Criticar Governo durante a pandemia de Covid-19 “não é patriótico”, escreve Rio aos militantes

João Relvas / Lusa

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio

O líder do Partido Social-Democrata (PSD), Rui Rio, falou aos militantes sobre os tempos difíceis que se avizinham depois da paragem económica forçada, frisando que o partido disse sempre “presente” nas graves crises, numa carta que lhes dirigiu na terça-feira.

“Portugal e o mundo em geral vivem uma situação única na história da Humanidade. Não porque a Covid-19 seja a primeira pandemia de sempre, mas porque, por força da globalização, ela ocorre, pela primeira vez, praticamente em simultâneo em todo o mundo”, começou por dizer Rio, defendendo a união e a solidariedade no atual contexto.

O líder do PSD aproveitou para apontar os que criticam cedem “à tentação de agravar os ataques aos governos em funções”, considerando que o aproveitamento partidário das fragilidades políticas “não é, neste momento, uma postura eticamente correta”, nem “uma posição patriótica”.

“O que as pessoas querem (e bem!) é eliminar o vírus o mais depressa possível, dispensando uma instabilidade política que só dificulta o que já, de si, não é fácil de resolver”, sublinhou.

Rio lamentou que na vida política nem sempre seja possível a união contra o inimigo comum, que, em conjunto com a solidariedade, são indispensáveis “de molde a que o país consiga enfrentar este combate com o menor número de vítimas e o menor desconforto possível”, enfatizando a atitude cooperante que tem tido enquanto líder da oposição.

E acrescentou: “Dos ecos que me vão chegando, concluo que a maioria dos nossos militantes tem também apoiado e assumido esta postura, o que não só me satisfaz, como muito me orgulha. Ver o nosso partido com sentido de Estado e da responsabilidade, é vê-lo a honrar o seu passado e a pôr Portugal à frente de tudo o mais”.

Antes de se despedir com “um abraço social-democrata”, salientou os tempos difíceis que se aproximam, destacando que o PSD disse sempre “presente” nas graves crises que o país enfrentou no passado. Agradeceu ainda o apoio dos militantes, cuja “grande maioria” continua “a estar à altura das suas responsabilidades”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. «…O que as pessoas querem (e bem!) é eliminar o vírus o mais depressa possível, dispensando uma instabilidade política que só dificulta o que já, de si, não é fácil de resolver…» – Rui Rio in ZAP aeiou

    Sr. Rio, a doença do coronavírus covid-19 é uma falsa pandemia de acordo com a comunidade médica e científica a nível internacional.

    A Tuberculose por exemplo, provoca cerca de 1 Milhão e 293 000 mortos por ano, ou seja 107 750 mortos por cada mês, uma média de 3542 mortos por dia, e ninguém quer saber, não se decreta o estado de emergência nem se coloca os cidadãos em prisão domiciliária.

    O que as pessoas realmente querem é voltar ao seu dia-a-dia normal, que já era difícil devido à corrupção, ao desemprego, e à crise económica que já se fazia sentir em 2018.

    «…à tentação de agravar os ataques aos governos em funções…»

    Os cidadãos entendem onde quer chegar, se neste momento fizesse oposição às infundadas medidas decretadas pela presidência da República e o governo, seria estar a fazer aquilo que os seus opositores, o poder financeiro/clerical, e o partido socialista, pretendem, para depois apontarem-lhe o dedo.

    No entanto é preciso começar a cerrar fileiras contra o golpe de Estado que está em curso ocultado com a doença do coronavírus covid-19, quem tem como objectivo destruir a liberdade individual do cidadão, o Estado de Direito Democrático, e a República, sendo imperioso que as infundadas medidas de estado de emergência, cordão sanitário, isolamento social, distanciamento social, e quarentena, sejam levantadas e os seus responsáveis chamados a responder pelas mesmas.

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado e Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …