Itália regista mais 743 mortes. Presidente pede “a mesma unidade que no pós-guerra”

O número de mortes pelo novo coronavírus em Itália subiu para 6.820, mais 743 mortes do que as anunciadas na segunda-feira. O presidente italiano, Sergio Mattarella, pediu “a mesma unidade que no pós-guerra”.

Itália já tem o dobro das mortes registadas na China devido ao novo coronavírus, somando mais 743 mortos do que aquelas anunciadas na segunda-feira. O país regista agora 69.176 infetados e 6.820 mortes devido ao surto de Covid-19.

Há mais 5.249 casos confirmados, dando continuidade a uma desaceleração do crescimento do número de infetados no país. Este é o terceiro dia consecutivo em que se regista esta tendência, de acordo com o Observador.

O relatório das autoridades de saúde italianas destacam ainda que há mais 894 pessoas recuperadas, aumentando o número de sobreviventes para 8.326. Há ainda 21.937 pacientes internados, sendo que 3.396 deles estão nos cuidados intensivos e 28.697 estão de quarentena em casa.

Todavia, o número de infetados pelo novo coronavírus em Itália pode ser dez vezes maior do que oficialmente reportado e chegar a 600.000, admitiu o chefe da Proteção Civil italiana, Angelo Borrelli, numa entrevista ao jornal “La Repubblica”.

“Para cada infetado declarado, há dez não registados”, disse Borrelli, que diariamente comunica os dados oficiais em conferência de imprensa.

O Presidente da República italiana, Sergio Mattarella, pediu esta terça-feira aos italianos “a mesma unidade” que existiu nos anos que se seguiram à II Guerra Mundial e que permitiu “o renascimento moral, civil, económico e social” do país.

O chefe de Estado falava por ocasião do 76.º aniversário do Massacre das Fossas Ardeatinas, em que 335 civis italianos foram mortos por nazis nos arredores de Roma, efeméride que este ano não vai ser assinalada devido às medidas de emergência em vigor para travar a propagação do novo coronavírus responsável pela pandemia da covid-19.

“O Massacre das Ardeatinas constituiu uma das páginas mais dolorosas da história recente do nosso país”, afirmou Mattarella numa nota oficial. Naquele crime, prosseguiu, enfrentaram-se “a vontade de opressão e o racismo” e os “valores fundamentais da memória, da paz e da solidariedade”.

“No final desses anos terríveis, marcados pela ditadura e pela guerra, a unidade do povo italiano permitiu o renascimento moral, civil, económico e social da nossa nação. A mesma unidade que nos é exigida, hoje, em um momento difícil para toda a comunidade”, concluiu, evocando “uma grave emergência sanitária”.

O Massacre das Fossas Ardeatinas, ocorrido a 24 de março de 1944, é um dos principais símbolos do horror da ocupação nazi em Itália.

O massacre foi uma represália por um ataque da resistência italiana ao fascismo em que morreram 33 soldados alemães e que levou as autoridades nazis a matar 10 italianos por cada soldado alemão morto.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas identificam pela primeira vez expressões faciais emocionais em ratos

Pela primeira vez, cientistas de Neurobiologia do Instituto Max Planck, na Alemanha, identificaram expressões faciais emocionais em ratos. À semelhança dos seres humanos, as expressões faciais dos ratos mudam quando estes animais provam algo doce …

Imprimiram corais artificiais em 3D que podem salvar recifes

Uma equipa de cientistas inspirou-se na natureza para desenvolver estruturas em forma de coral, impressas em 3D, capazes de produzir grandes quantidades de algas microscópicas. Investigadoras da Universidade de Cambridge e da Universidade da Califórnia desenvolveram …

Avalanches submarinas prendem microplásticos no fundo do oceano

As avalanches de sedimentos submarinos transportam os microplásticos para o fundo do oceano e um projeto de colaboração entre as Universidades de Manchester, Utrecht e Durham e o Centro Nacional de Oceanografia acaba de revelar …

Aos 107 anos, Cornelia Ras conseguiu vencer a covid-19

Cornelia Ras, que contraiu o novo coronavírus em meados de março, pode ser a mulher mais velha do mundo a vencer a covid-19. Nunca se é velho demais para vencer o novo coronavírus e a holandesa …

Coreia do Norte pode estar a usar fábricas de fertilizantes para extrair urânio

Um novo estudo norte-americano mostra que a Coreia do Norte pode estar a utilizar fábricas de fertilizantes para produzir mais material nuclear, extraindo urânio de ácidos fosfóricos. Segundo noticiou o Newsweek, na opinião da investigadora Margaret …

Distância social de 1,5 metros é insuficiente para travar contágio

O estudo realizado por investigadores e engenheiros especializados em dinâmica de fluidos concluiu que a distância deve ser de, pelo menos, quatro metros. Um estudo divulgado esta quinta-feira alerta que a distância social de 1,5 metros …

Estados Unidos registam 9 desempregados por segundo

O desemprego está a atingir números preocupantes nos Estados Unidos: só na última semana, 6,6 milhões de pessoas declararam estar sem emprego para poder receber apoios, um número semelhante ao da semana anterior. De acordo com …

Chineses desistem de comprar o BNI Europa. Está agora em mãos angolanas

O contexto de incerteza, provocado pela pandemia de covid-19, levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. O grupo chinês KWG desistiu de comprar 80,1% da participação do BNI …

Tesla usa peças do Model 3 para construir um ventilador

A Tesla também está a tentar contribuir para colmatar a escassez de ventiladores com um novo protótipo, feito com partes do Model 3. A Tesla construiu um ventilador com recurso a componentes automóveis. A fabricante elétrica …

Há acordo no Eurogrupo: 500 mil milhões de euros "disponíveis imediatamente"

Os ministros das Finanças da Zona Euro chegaram a acordo, esta quinta-feira, sobre os apoios económicos para fazer face à pandemia de covid-19. O Eurogrupo chegou a acordo sobre o pacote de ajuda económica para a …