Costa adverte para risco de “medidas ainda mais restritivas”

O primeiro-ministro reiterou, esta sexta-feira, que não gosta das medidas preventivas obrigatórias contra a covid-19 que propõe, mas advertiu que a alternativa poderá ser a adoção, dentro de poucas semanas ou meses, de outras ainda mais restritivas.

“Claro que eu não gosto das medidas [utilização obrigatória de máscara de proteção e da aplicação StayAway Covid]. A questão é saber se essa medida é necessária, é útil para conter a transmissão da pandemia, e se não é melhor recorrer a esta medida agora assim do que estar, daqui a umas semanas ou daqui a um mês ou daqui a dois meses, a ter que impor medidas muito mais restritivas, como seja dizer: ‘olhe, pura e simplesmente não poder ir à rua, nem com máscara nem sem máscara'”, declarou.

António Costa falava à imprensa no final do Conselho Europeu, em Bruxelas, no dia em que Portugal regista o valor diário mais elevado de novos casos de infeção desde o início da pandemia de covid-19 (2.608) e 21 mortos.

“E a questão que eu coloco mais uma vez é que com este ritmo de crescimento da pandemia que estamos a ter, se nós não adotamos agora medidas desta natureza, se calhar vamos estar daqui a uns tempos a ter de tomar medidas muito mais constringentes das liberdades, desde logo da liberdade de movimento, como adotámos no início desta pandemia”, enfatizou.

“A segunda onda resulta das pessoas terem relaxado os comportamentos”, reafirma o primeiro-ministro.

“A Assembleia decidiu fazer um conjunto de audições, que é importante que existam, para esclarecer vários equívocos que existem. O primeiro é que esta aplicação não usa a geolocalização das pessoas, não permite ver onde as pessoas estão ou estiveram; outro equívoco é que preserva totalmente o anonimato; e só o próprio, a pessoa positiva, é que pode notificar na aplicação que está infetado, através de um código que o médico lhe deu”, esclareceu o chefe do Executivo, citado pelo jornal online Observador.

O primeiro-ministro esclareceu ainda que o Governo só pode recomendar o uso da app, não pode obrigar. “Ninguém vai andar, obviamente, a fazer revistas e operações stop a ver se tem ou não a aplicação”, acrescenta.

O Governo entregou na quarta-feira, no Parlamento, uma proposta de lei para tornar obrigatório o uso de máscara na rua e a utilização da aplicação StayAway Covid em contexto laboral ou equiparado, escolar e académico, sob pena de multa entre 100 e 500 euros.

A proposta de lei, que será debatida em plenário no dia 23, não reuniu o apoio dos vários partidos com assento parlamentar, pelo menos relativamente à parte da obrigatoriedade da aplicação para smartphones.

A verdade é que o anúncio de António Costa fez disparar os downloads da aplicação desenvolvida pelo INESC TEC. Em 24 horas, de quarta para quinta-feira, foram registadas 177.470 descargas da app.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • Nahh… Depois era um problema, onde é que iam encontrar gente para ocupar os para-aí-uns trinta lugares de administração desse novo serviço?

RESPONDER

Recolher obrigatório, limitação horária nos restaurantes e restrições por concelho podem acabar hoje

Na reunião de terça-feira no Infarmed, os peritos concluíram haver condições para começar a aliviar algumas das medidas restritivas em vigor. Em Conselhos de Ministros, que se irá realizar hoje, o Governo irá definir novas …

Alerta de tsunami no Alasca depois de sismo de magnitude 8.2

A península do Alasca, a oeste dos Estados Unidos, foi atingida por um sismo de magnitude 8.2 na noite de quarta-feira (7h15 de quinta-feira em Lisboa) e já foi lançado um alerta de tsunami na …

Conselho de Ministros reúne-se para discutir próximos passos no desconfinamento

O Conselho de Ministros reúne-se esta quinta-feira para decidir os próximos passos no processo de abertura do país, dois dias depois de especialistas terem sugerido a evolução das medidas de restrição de acordo com a …

Capacete magnético mostra-se eficaz na redução de tumor cerebral

O diagnóstico de um cancro é sempre complicado, mas há partes do corpo onde a presença da doença pode ser mais ameaçadora. É o caso do glioblastoma, um tipo de cancro cerebral, que se não …

Engenheiros japoneses fizeram levitar objectos com "armadilha acústica"

Engenheiros japoneses descobriram uma forma de fazer pequenos objectos levitar usando apenas ondas sonoras, o que pode ser um passo importante para a tecnologia. A engenharia biomédica, o desenvolvimento de farmacêuticos e a nanotecnologia podem vir …

Juno fez a maior aproximação a Ganimedes das duas últimas décadas (e as imagens são de cortar a respiração)

A NASA divulgou, recentemente, um vídeo da sonda Juno a passar por Júpiter e Ganimedes, uma das suas luas. As imagens são de cortar a respiração. Juno visitou Ganimedes em junho. As imagens foram captadas no …

Homicídio com 32 anos resolvido com a menor amostra de ADN de sempre

Um caso de homicídio ocorrido há 32 anos, que muitos consideraram impossível de ser resolvido, foi finalmente desvendado (e tudo graças à amostra de ADN mais pequena de sempre usada para decifrar um caso). De acordo …

Braços robóticos controlados remotamente podem vir a realizar cirurgias delicadas

Um equipa de investigadores está a trabalhar para eliminar movimentos rígidos nos braços robóticos, de modo a torná-los mais ágeis. O objetivo é que no futuro estes possam empilhar pratos ou até realizar cirurgias delicadas. Os …

Alemão foi forçado a remover estátua do pai por esta se parecer com Hitler

Um alemão foi obrigado a retirar uma figura de madeira de um cemitério, que seria para homenagear o seu falecido pai, por ter semelhanças com o antigo ditador nazi. As autoridades do município de Weil im …

Podcast evita morte de um condenado (seis vezes)

Curtis Flowers foi julgado seis vezes pelo mesmo promotor de justiça. Um programa de investigação mudou o seu destino. O promotor continua a acreditar que Curtis é culpado. A própria equipa responsável pelo 60 Minutes, programa …