/

A refeição mais confecionada durante a pandemia leva bacalhau (e é tipicamente portuguesa)

3

Em ano de pandemia os portugueses estiveram mais tempo em casa e isso levou-os a dar prioridade à cozinha. De acordo com um inquérito da Fly Research, a refeição que mais foi confecionada foi bacalhau à brás.

Num ano em que os portugueses terão passado mais tempo em casa, foram muitos aqueles que se terão dedicado mais à culinária, refere o inquérito da Fly Research conduzido em 19 países entre janeiro e fevereiro de 2021.

A maioria dos portugueses inquiridos no estudo revela ter aproveitado para se dedicar mais à cozinha (68%). E muitos até garantem “ter melhorado os dotes culinários” (64%).

Em Portugal, a média de tempo passado entre cozinhados terá subido para quase três horas (2,7) desde o início do primeiro confinamento, cerca de 63 minutos a mais, comparativamente com o período pré-pandemia.

Para a maioria dos inquiridos, estes foram momentos de “partilha e ligação aos membros do agregado familiar” (55%), sendo que muitos acreditam que o ritual de se sentarem à mesa em família terá vindo para ficar (68%).

Por outro lado, também terá despertado o desejo de levar um estilo de vida mais saudável (51%) ou de adquirir novas aptidões (43%). Cerca de 62% diz-se mais confiante para experimentar novas receitas e pratos da sua autoria com maior frequência.

Além disso, o inquérito revela que o bacalhau à brás foi a refeição mais confecionada (43%), seguindo-se da bifana (37%), o arroz de pato (34,8%), o caldo verde (34%) e o cozido à portuguesa (29%).

Para além do aumento do tempo passado na cozinha ou à mesa, o último ano veio também mudar hábitos de consumo. Apesar de 75% dos inquiridos preferir adquirir produtos de mercearia em lojas físicas, cerca de 27% admite que as restrições impostas pelo confinamento motivaram, pela primeira vez, a encomenda online de produtos de mercearia.

Os gastos com entretenimento alimentar também aumentaram, com pequenos picos de procura de “equipamentos de cozinha, livros de receitas, louças e velas”, diz o Público.

Nos outros países inquiridos, os pratos de comida caseira mais populares foram o tradicional assado (Reino Unido e Irlanda), crepes (França), esparguete à carbonara (Itália), roulade de carne (Alemanha), tortilha (Espanha), panquecas (Polónia e Hungria), costeletas (Rússia), sopa de beterraba (Ucrânia), almôndegas (Turquia e Suécia), polenta (Roménia), guisado (Holanda), batatas fritas (Bélgica), goulash (República Checa), escalopes à moda de Viena (Áustria) e sopa de repolho (Eslováquia).

  ZAP //

3 Comments

  1. Portugueses mais confinados à casa, mal saem à rua e pretendem um estilo de vida mais saudável com Bacalhau à Brás e Cozido à Portuguesa?? Estão cá com uma sorte …

  2. …não sei quem entrevistaram, mas duvido que o consumo de carne de porco, frango, arroz ou massa tenha sido inferior a qualquer das opções apresentadas.
    Muito estranhas estas conclusões.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE