Pandemia está a ter uma evolução “extremamente rápida” em África

United Nations Photo / Flickr

Há dez dias, apenas cinco países tinham detetado infeções pelo novo coronavírus. Neste momento, já foram confirmados cerca de 650 casos em 34 países.

A diretora da Organização Mundial de Saúde (OMS) para África disse, esta quinta-feira, que a pandemia de Covid-19 está a ter uma “evolução extremamente rápida” no continente, numa altura em que crescem os receios de uma nova frente alarmante da doença.

Há dez dias apenas cinco países tinham detetado infeções pelo novo coronavírus. No entanto, neste momento, segundo avançou Matshidiso Moeti, ​cerca de 650 casos já foram confirmados em 34 países. O primeiro caso na África Subsaariana foi anunciado a 28 de fevereiro: “É uma evolução extremamente rápida.”

Matshidiso Moeti falava aos jornalistas durante um briefing conjunto com o Fórum Económico Mundial e em que participaram representantes da OMS do Senegal e da África do Sul, um dos principais países afetados. A responsável da agência da Nações Unidas para a saúde disse não acreditar que existam muitas pessoas infetadas sem serem diagnosticadas, no entanto admitiu que a escassez de testes é um desafio.

De acordo com o Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) da União Africana, 43 dos 55 Estados da organização têm agora capacidade para a realização de testes, comparado com os dois países com esta capacidade quando o surto começou.

Moeti manifestou igualmente preocupação com as restrições às viagens e seu impacto na capacidade de fornecimento dos bens, medicamentos e equipamentos necessários. “A OMS está a considerar a abertura de corredores humanitários”, disse.

Esta quarta-feira, mais países africanos anunciaram o fecho de fronteiras numa altura em que aumentam os receios de que a transmissão local possa tornar o continente de 1,3 mil milhões de pessoas numa nova e alarmante frente da pandemia. O Senegal fechou o seu espaço aéreo, enquanto que a Angola e os Camarões encerraram as fronteiras aéreas, terrestres e marítimas. O Ruanda suspendeu os voos comerciais durante um mês e as Maurícias fecharam as fronteiras após o anúncio do primeiro caso.

Na África do Sul, onde os casos passaram de 116 para 150, foram aprovadas restrições para os locais de venda de bebidas. O país anunciou também a reparação e extensão de uma vedação na sua fronteira com o Zimbabué, numa tentativa de impedir a propagação do novo coronavírus.

O Chade anunciou o seu primeiro caso e a Mauritânia impôs o recolher obrigatório entre as 20h e as 06h horas e fechou cafés e restaurantes. A Nigéria, o país mais populoso de África, decidiu fechar as escolas e todos os eventos religiosos serão restringidos em Lagos, metrópole com mais de 20 milhões de habitantes.

Apesar da pressão das populações para a realização de testes, o diretor do CDC África, John Nkengasong, alertou que o simples facto de fazer o teste não deve deixar ninguém descansado. “Se for testado hoje não quer dizer que não seja infetado amanhã”, alertou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Arqueólogos revelam condições horríveis de campo de concentração nazi no Reino Unido

Uma equipa de arqueólogos revelou as condições horríveis de um campo de concentração nazi em Alderney, a ilha britânica mais setentrional do Canal da Mancha, onde estavam prisioneiros políticos e trabalhadores forçados durante a Segunda …

Governo quer reabrir ensino secundário a 4 de maio. Telescola deve arrancar depois da Páscoa

O Governo está a preparar a reabertura das escolas apenas para o ensino secundário para 4 de maio. Ainda falta ouvir a Direção-geral da Saúde, os especialistas, o Conselho Nacional de Educação e o Conselho …

“Não há razão para alarme”. Governo quer perdoar penas até dois anos e antecipar liberdade condicional

A proposta de lei do Governo que estabelece um regime excecional para as prisões, no âmbito da pandemia covid-19, já deu entrada na Assembleia da República, podendo ser consultada na página oficial do Parlamento. No diploma, …

O nosso cérebro evoluiu para acumular mantimentos (e julgar os outros por fazer o mesmo)

O nosso cérebro evoluiu de uma forma que, em situações de stress, acumulamos mantimentos e julgamos os outros por fazer exatamente o mesmo. Os media estão repletos de histórias – e a condenação – de pessoas que …

Autarca de Vieira do Minho denuncia: testes estão a ser desviados para Lisboa

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Gerês/Cabreira, Vieira do Minho, detetou 77 infetados pelo novo coronavírus, com os autarcas da área a reclamarem contra a demora na distribuição de testes, disse esta sexta-feira à …

Trump recomenda uso de máscaras (mas recusa-se a usá-las)

Esta sexta-feira, os Estados Unidos tiveram, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de mortes em 24 horas, num total de 1.094, e contam com quase 30 mil novos casos. No seu briefing diário, de acordo …

A Antártida já foi uma floresta tropical

A Antártida pode ter sido o lar de ecossistemas quentes e pantanosos cercados por fetos e árvores coníferas há 90 milhões de anos, altura marcada pelo auge dos dinossauros. Uma análise do solo antigo extraído da …

Algumas estrelas têm "veneno" dentro de si (e é por isso que explodem)

Algumas estrelas têm um "veneno" dentro de si: o elemento néon no núcleo das estrelas pode desencadear uma reação química que leva a uma morte definitiva e explosiva. Estrelas menos massivas, como o nosso Sol, expandem-se …

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …