Adriano Moreira alerta para riscos de uma nova aposta na guerra após a pandemia

Miguel A. Lopes / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa, com Adriano Moreira na apresentação do seu livro “A Nossa Época – Salvar a Esperança”

O professor universitário Adriano Moreira alertou esta quinta-feira para os riscos de uma aposta na guerra após a pandemia de covid-19, tal como aconteceu com a guerra dos 100 anos, que se seguiu à peste negra, na Idade Média.

O ex-presidente do CDS participava na 20.ª Conferência Digital do Fórum da Energia e Clima, intitulado “Visão de Futuro”, que contou ainda com a participação do ex-primeiro-ministro de Cabo Verde José Maria Neves, do antigo Presidente de Moçambique Joaquim Chissano e do ex-chefe do Governo da Guiné-Bissau Domingos Simões Pereira.

Adriano Moreira, para quem “a ordem internacional está absolutamente violada”, mostrou-se apreensivo com o pós-covid-19, referindo-se à pandemia como “um ataque à saúde da humanidade”.

“Tal como aconteceu com a peste negra na Idade Média, é melhor não voltar a apostar na guerra”, disse, numa alusão à guerra dos 100 anos (1337-1453, entre a França e a Inglaterra), que se sucedeu à mais devastadora pandemia na história da humanidade.

O académico, que por várias vezes criticou a postura de Donald Trump, a quem chamou de líder da maior potência do mundo, levantou uma questão: “É razoável que o Mediterrâneo esteja a ser transformado num cemitério?”. ” Eu sei que há questões de segurança, mas ninguém pode transformar o Mediterrâneo num cemitério”, disse.

Entre as ameaças atuais, Adriano Moreira enumerou o “encanto especial que o Presidente dos Estados Unidos tem por criar muros”, mas também o estado dos Oceanos e o continente africano, longe do arco-íris sonhado por Mandela.

Na sua intervenção, o ex-presidente de Moçambique Joaquim Chissano enumerou as várias fragilidades deste país, devido à sua localização e aos fenómenos extremos que o assolam, como os ciclones, terramotos ou pragas de gafanhotos. Estes fenómenos, disse, têm sido de tal ordem e deixam um tamanho rasto de destruição que até inspiraram poemas e canções do povo moçambicano.

Por seu lado, o ex-primeiro-ministro de Cabo Verde José Maria Neves recordou como o arquipélago, desde a chegada dos portugueses, no século XV, tem sofrido os efeitos da seca, da escassez da água e da desertificação.

“Tivemos ao longo da nossa história períodos muito difíceis, como a seca, fomes, mortandades, e houve necessidade de uma emigração forçada para os cabo-verdianos buscarem no mundo melhores condições de vida”, disse.

Uma situação que se alterou “graças à ordem internacional emergente da II Guerra Mundial” que obrigou o estado português a tomar medidas para que Cabo Verde não continuasse a morrer à fome. Mas persistem as dificuldades, sobretudo devido à vulnerabilidade “do ponto de vista ecológico e económico”, comuns a países insulares como Cabo Verde, disse.

José Maria Neves defendeu a construção de “uma visão de futuro da África”.

Quem lidera países como o nosso, no estádio de desenvolvimento em que estão, precisa de uma visão de futuro, mas também de estratégias catalisadoras do processo para um desenvolvimento sustentável”, disse.

E acrescentou: “África pode dar um salto extraordinário neste século XXI, se tiver lideranças mobilizadoras”.

Domingos Simões Pereira, ex-primeiro-ministro da Guiné-Bissau, reconheceu a importância da ajuda dos países mais desenvolvidos, mas ressalvou: “Estamos mais centrados nos valores do que na necessidade de estabelecer prioridades do que é mais importante para as nossas populações”.

“Não podemos continuar a olhar para o impacto da nova estratégia para África, no pressuposto que os países mais desenvolvidos vão alocar algum do seu rendimento”, acrescentou.

Para Domingos Simões Pereira, “é preciso que África aprenda que uma África próspera não é só boa para os africanos. Temos de deixar de ser fardos, para ser um destino de oportunidades, de investimentos”.

// Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Adriano Moreira: Quando começou a Peste Negra já a Guerra dos Cem Anos tinha celebrado os seus primeiros 10 aninhos. Acrescenta-se que outra pandemia famosa, a Gripe Pneumónica, também conhecida por “Espanhola”, teve início no último ano da I Guerra Mundial.
    José Maria Neves: Recordo que, antes da chegada dos portugueses, Cabo Verde era um arquipélago desabitado, por isso, a “seca”, “escassez de água” e “desertificação” (quase sinónimos), não afetavam ninguém.
    Que dois!

    • Perfeitamente de acordo.
      Mas agora está na moda alterar a história para a ajustar ás conclusões que sejam politicamente correctas.
      E depois quando um encarregado de educação se opõe à tirania da opinião esquerdista dos valores da sociedade, chumbam-lhe os filhos. Na “noite negra do fascismo” com o Marcelo Caetano, a disciplina de Religião e Moral era optativa…
      E o Adriano Moreira fazia parte desse mesmo Governo. As voltas que o mundo dá!

  2. Chamaram-lhe Cabo Verde por ter muita vegetação o que daria, por certo, lugar a muita pluviosidade. Mas, após a descoberta, muita dessa vegetação foi arrancada para servir para a construção naval daí a desertificação. Acontecerá o mesmo com a península ibérica não por causa da construção naval mas dos incêndios.

    • Chamou-se Cabo Verde a esse arquipélago pela sua proximidade com o Cabo Verde, hoje Cap-Vert pertencente ao Senegal. Este Cabo Verde é um cabo na costa ocidental africana descoberto em 1444 por Dinis Dias que lhe atribuiu o nome devido à sua densa vegetação. O Arquipélago de Cabo Verde foi descoberto em 1460 e tem um clima semi árido, com uma temperatura média anual entre 20 e 25º C.

RESPONDER

Bilardo foi "distraído" para não saber da morte de Maradona

Carlos Bilardo continua sem saber que Diego Maradona morreu. Família tenta proteger saúde do antigo selecionador argentino. Diego Armando Maradona morreu em novembro e Carlos Bilardo continua sem saber desse falecimento. A família tenta proteger a …

Processo de envelhecimento é imparável, revela estudo

Um novo estudo, que envolveu cientistas de 14 países, confirmou que provavelmente não podemos diminuir a velocidade com que envelhecemos, devido a restrições biológicas. A pesquisa, publicada na quarta-feira na Nature Comunications, inclui especialistas da Universidade …

Inglaterra 0-0 Escócia | Nulo total no dérbi britânico

A Inglaterra empatou hoje 0-0 com a Escócia, em jogo da segunda jornada do Grupo D do Euro 2020 de futebol, e desperdiçou a oportunidade de garantir já um lugar nos oitavos de final do …

Infeção pelo coronavírus pode não garantir proteção prolongada, revela estudo

Um novo estudo britânico sugere que uma infeção pelo SARS-CoV-2 não garante que o hospedeiro desenvolva uma resposta imunitária prolongada contra o vírus, sendo a imunidade "altamente variável de pessoa para pessoa". Segundo a pesquisa do …

Ex-ministro da Bolívia planeou um segundo golpe usando mercenários dos EUA

O vazamento de gravações telefónicas e e-mails revelam que um ex-ministro da Defesa boliviano estava a preparar-se para usar tropas estrangeiras para impedir que o partido de esquerda MAS regressasse ao poder. Os documentos e registos …

Espécie rara de orquídea encontrada em telhado de banco de investimentos em Londres

Uma espécie rara de orquídea, que se acredita estar extinta no Reino Unido, foi descoberta no jardim do telhado de um banco de investimentos em Londres. Segundo o The Guardian, a Serapias parviflora, uma espécie rara …

Pintura de David Bowie comprada por três euros vai agora ser leiloada por milhares

A pintura do ícone do rock, David Bowie, deverá ser vendida por milhares de dólares num leilão de arte online. O retrato, intitulado "DHead XLVI", faz parte de um conjunto de aproximadamente 47 obras que David …

Vila Nova de Milfontes vai ter praia para cães

A praia pet friendly, que fica próxima de Furnas-Rio, vai funcionar já esta época balnear de forma experimental. Uma praia concessionada que também admite cães vai funcionar, nesta época balnear, de forma experimental, em Vila Nova …

Podia ser um quadro de Dalí, mas é só o degelo glacial na Islândia

Na Islândia, o degelo glacial criou uma paisagem deslumbrante que o fotógrafo espanhol Manuel Ismael Gómez de Almería não deixou passar em branco. Faz lembrar a arte surrealista de Salvador Dalí, mas é uma versão ampliada …

Digby, o cão dos bombeiros, ajudou a salvar uma mulher do suicídio

O cão Digby desempenhou um importante papel ao salvar uma mulher que estava a ponderar pôr fim à sua própria vida no Reino Unido. Digby é um cão terapeuta que ajuda as pessoas a lidar com …