Ministro da Saúde boliviano preso por compra de ventiladores a preços inflacionados

Giuseppe Lami / EPA

A polícia da Bolívia prendeu na quarta-feira o ministro da Saúde, Marcelo Navajas, como parte das investigações pela compra a preços demasiado altos de 179 ventiladores espanhóis para pacientes com covid-19.

Navajas “está preso nas dependências da FELCC [Força Especial da Luta Contra o Crime] da cidade de La Paz”, afirmou o comandante da unidade, o coronel Iván Rojas, um dia depois de a Presidente interina boliviana Jeanine Áñez ordenar a investigação da compra questionada por “possível corrupção”, segundo avançou a agência Lusa.

Outros dois funcionários da saúde também foram detidos pela polícia. Como a compra dos 179 ventiladores por quase 4,5 milhões de euros foi feita com o financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), dois funcionários do órgão internacional foram convocados para depor.

O organismo internacional destacou em comunicado que “vê com preocupação as informações sobre possíveis irregularidades na aquisição de respiradores realizada pelo Ministério da Saúde da Bolívia com recursos de financiamento do banco” e anunciou ter aberto uma investigação interna.

A Bolívia adquiriu os equipamentos de Espanha por um preço unitário de 25.235 euros. No entanto, logo veio à tona que a empresa os oferece por entre 9.500 euros e 11.000 euros. Outra empresa espanhola serviu como intermediária.

O escândalo começou no fim de semana passado, com a queixa dos médicos de unidades de cuidados intensivos (UCI), que denunciaram que as máquinas não eram adequadas para as UCI dos hospitais bolivianos. Logo surgiram os relatórios de que havia sido pago um valor acima do que é considerado normal.

A Presidente disse, ainda, que assumia o “compromisso” de “recuperar o dinheiro dos bolivianos”. Áñez “decidiu afastar o ministro da saúde” para “evitar qualquer interferência no trabalho da justiça”, disse a chefe da pasta da Comunicação, Isabel Fernández.

Uma vice-ministra do setor, Eidy Roca, assumiu a titularidade de forma interina.

Stringer / EFE

A Presidente interina boliviana Jeanine Áñez

O escândalo ocorre no meio da expansão da covid-19, que até agora infetou 4.500 pessoas e provocou cerca de 190 mortes na Bolívia, que permanece sob quarentena e com as fronteiras fechadas desde 17 de março e até o fim deste mês.

Áñez alvo de críticas

A Presidente, que assumiu o cargo a 12 de novembro, um dia depois da renúncia de Evo Morales (2006-2019), após uma forte convulsão social e política, tornou-se alvo de críticas e enfrenta a maior crise política devido à compra dos ventiladores.

“Urge uma explicação séria do governo”, destacou o ex-Presidente e candidato à Presidência, Carlos Mesa, enquanto o afilhado político de Morales, o economista Luis Arce, disse que “o governo da Bolívia continua a atuar de forma tardia e negligentemente”.

O também candidato Luis Fernando Camacho foi mais duro: “A dor do povo não pode ser usada para fazer negociatas”.

Áñez também sofre a pressão de sindicatos de operários e camponeses, ligados a Morales, que exigem aliviar a quarentena sanitária, a renúncia da presidente e que se fixe uma data para as novas eleições, no máximo até 02 de agosto. Previstas inicialmente para 03 de maio, as eleições para substituir Áñez ficaram em suspenso por causa da pandemia.

Desde a semana passada são registados bloqueios de vias nas regiões de La Paz, Cochabamba, Santa Cruz, Oruro e Potosí. Enquanto isso, o município de Cochabamba abriu diálogo com moradores que impedem o transporte de lixo até o depósito local.

O vice-ministro do Interior, Wilson Santamaría, afirmou na véspera que “interesses políticos pretendem gerar um foco de conflito que termine com mortos para convulsionar o país em plena crise da pandemia do novo coronavírus”. Santamaría responsabilizou pelos protestos o Movimento ao Socialismo, partido de Morales, mas a formação nega.

Lusa //

PARTILHAR

RESPONDER

É a quantidade de alimento que determina quem se torna a abelha-rainha

Um novo estudo sugere que é a quantidade de alimento, e não a sua qualidade, como se pensava até agora, que determina quem se torna a abelha-rainha. Quais são os fatores que determinam qual é a …

Em Miami e Nova Iorque, os polícias ajoelharam-se por George Floyd

Em Miami e em Nova Iorque, alguns agentes da autoridade juntaram-se aos manifestantes por breves momentos, para mostrar o seu respeito pela memória de George Floyd. Nos Estados Unidos, os protestos pela morte de George Floyd …

A Nova Zelândia está em cima de uma enorme bolha de lava

A Nova Zelândia situa-se no topo dos restos de uma pluma vulcânica gigante. Este processo é o responsável pela atividade vulcânica e desempenha um papel fundamental no funcionamento do nosso planeta. Nos anos 70, vários cientistas …

Petição busca estatuto de vítima para crianças em contexto de violência doméstica

Uma petição lançada na sexta-feria que reivindica a criação do estatuto de vítima para as crianças que vivem em contexto familiar de violência doméstica já foi assinada por mais de 1300 pessoas, entre elas personalidades …

Assimétrica e flutuante. A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai "nascer" em 48 horas

A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai estar pronta no próximo mês para demonstrar a velocidade e a eficácia de uma técnica de construção que será sete vezes mais rápida e terá …

Anonymous garantem que princesa Diana foi assassinada para abafar caso Epstein

O movimento internacional de ciberativistas Anonymous - ou alguém que alega operar em seu nome - garante que a princesa Diana, que morreu num acidente de viação em agosto de 1997, foi, na verdade, assassinada …

Empresa de mineração pede desculpa por destruir cavernas sagradas aborígenes

A empresa mineira Rio Tinto admitiu que destruiu as cavernas pré-históricas que eram locais de culto para os aborígenes australianos e pediu desculpa. As cavernas de pedra Juukan Gorge 1 e 2 – dois locais de …

Itália exige "respeito": vai abrir fronteiras, mas excluir países que impõem restrições a italianos

Apesar de acredita "no espírito europeu", o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano sublinhou que o país está pronto "para fechar as fronteiras" àqueles que não o respeitem. A Itália vai abrir as suas fronteiras internacionais a …

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …