Alemanha e França prometem novo apoio financeiro à OMS

unisgeneva / Flickr

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS)

Menos de um mês após o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, ter anunciado que ia deixar de financiar a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Alemanha e a França informaram que contribuirão com um novo apoio financeiro para a luta da agência contra o coronavírus.

Segundo noticiou na quinta-feira a NPR, a Alemanha prometeu doar este ano 500 milhões de euros em financiamento e equipamentos à organização.

“Precisamos de uma OMS forte, eficiente, transparente e responsável, hoje mais do que nunca”, disse o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, em entrevista coletiva em Genebra, na Suíça. “Respostas nacionais isoladas para problemas internacionais estão fadadas ao fracasso”, acrescentou.

Em maio, Trump anunciou que iria cortar os laços com a OMS, mas o Governo norte-americano ainda não notificou formalmente a agência. No último ciclo orçamental, no final de 2019, os EUA forneceram mais de 15% do financiamento da organização – uma contribuição de 893 milhões de dólares (cerca de 795 milhões de euros).

“Estamos a receber hoje todo o apoio de que precisamos, política e financeiramente. Tanto a Alemanha quanto a França são amigas de longa data da OMS e da saúde global”, disse o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva.

A França, por sua vez, disse que daria 90 milhões de euros a um centro de pesquisa da OMS em Lyon, além de uma contribuição adicional de 50 milhões de euros.

Como lembrou a NPR, a OMS depende de taxas de associação e contribuições voluntárias dos seus 194 estados membros, além de doações de organizações internacionais e doadores privados. Segundo a agência, a contribuição total da Alemanha durante o último ciclo orçamental foi superior a 292 milhões de dólares (à volta de 260 milhões de euros).

O novo pacote de apoio à OMS por parte da Alemanha será primeiro aprovado no parlamento, indicou Spahn, acrescentando que o Governo está otimista de que seja aprovado no início de julho.

Spahn também pressionou por melhorias na OMS, sublinhando que o aumento do financiamento da Alemanha é acompanhado com “a clara expetativa de que os desafios e as reformas necessárias sejam adequadamente tratadas”.

Na semana passada, um alto funcionário de Saúde europeu disse à Reuters que os governos europeus estão a trabalhar com os EUA nos planos de revisar a OMS, sinalizando que a Europa compartilha pelo menos algumas das preocupações que levaram Washington a anunciar que cortaria o seu financiamento à agência.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Multas de transportes públicos não são cobradas há três anos (e já chegam aos 17,6 milhões de euros)

As multas nos transportes públicos não estão a ser cobradas desde setembro de 2017 e já chegam a mais de 17,68 milhões de euros. As primeiras multas desde que foi alterado o regime de sanções, …

Football Leaks. PGR e FPF só souberam de ataques informáticos pela PJ

A Procuradoria Geral da República (PGR) e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) só souberam que tinham sido alvo de ataques informáticos através da Polícia Judiciária (PJ), revelou esta quinta-feira o inspetor José Amador no …

Governo prolonga prazo das moratórias até setembro de 2021. Portugal em contingência até 14 de outubro

O Conselho de Ministros decidiu prorrogar, esta quinta-feira, a vigência da situação de contingência em Portugal continental até às 23h59 de 14 de outubro. As moratórias de crédito foram prolongadas até 30 de setembro de …

Trump diz que diretrizes mais rigorosas para aprovação de vacina são “jogada política”

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse, esta quarta-feira, que a Casa Branca “pode ou não” aprovar novas directrizes da Food and Drug Administration. As novas diretrizes para aprovação de vacina contra a covid-19 exigem …

Maduro insta ONU a criar fundo que garanta alimentos e medicamentos

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, propôs que a Organização das Nações Unidas (ONU) crie um fundo rotativo de compras públicas para garantir o acesso a alimentos e a produtos de saúde, financiado com recursos …

Mais três mortes e 691 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 691 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da Direção-Geral de Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da …

2 em 1. Ryanair está a oferecer um voo na compra de outro (e é só hoje)

Já estava com saudades de viajar e conhecer novos países? A Ryanair não quer que lhe falte nada. A companhia aérea low cost lança uma promoção “inédita” e garante uma oferta 2 em 1. As …

Autarca de Almada diz que declarações sobre Bairro Amarelo foram descontextualizadas

A presidente da Câmara de Almada disse esta quarta-feira que as suas afirmações sobre o Bairro Amarelo surgiram em resposta a uma pergunta feita pelo Bloco de Esquerda (BE), considerando que foram descontextualizadas devido …

Vendas tardam em recuperar. Empresas pouco preparadas para mudanças

Um estudo do Banco de Portugal (BdP), publicado na quarta-feira, revelou que as empresas enfrentam um "cenário de recuperação muito gradual" do volume de negócios para níveis anteriores à pandemia e poucas estão preparadas para …

Hospital de Lisboa deixou entrar pessoas sem máscara

O Hospital da Luz, em Lisboa, permitiu a entrar e circulação de pessoas sem máscara dentro das instalações. O hospital garante que foi um "erro humano" e que não voltará a acontecer. A Rádio Renascença escreve, …