OMS: “O vírus vai acompanhar-nos durante muito tempo”

unisgeneva / Flickr

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS)

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou esta quarta-feira que o vírus que provoca a covid-19 vai estar presente “muito tempo”, e disse começar a haver estabilidade na situação da Europa.

“O vírus vai acompanhar-nos durante muito tempo”, afirmou o responsável numa conferência de imprensa online a partir da sede da OMS em Genebra, depois de começar por referir que a Europa está, em relação à pandemia, em situação estável e com tendência a baixar.

Ainda assim, referiu o diretor-geral da OMS, a epidemia pode reativar-se mesmo em situações em que o confinamento tem resultado, e avisou que “o mundo não voltará a funcionar como antes” e que é preciso procurar uma nova e mais segura realidade.

Tedros Adhanom Ghebreyesus lembrou também que já há 2,5 milhões de pessoas infetadas e mais de 170.000 mortes provocadas pelo novo coronavírus.

Numa conferência de imprensa em que se falou várias vezes do aliviar das medidas de isolamento os responsáveis da OMS disseram compreender que as pessoas “queiram voltar às suas vidas normais”, mas assinalaram sempre a importância, na luta contra o vírus, do afastamento social.

O diretor-geral avisou mesmo que se na Europa ocidental a tendência é para baixar a incidência do vírus a OMS está preocupada com as situações em África, na América Central e do Sul e na Europa de leste.

Questionado se a declaração de emergência mundial devia ter sido feita mais cedo, o responsável máximo da organização enfatizou que essa declaração foi feita a 30 de janeiro, “o mais cedo possível”, e esclareceu que nesse momento havia 82 casos confirmados fora da China, a maioria em países vizinhos da China, onde começou a epidemia. A Europa tinha notificado 10 casos e não havia mortes declaradas fora da China.

“Creio que declarámos a emergência no momento adequado, o mundo tinha tempo suficiente para responder”, disse o responsável, que tem sido criticado pelos Estados Unidos em relação à forma como a OMS lidou com a pandemia.

Em 30 de janeiro a OMS declarou o surto como caso de emergência de saúde pública internacional, mas opôs-se a restrições de viagens e trocas comerciais. Nesse dia o número de mortes na China chegava a 169.

Ainda quanto aos Estados Unidos, que cortaram o apoio à OMS, e quando questionado sobre que impacto tinha esse corte, Tedros Adhanom Ghebreyesus disse que o financiamento, venha de onde vier, é sempre para salvar vidas, que é para isso que a OMS trabalha “dia a noite”, e que os ataques à organização só reforçam a sua determinação.

O responsável reconheceu a importância do apoio dos Estados Unidos e disse esperar que o país reconsidere os cortes no financiamento, que serve para “salvar vidas”, concluindo sobre essa matéria: “não tenho energia adicional para responder a críticas, estou concentrado em salvar vidas”.

E quanto às manifestações contra o confinamento (como têm acontecido nos Estados Unidos), o diretor-geral disse que protestos e manifestações podem precisamente levar ao aumento da pandemia, e acrescentou ser muito importante a confiança entre os cidadãos e os governos, para que as pessoas compreendam a necessidade desse isolamento.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado e Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …