/

Em Singapura, um homem foi condenado à morte através do Zoom

3

How Hwee Young / EPA

Um homem foi condenado à morte através de uma videochamada na aplicação Zoom em Singapura, país onde se mantém o confinamento devido ao aumento de casos de covid-19.

De acordo com a BBC, Punithan Genasan, de 37 anos, recebeu a sentença, na passada sexta-feira, por ter estado envolvido num negócio de tráfico de droga em 2011. É a primeira vez que a justiça de Singapura condena alguém à pena de morte desta forma.

Grupos de defesa dos direitos humanos já vieram contestar a forma como decorreu o julgamento, numa videochamada feita pela aplicação Zoom, tendo considerado que, numa altura em que o mundo está a enfrentar uma pandemia, esta ação é “repugnante”.

“A pena de morte é, na sua essência, cruel e desumana e torna-se ainda pior quando Singapura utiliza uma tecnologia como o Zoom para condenar um homem à morte”, sublinhou o diretor-adjunto da Human Rights Watch (HRW) para a Ásia, Phil Robertson.

“Numa altura em que a atenção global está focada no salvamento e na proteção de vidas numa situação de pandemia, a continuação da aplicação da pena de morte é ainda mais abominável“, afirmou, por sua vez, Chiara Sangiorgio, conselheira da Amnistia Internacional para as questões ligadas à pena capital.

A grande maioria das audiências em Singapura foi adiada até, pelo menos, ao dia 1 de junho, data em que o país pretende acabar com o confinamento. Os casos considerados essenciais estão a ser mantidos de forma remota.

Tal como recorda a emissora britânica, o país tem uma política de tolerância zero em casos de drogas ilegais. Em 2013, 18 pessoas foram executadas – o número mais alto em pelo menos duas décadas, segundo a Amnistia Internacional. Desse número, 11 estavam a ser julgadas por crimes relacionados com droga.

Singapura conseguiu, numa primeira fase, conter a propagação do coronavírus, mas enfrenta atualmente uma segunda vaga.

  ZAP //

3 Comments

  1. Lamentável é ver-se traficantes, assassinos, violadores, pedófilos, entre outros, não serem pendurados e deixados a morrer e a servir de exemplo para quem pense em fazer o mesmo. A suspensão dessa pena exemplar foi um grande retrocesso civilizacional, pois, muito poucos, colocam os demais em estado de pânico e medo.

  2. Que aborto, perdão, amostra de país interessante… um paraíso fiscal criado pelos ingleses e que vive de todo o tipo de tráficos!…
    É tipo a Suiça do Oriente, mas numa ditadura à moda do Ventura…
    Um traficante de droga é condenado à morte por vídeo-conferência; já os traficantes de dinheiro são ajudados e apoiados pelo Estado e, quanto mais conseguirem roubar/desviar para colocar lá no paraíso fiscal, mais ajudas tem…
    Este traficante até podia ser o maior traficante do mundo (na Europa ou nos EUA) – desde que não o fosse em Singapura, e, teria um fim completamente oposto…
    Quanto dinheiro está lá guardado de todo o tipo de bandidos e de ditadores sanguinários de todo o mundo??
    Pois… pormenores…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.