/

“Quero o meu bife”. Sem máscara e sem certificado, virologista Pedro Simas barrado à porta do Snob

31

CV YouTube

Virologista Pedro Simas

O virologista Pedro Simas.

O virologista Pedro Simas, um dos rostos dos cientistas que têm aconselhado os portugueses quanto à covid-19 nas televisões, foi barrado à porta do restaurante Snob, em Lisboa, porque se recusou, alegadamente, a apresentar o certificado digital de vacinação. E estaria sem máscara.

“Sem máscara e sem certificado”. Foi assim que Pedro Simas se apresentou à porta do Snob, um famoso bar e restaurante em Lisboa que é bastante frequentado por políticos e outras figuras públicas, conforme relata a revista Sábado.

A publicação nota que o virologista, que também é assessor para a Saúde na Câmara de Lisboa, queria entrar no restaurante apenas com um cartão de vacinação, sem apresentar o certificado digital. “Alegava que tinha sido vacinado recentemente e que o certificado ainda não estava actualizado”, refere a publicação.

Quero o meu bife. Vim aqui de propósito para comer o meu bife”, terá desabafado Pedro Simas, “em tom exaltado”, de acordo com a mesma fonte, perante a insistência da filha do proprietário de que não podia entrar sem o certificado digital.

“Já estou a ficar irritado”, terá lamentado ainda Pedro Simas perante a filha da dona do Snob, “feita porteira contrariada”, como atira a Sábado.

A revista tentou falar com o virologista sobre o caso, mas este não quis prestar declarações.

Ao longo do combate à pandemia de covid-19, Pedro Simas tem sido um dos rostos mais reconhecidos dos portugueses como um dos cientistas que fala do vírus com conhecimento.

Contudo, algumas das suas opiniões têm sido contestadas por outros cientistas. Há quem o defina como “vaidoso” e “precipitado”, considerando que tem “vontade de comentar tudo”, conforme uma reportagem da Sábado de 25 de Agosto de 2021.

Em Outubro de 2021, em entrevista ao programa de Manuel Luís Goucha na TVI, assumiu que não concorda com “o uso de máscaras em certos espaços”, referindo, nomeadamente, pavilhões desportivos e salas de espectáculos.

Mas também notava que “temos que seguir as regras da Direcção Geral de Saúde” e que “elas existem por algum motivo”. “Eu sou 100% a favor de seguir as regras”, sublinhava ainda, considerando, contudo, que algumas “não fazem sentido de um ponto de vista científico”.

Em Agosto de 2021, o virologista esteve envolvido numa publicidade polémica em que anunciava lentes lentes oftálmicas da marca Zeiss que eliminariam “99,9% dos vírus e bactérias potencialmente nocivos da superfície”.

Segundo o jornal Público, a publicidade acabou por ser suspensa após deliberação da Auto Regulação Publicitária (ARP), por se ter concluído que essa informação não era verdadeira e que poderia influenciar de “forma abusiva o consumidor”.

Segundo o JN, a entidade de regulação publicitária considerou que a campanha  seria ilegal por violar o código da publicidade, que impede que se “faça referência a uma recomendação emanada por cientistas, profissionais de saúde ou outra pessoa que, pela sua celebridade, possa incitar ao consumo de dispositivos médicos”.

Pedro Simas é investigador no Instituto de Medicina Molecular desde 2004 e fez um doutoramento em Patogénese viral na prestigiada Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

  ZAP //

31 Comments

  1. Começa a campanha difamatória… mais ,meia dúzia de dias e ele é ‘negacionista’… sugeriu o fim da ‘pandemia’ e agora há que lhe destruir a imagem… é modus operandi habitual.

  2. Este tipo de “personagens”, procuram mais o protagonismo mediático e histérico, que serem verdadeiros cientistas !……….Está a favor de seguir a 100% as regras, mas recusa-se a aplica-las…….tirem as conclusões a cerca deste Individuo !

  3. Ele não abandonou o barco. Está a abrir a porta para controlarem a alteração à narrativa oficial.
    Olhem para o que se está a passar no Canada, Alemanha, Austria, Suécia, Bruxelas, França, gente na rua quase todos os dias.
    O pessoal está farto e está a acordar.
    O simas é a cadeia que vai à frente para controlarem alteração da narrativa.
    P:S: esqueceram-se dizer que a formação universitária de base deste ilustre senhor é Veterenária

  4. Tanta asneira! O Pedro Simas não anunciou lentes de contacto da Zeiss com antivírus, falou isso sim em lentes oftálmicas Zeiss com essas propriedades. E a campanha não foi suspensa!

    • Caro leitor,
      Obrigado pelo seu reparo. A referência ao tipo de lentes anunciadas foi corrigida.
      Mantemos a informação de que a campanha foi suspensa pela ARP, por violar o código da publicidade.

      • Insisto, a campanha não foi suspensa. Nem podia, porque não foi violado nenhum código, a campanha continua activa nos meios habituais. Como poderia ser o anúncio a um produto suspenso em Portugal, quando o mesmo está disponível noutros países europeus, e que saiba nunca foi levantada qualquer questão acerca da eficácia do antivírus. Lá porque o Pedro Simas não quis ver o seu nome associado a polémicas , não significou que q campanha terminou nem as propriedades do produtos foram postas em causa

  5. Mas quando é que há algum sentido em necessitar de certificado digital para ir comer a p*ta dum bife?? Lá por estar vacinado significa que não transmite o vírus? O Dr. Pedro Simas com certeza está mais qualificado para contestar estas absurdas regras discriminatórias do que a filha do dono lá desse bar ou do que o senhor.

    • Não deixam de ser regras quer se goste ou não, só tinha de cumprir, mas pelos vistos achou quer era demasiado importante para cumprir a lei…

  6. Não sei se repararam na frase que ele diz que foi vacinado há pouco tempo por isso apresenta o cartão de vacinação em vez do certificado. Ora, ISTO SÃO EXATAMENTE AS REGRAS! Que raio querem que ele apresente? Eu fui vacinado na quinta-feira e a enfermeira disse-me explicitamente “o certificado só vai estar disponível daqui a 14 dias, até lá o cartão conta como prova”

  7. Apenas reagiu assim pk foi impedido de usufruir de um serviço,algo q vai contra q lei e democracia portuguesa!!!
    Se chamasse a polícia e invocasse a constituição portuguesa teria toda a razão.

  8. O menino birrento chegou e disse: “Quero o meu bife”.
    E tem toda a razão! Eu até já ouvi doentes num hospital a dizer uma frase um pouco parecida: ” Quero viver! ”
    Simas, estavas tão bem a tratar vacas leiteiras no estábulo.

  9. Este Pedro Simas devia ser bruxo não virologista ,porque disso não percebe nada ,já anunciava há quase 1 ano atrás que a pandemia tinha acabado, que se iam acabar com as máscaras no máximo em verão de 2021
    Quando ouço este a falar e tão ridículo ,não percebe nada de nada ,só diz asneiras ,não acerta uma .
    A culpa e da TVI que gosta de dar protagonismo a malucos ,este devia ser internado ,porque e perigoso as declarações irresponsáveis dele ,ainda por cima diz que e virologista ,já se provou com o tempo que para bruxo não tem jeito nenhum muito menos para virologista.
    Por favor abram os olhos ,este sr não tem inteligência nem para plantar batatas ,quando mais virologista ou comentador .Eu não estou dar uma opinião ,isto são factos ,tudo o que ele disse revelou se não ser verdade ,portanto ele não percebe absolutamente do que faz ou diz .Está do restaurante e mais uma prova da sua estupidez e um pessimo exemplo .
    As televisões e as entidades que o empregam tem que despedir de imediato este ignorante ,idiota ,imbecil , irresponsável.

    Revolta me tanto ver pessoas assim que quando não sabem ,inventam ,ainda por cima dão lhe tempo antena que nao merece

  10. Não podia ter escolhido um restaurante com um nome mais apropriado ao seu estilo! Então este sr. acha que está acima da lei e de toda e qualquer suspeita? Andou a lavar-nos o cérebro, durante todo o tempo da pandemia, e agora desobedece ao que estabeleceu?! Enfim, contraditório como o sr Boris. Bem prega frei Tomás, olha para o que ele diz e não para o que ele faz !

  11. Para estar “certíssimo” tinha que se escrever com dois “s”, José!. Trata-se de um superlativo absoluto simples!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE