ágil e rápida do país, que em muito se deveu à experiência sombria da SARS, mereceu as atenções de todo o mundo e os elogios recaíam sobre Singapura sem precedentes, que rapidamente se tornou um caso de sucesso e um bom exemplo de governação.

Singapura parecia ter comprado um bilhete para o comboio do sucesso, e trilhava caminhos sinuosos mas frutíferos. Até ter descarrilado.

No primeiro dia de abril, o país somava 1.000 casos de infeção e três óbitos por covid-19, mas 19 dias depois os números tomaram outras proporções: esta segunda-feira, Singapura anunciou um número recorde de mais de 1.400 novos casos em 24 horas. Soma, agora, um total de 8.014 e o número de mortes subiu de três para 11.

Segundo o Observador, este país asiático deu um passo em falso. Depois de isolar os casos confirmados, Singapura recebeu vários habitantes de outros países que demoraram a tomar medidas preventivas e a economia que prosperava encheu-se de trabalhadores imigrantes, provenientes de países asiáticos pobres.

A somar a estes fatores, o facto de este vírus ser completamente desconhecido e ter mostrado um potencial de contágio muito mais forte do que se esperava, com doentes assintomáticos a disseminar o vírus.

Este fim de semana, o primeiro-ministro, Lee Hsien Loong, alertou que o número de trabalhadores imigrantes infetados pelo novo vírus aumentará drasticamente à medida que as campanhas de teste forem realizadas nas casas ou alojamentos lotados onde os trabalhadores imigrantes vivem, geralmente em condições insalubres.

Estas habitações não permitem a distância física necessária para conter a contaminação. Para reduzir este problema, foi criada uma equipa de resposta para transferir alguns trabalhadores para acomodações alternativas durante este período.

“Se tivéssemos sabido da rapidez de propagação do vírus, tínhamos feito as coisas de outra forma”, admitiu Lawrence Wong, ministro do Desenvolvimento Nacional.

A curva que Singapura conseguiu manter plana começou a crescer nos primeiros dias do mês. Agora, à semelhança do resto do mundo, a cidade-estado fecha-se em si mesma (novamente) e procura uma resposta para combater esta pandemia.

O exemplo feliz de Singapura deu esperança aos Estados Unidos e à Europa. Agora, a infelicidade traz consigo uma pergunta: será cedo demais para voltar à normalidade? Singapura acha que sim.

LM, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Coreia do Norte efetua teste com "novo míssil de longo alcance”. É uma "ameaça" à comunidade internacional

A Coreia do Norte efetuou com sucesso um teste com um novo “míssil de cruzeiro de longo alcance” durante este fim de semana, anunciou este domingo a agência oficial KCNA. Os disparos do teste, efetuado no …

Mulher de Ricardo Salgado já não vai ser ouvida como testemunha

A mulher do ex-banqueiro, Maria João Salgado, foi dispensada pela defesa de ser ouvida como testemunha. Padre da capela da família foi chamado, mas não apareceu no tribunal. Maria João Salgado, que deveria ser ouvida esta …

Marques Mendes defende expulsão de juiz negacionista da magistratura

Comentador avaliou negativamente o desempenho de Carlos Moedas nos debates com Fernando Media, elogiou António Costa, recomendou o uso de máscara na rua apesar do fim da obrigatoriedade e atirou-se ao lóbi das farmacêuticas. No seu …

Um Mundial a cada dois anos? Entre várias críticas, há quem o defenda com unhas e dentes

Um Mundial a cada dois anos e a concentração dos jogos internacionais em um ou dois períodos por ano? As opiniões dividem-se. Ultimamente tem-se discutido a possibilidade de mudar a periodicidade da realização do Campeonato do …

Hospital de Santa Maria está a realizar cirurgia inovadora no combate à obesidade

O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, está a realizar uma nova cirurgia à obesidade que não implica incisões e requer menos tempo de internamento. Inovadora e revolucionária, a cirurgia realizada no Hospital de Santa Maria …

Premier League: ninguém vê pela TV os jogos das 15h. Porquê?

Se estiver a passar na televisão um Manchester United-Liverpool, as equipas mais pequenas terão as bancadas vazias. O argumento foi apresentado pelo presidente do Burnley, há mais de 50 anos. E a regra mantém-se. O assunto …

Alunos regressam às aulas — e professores já têm greve marcada para os primeiros dias

Cerca de 1,2 milhões de alunos do ensino obrigatório começam esta semana as aulas, que arrancam com uma greve anunciada num ano marcado pelo início do plano de recuperação de aprendizagens ainda em ambiente de …

Sporting atira-se ao VAR e reclama dois penáltis e uma expulsão

O Sporting contestou a atuação do VAR do encontro frente ao FC Porto, João Pinheiro. Em causa estão dois penáltis por assinalar e um cartão vermelho por mostrar. Rúben Amorim já só pensa no próximo jogo …

Exclusividade dos médicos ao SNS "nunca irá passar do papel", diz ex-ministro da Saúde

O antigo ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes considera que a questão da exclusividade dos médicos ao SNS "nunca irá passar do papel". Em contexto da pandemia de covid-19, a saúde tem sido um tema bastante …

Rosto de Neandertal que viveu há mais de 50 mil anos foi reconstruído (e pode ser visto ao vivo)

Krijn, o primeiro Neandertal encontrado na Holanda, ganhou agora uma nova vida, depois de uma equipa ter reconstruído o seu rosto. Em 2009, o Museu Nacional de Antiguidades da Holanda apresentou um fragmento de crânio do …