Madeira está há duas semanas sem novos casos. Mas o sucesso tem um sabor agridoce

Há 14 dias que não se registam novos casos de covid-19 na Madeira. No entanto, com os hotéis fechados e a ausência de turistas, o sabor do sucesso é agridoce.

De acordo com um novo comunicado, citado pelo Expresso, há 14 dias que não se registam alterações na Madeira: 90 casos positivos, 64 recuperados e 26 ativos. Segundo o semanário, a forma como as equipas de saúde pública agiram permitiu conter as 11 cadeias de transmissão identificadas e o trabalho no terreno vai agora ser complementado pelo estudo genético ao vírus.

A sequenciação do genoma do vírus com origem na Madeira está a ser feita pelo Instituto Ricardo Jorge e poderá ajudar a perceber por que motivo a doença teve poucos casos severos no arquipélago.

Os bons resultados da Madeira permitiram dar início ao desconfinamento, a um ritmo muito diferente do resto do país: os cabeleireiros, centros comerciais e as lojas de rua abriram no início de maio, na semana seguinte os ginásios retomaram atividade, ainda que com muitas regras.

O acesso às praias deixou também de estar vedado e o regresso foi feito a pézinhos de lã, com regras e muita vigilância. Os cafés e restaurantes reabriram, mas são poucos os clientes. Os funcionários públicos voltaram ao trabalho a 18 de maio e os autocarros da empresa Horários do Funchal começaram a circular com horário normal.

O Expresso adianta que as escolas devem abrir em setembro ou para aulas de apoio aos alunos do 11.º e 12.º anos. O ensino secundário tem estado a funcionar em regime de telescola e ainda não se sabe se as creches e infantários reabrem antes de setembro.

A quarentena obrigatória para quem chega a Porto Santo, oriundo da Madeira, foi levantada No entanto, a Madeira vive do turismo e, sem ele, a reabertura e o sucesso na contenção da doença traz muito poucos frutos. A crise económica e social ofusca os bons resultados e os próximos tempos avizinham-se com grade agitação política.

A Madeira precisa de turistas e o objetivo é que comecem a chegar em junho, altura em que deverão reabrir alguns hotéis e a TAP passará a ter um voo diário para a região. Ainda que seja um risco em termos de saúde, não será suficiente para conter os estragos de dois meses sem turistas.

O Governo regional injetou na economia e para os apoios sociais 240 milhões de euros: para um primeiro momento, disponibilizou uma linha de crédito de 100 milhões de euros, que podem ser a fundo perdido se houver manutenção dos postos da trabalho, e duplicou a ajuda aos trabalhadores independentes que perderam os rendimentos.

Contudo, o apoio de emergência às empresas está a esgotar-se. Desta vez, escreve o Expresso, a Madeira não pede dinheiro, mas sim uma moratória sobre o pagamento de duas prestações do empréstimo feito ao Estado em 2012 – que vencem em julho e em janeiro do próximo ano, no valor de 98 milhões – e uma autorização para contrair um empréstimo de 500 milhões de euros.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. É inadmissível que digam que os funcionários públicos voltaram ao trabalho no dia 18 de maio. Pura mentira.
    Trabalho na administração pública regional e laborei no meu local de trabalho todos os dias desde o início da crise. Além disso, ninguém me pagou o tempo que trabalhei todos os fins de semana em casa, em serviço público.
    À parte disso, tive colegas em teletrabalho a dar o litro e a enviar contributos todas as noites e ao fim de semana, em prol do bem público.
    Vergonhosa esta afirmação.

RESPONDER

Atletas que sorriem durante as corridas gastam menos oxigénio

Os atletas que sorriem gastam menos oxigénio, trabalham de forma mais económica e têm um nível de esforço menor, refere um estudo realizado pelas universidades de Ulster e Swansea, divulgado esta terça-feira. Os investigadores pediram a …

OMS analisa possíveis primeiros casos de infeção de animais para o homem

A Organização Mundial de Saúde (OMS) admite que pelo menos três infeções por Covid-19 nos Países Baixos possam ser os primeiros casos conhecidos de transmissão do novo coronavírus dos animais para o homem, tendo martas …

Na Suíça, é possível estar em teletrabalho e a empresa pagar parte da renda

O Tribunal Federal da Suíça condenou uma empresa de contabilidade a pagar parte da renda de casa a um funcionário que se encontrava em teletrabalho. Segundo revelou na segunda-feira o swissinfo e o Tages-Anzeiger, citados pelo …

Governo negoceia até mais 35 milhões em apoios para agricultura

A ministra da Agricultura disse hoje que está em curso a negociação de medidas adicionais para apoiar o setor agrícola, face ao impacto da covid-19, através do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), que podem mobilizar …

Moro não assinou exoneração de ex-diretor da Polícia, admite Presidência do Brasil

A Secretaria-Geral da Presidência brasileira admitiu na segunda-feira que o agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro não assinou o decreto de exoneração de Maurício Valeixo da direção-geral da Polícia Federal, confirmando a versão original do …

Norte foi região que mais contribuiu para aumentar produtividade do trabalho no país

O Norte foi a região que mais contribuiu para aumentar a produtividade laboral entre 2000 e 2017, crescendo 20% quando a Área Metropolitana de Lisboa subiu 3,3%, revelou na segunda-feira a Comissão de Coordenação e …

Vai nascer uma praia fluvial nas margens do Alqueva em 2021

Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, devendo começar a funcionar no verão do próximo ano. Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, junto à aldeia …

Câmara de Bragança vai ajudar com até 100 euros a pagar renda

As famílias mais vulneráveis do concelho de Bragança vão poder contar com um apoio financeiro até 100 euros mensais para pagar a renda. A Câmara de Bragança vai ajudar as famílias do concelho em situação vulnerável …

Parlamento chumba lay-off para sócios-gerentes, mas acaba com teto de faturação ao apoio

A Comissão de Economia chumbou, esta terça-feira, o alargamento do lay-off simplificado aos sócios-gerentes. Por outro lado, aprovou o fim do teto de faturação para aceder ao apoio a estes portugueses. A proposta do PSD, BE …

Comissão Europeia admite que Portugal fica "em desvantagem" nas ajudas estatais

Margrethe Vestager, vice-presidente executiva da Comissão Europeia, admite que países como Portugal, com menor capacidade orçamental do que Estados-membros como Alemanha ou França, fiquem “em desvantagem” nas ajudas estatais em altura de crise gerada pela …