“Para não criar um vazio”, Marcelo quer renovar estado de emergência por 8 dias

Mário Cruz / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República quer renovar o estado de emergência com “o mesmo regime” por oito dias, já que não há dados suficientes relativamente ao período natalício, dando tempo para “encontrar uma solução que aponte para um mês”.

No primeiro debate das Presidenciais, que colocou Marcelo Rebelo de Sousa frente a frente com a bloquista Marisa Matias, o Presidente da República foi questionado sobre a possibilidade do atual estado de emergência ser renovado apenas por uma semana, e não por 15 dias como tem vindo a ser habitual.

“Eu inclino-me para oito dias apenas”, respondeu, garantindo que “não tem nada a ver com a campanha”, no frente a frente, transmitido pela RTP e moderado pelo jornalista Carlos Daniel.

De acordo com o chefe de Estado, “não há dados suficientes relativamente ao período de Natal”, havendo mesmo “dados que são contraditórios”, justificando que “houve pontes consecutivas e não houve testes”.

“O que é isto significa? Só é possível ter uma reunião com os especialistas no dia 12, mas não é possível criar um vazio. Para não criar um vazio há que renovar“, afirmou.

Assim, Marcelo Rebelo de Sousa, “se os partidos concordarem, se o Governo concordar, se a Assembleia autorizar”, renova-se o estado de emergência “com o mesmo regime durante oito dias” para assim se “dar tempo para se ter um conjunto de dados que permita encontrar uma solução que aponte para um mês”.

O estado de emergência, decretado a 9 de novembro, foi renovado até às 23h59 do dia 7 de janeiro, com recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

O Parlamento arranca precisamente os trabalhos de 2021 na próxima quarta-feira, dia 6, com a discussão em plenário da renovação do estado de emergência.

Esta segunda-feira, o Presidente da República vai receber os partidos políticos com assento parlamentar para os ouvir sobre esta renovação antes do debate parlamentar.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Quem tem 2 dedos de testa compreende perfeitamente o que vai na cabeça deste fulano, que nos quer rotular a todos de acéfalos.
    Se sempre foram 15 dias porquê agora 8 dias?
    Pois, eleições que lhe são interessantes!
    Razão tem o calceteiro quando diz que Marcelo conseguiu apalhaçar o cargo de PR.

RESPONDER

Hospital de Portalegre abre inquérito a morte de doente que esteve 3 horas em ambulância

O hospital de Portalegre vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de um octogenário, na noite de segunda-feira, na área dedicada aos doentes respiratórios, depois de estar quase três horas numa ambulância, …

"Não somos heróis". Há quartéis que podem fechar se não houver vacinas para os bombeiros

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, disse que se o número de bombeiros infetados com covid-19 continuar a este ritmo muitos quartéis podem ter de encerrar. "As carrinhas de transporte de …

Mayan ouve lesados da pandemia e diz que "limitações têm de vir acompanhadas do cheque"

Tiago Mayan Gonçalves ouviu as lamentações de uma série de empresários algarvios afetados pela pandemia. O candidato aponta o dedo ao Governo, argumentando que "limitações severas têm de vir acompanhadas do cheque". Esta segunda-feira, Tiago Mayan …

Itália: Da crise pandémica à crise política. Conte tem agora o voto de confiança dos deputados

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, obteve ontem a confiança dos deputados para se manter no governo, depois da demissão de duas ministras do partido Itália Viva (IV) ter aberto uma crise política, deixando o governante …

"Risco de readmissão é grande". Quase um terço dos infetados voltou ao hospital (e um em cada oito morreu)

De acordo com um estudo recente realizado no Reino Unido, quase um terço das pessoas que tiveram alta de um internamento por problemas de saúde relacionados com a covid-19, em Inglaterra, regressaram ao hospital pela …

Fecho das escolas "seria a medida mais forte de saúde pública"

O encerramento das escolas "seria a medida mais forte de saúde pública a ser tomada", perante a existência de um "teto falso" na deteção de novos casos e o aparecimento da variante inglesa, defendeu esta …

"Ato ditatorial" e "humilhação cruel". Mourinho criticado por optar por Gedson em vez de Dele Alli

O ex-futebolista Stan Collymore chamou Mourinho de ditador e criticou o facto de ter deixado Dele Alli de fora dos convocados em detrimento de Gedson Fernandes. Stan Collymore, antigo jogador do Liverpool, criticou José Mourinho pela …

Preços das casas devem descer neste ano (e deixam a banca em risco)

Após se terem aguentado mais ou menos estáveis em 2020, apesar da pandemia de covid-19, os preços das casas devem começar a descer neste ano com o prolongar da crise sanitária. Uma situação que preocupa …

Sem promessas para 2022, Governo admite criar “escalões intermédios” na Função Pública

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, admitiu, em entrevista ao ECO, rever a tabela salarial da Função Pública e criar “escalões intermédios para as progressões intermédias”. Em entrevista ao jornal …

@AnaMartinsGomes. A gladiadora do Twitter é candidata a Belém

Se há arena onde a candidata socialista a Belém se sente confortável, é o Twitter. Palco de grandes partilhas e encruzilhadas, é inegável que essa rede social marca o caminho da diplomata. Ana Gomes é conhecida …