Grande parte dos hospitais de campanha ficaram vazios

José Coelho / Lusa

A maioria dos hospitais de campanha montados para ajudar no combate à pandemia de covid-19 estão agora vazios. A evolução favorável no número de infetados pelo novo coronavírus levou a que grande parte destas estruturas não chegasse sequer a ser utilizada.

É esse o caso em Lisboa, onde três pavilhões do Estádio Universitário foram transformados em hospitais de campanha no final de março. Embora tivessem capacidade para 500 camas, acabaram por nunca ser utilizados, escreve o jornal Público esta sexta-feira. “Não está a funcionar, a evolução da pandemia não colocou essa necessidade“, confirma fonte do Hospital de Santa Maria.

No Pavilhão Rosa Mota, no Porto, que também foi transformado num hospital de campanha, foram tratadas 27 pessoas com covid-19. Esta sexta-feira é a data esperada para que o último paciente tenha alta médica e, por isso, a data em que a Câmara do Porto planeia desativar a estrutura com capacidade para 320 camas.

Ainda assim, tanto no Porto como em Lisboa, a ideia é manter os hospitais de retaguarda, por enquanto, caso aconteça a tão falada segunda vaga de infeções.

Por sua vez, em Ovar, o hospital de campanha no pavilhão Arena Dolce Vita está a funcionar como uma extensão do Hospital Francisco Zagalo. Importante lembrar que o concelho esteve em cerca sanitária com um surto de casos que, no seu pico, levou a que um terço da lotação da estrutura tivesse ocupada.

No Algarve, o hospital de campanha também continua em stand by. “O hospital está operacional, só que não chegou a entrar em funcionamento. Sempre que há uma situação de catástrofe, há dois hospitais de campanha que têm de ser montados no Algarve, aqui e em Faro, por isso ele está pronto, todo equipado, foram até compradas camas articuladas”, explica fonte da Câmara de Portimão ao Público.

O presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves, admite que as imagens que chegavam a Portugal dos hospitais de Espanha e Itália, lotados e sem capacidade de resposta, tiveram uma forte influência na decisão de avançar para um hospital de campanha.

“Vimos como, no caso dos incêndios de Pedrógão Grande se falhou ao nível da prevenção. Desta vez, fizemos tudo para que não houvesse uma falha dessas. Foi um excesso? Acho que não, nunca é em excesso quando falamos de Proteção Civil. Percebemos todos o quanto é importante, ao nível da Proteção Civil, termos planos aprovados e cumpri-los. Melhor termos excesso do que falhas”, explicou o autarca.

Há outros casos, como em Coimbra, em que se optou por não montar um hospital de retaguarda. “Não houve essa necessidade. Tínhamos o Hospital dos Covões com reforço de camas para dar resposta à covid-19″, salienta o assessor de imprensa da câmara.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Tão lentamente quanto humanamente possível". Site simula como era usar a Internet nos anos 90

Se é jovem e gostaria de experimentar as velocidades lentas da Internet dos anos 90, está com sorte. Um novo site simula a experiência dolorosa à qual já não estamos habituados com as redes atuais. Nos …

Novembro vai ser “muito duro e muito exigente” (e fechar escolas seria uma "grande falta de respeito")

O primeiro-ministro, António Costa, avisou hoje que “convém não criar falsas expectativas”, porque novembro vai ser “muito duro e muito exigente”, sendo maior a probabilidade de, daqui a 15 dias, acrescentar mais concelhos à lista …

O Torsus Praetorian é o autocarro mais radical de sempre (e não permite faltas à escola)

Cheias, árvores caídas ou tempestades. Há muitas razões para faltar à escola ou, neste caso, haviam. É que a Torsus lançou um novo autocarro capaz de enfrentar todos os obstáculos e transportar as crianças até …

Spot, o cão-robô, visitou Chernobyl (e analisou os seus níveis de radiação)

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Bristol visitou a Central Nuclear de Chernobyl na semana passada para testar Spot, um robô de quatro patas feito pela empresa norte-americana Boston Dynamics. O Spot é o robô …

Sangue de porco é mais proteico do que qualquer proteína do mercado (e pode ser consumido em smoothies)

Uma equipa de investigadores do departamento de ciência alimentar da Universidade de Copenhaga desenvolveu um método para extrair proteínas do sangue de porco. O resultado é um pó fino, branco, com sabor neutro e com …

Costa anuncia cinco medidas restritivas para 121 concelhos "de elevado risco" e reforços da capacidade de resposta

Após um Conselho de Ministros extraordinário que durou mais de 8 horas, o primeiro-ministro anunciou este sábado novas "medidas imediatas" de combate à pandemia de covid-19. Concelhos "de elevado risco" estão sujeitos a medidas restritivas, …

Escola na China transformou-se num "edifício andante" para evitar a demolição

Os residentes da cidade chinesa de Xangai que, no início deste mês, passaram pelo distrito de Huangpu podem ter encontrado uma visão incomum: um "edifício andante". De acordo com a cadeia de televisão CNN, uma escola primária …

Joke Boon, a chef holandesa que não tem olfato nem paladar

Joke Boon perdeu o paladar e o olfato quando ainda era criança, mas isso não a impediu de viver da culinária, área na qual estes requisitos são, à partida, essenciais.  "Como seria a minha vida se …

Portugal com mais 39 mortos, mais 4007 casos e recorde de internamentos graves

Portugal registou hoje 39 mortos e mais 4.007 casos de novas infeções pelo novo coronavírus, tendo alcançado um novo recorde de 286 doentes internados nos cuidados intensivos por covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Registou-se este …

Leiloada carta de Nobel antissemita a desprezar Einstein e os judeus

Uma carta escrita em 1927 pelo Prémio Nobel Philipp Lenard a um colega a reclamar das conquistas de Einstein e do suposto domínio judaico da ciência foi a leilão no Nate D. Sanders Auctions, em …