Suicídio entre militares norte-americanos aumenta 20% em época de covid-19

Os suicídios entre os militares subiram 20% este ano em comparação com o mesmo período de 2019, registando-se um aumento nos incidentes de comportamento violento à medida que as tropas lutam contra a covid-19 e enfrentam deslocações para zonas de guerra, desastres nacionais e agitação civil.

Segundo noticiou o Washington Post, embora os dados sejam incompletos e as causas dos suicídios complexas, oficiais do Exército e da Força Aérea norte-americana acreditam que a pandemia está a adicionar stress aos militares, que, normalmente, já estão sob tensão.

À Associated Press, responsáveis do Exército disseram que estão a tentar encurtar as deslocações de combate, parte de um plano que visa aumentar o bem-estar dos soldados e das suas famílias, objetivo esse que ultrapassa outras medidas associadas à prontidão para o combate e à modernização das armas.

O Pentágono recusou-se a fornecer dados de 2020 ou a falar sobre o assunto, mas oficiais do Exército indicaram que os relatórios do Departamento de Defesa apontam para um aumento de até 20% no total de suicídios militares este ano. Os números variam de acordo com o serviço, tendo Exército registado um aumento de 30%.

Os responsáveis do Exército disseram que não podem apontar diretamente o dedo ao vírus, mas o momento coincide. “Não posso afirmar cientificamente”, mas “posso dizer que os números aumentaram em questões relacionadas à saúde comportamental”, referiu à Associated Press o secretário do Exército, Ryan McCarthy.

“Não podemos dizer com certeza que é por causa da covid-19. Mas há uma correlação direta”, mostrando que, “quando o covid-19 começou, os números realmente aumentaram”, acrescentou, referindo-se aos suicídios, homicídios e outros comportamentos violentos por parte de militares do Exército.

Os dados preliminares para os primeiros três meses de 2020 mostraram uma queda geral nos suicídios de militares no ativo e na reforma, em comparação com o mesmo período de 2019. Esses números iniciais refletiam uma diminuição nas mortes na Marinha e na Força Aérea. Contudo, na primavera, os números voltaram a subir.

A “covid-19 acrescenta stress”, disse o general Charles Brown, chefe da Força Aérea. “Do ponto de vista do suicídio, estamos num caminho para ser tão ruim quanto no ano passado. E isso não é apenas um problema da Força Aérea, é um problema nacional porque a covid-19 adiciona fatores de stress”, como o medo do desconhecido, frisou.

A Força Aérea ativa e na reforma contava, a 15 de setembro, com 98 suicídios, o mesmo número registado no período homólogo do ano passado. Contudo, ao nível de suicídios na Força Aérea ativa, o ano passado foi o pior em três décadas.

Relativamente às taxas de suicídio de civis, estas têm aumentado nos últimos anos. Os dados de 2020, no entanto, não estão disponíveis, impossibilitando a comparação com os militares. Um relatório do Pentágono, com dados de 2018, mostrava que a taxa de suicídio entre militares era equivalente à da população geral norte-americana.

Para James Helis, diretor dos programas de resiliência do Exército, o isolamento relacionado ao vírus, a crise financeira, o ensino à distância e o encerramento dos infantários tem afetado as militares e as suas famílias. “Sabemos que as medidas que tomamos para mitigar e prevenir a disseminação da covid-19 podem potenciar alguns dos fatores que podem levar ao suicídio”, indicou.

Os responsáveis do Exército disseram igualmente que as tropas estão sob pressão devido a quase duas décadas de guerra. As deslocações, agravadas pelo vírus, furacões, incêndios florestais e missões para controlar a agitação civil, têm cobrado o seu preço.

O general James McConville, chefe do Estado-Maior do Exército, afirmou que uma das medidas em vista é dar aos militares “o tempo de que precisam para se reunirem e se recuperarem”. “Há quatro anos, estávamos muito focados na prontidão porque tínhamos alguns desafios de prontidão e fizemos um ótimo trabalho. A força está muito, muito pronta agora. Acho que agora é hora de focar nas pessoas”, disse à Associated Press.

O isolamento também está a afetar os veteranos, principalmente os que foram feridos. Sergio Alfaro, que serviu no Exército durante quatro anos e meio, contou que os temores associados ao vírus intensificaram o seu Transtorno de Stress Pós-Traumático e os seus pensamentos suicidas.

“É definitivamente algo que tornou as coisas um pouco mais caóticas, tentar planear o futuro, fazer coisas juntos”, apontou Alfaro, que esteve destacado em Bagdade em 2003. “É quase como adicionar mais lixo à pilha”, sublinhou.

Se antigamente temia que estranhos o pudessem magoar nas ruas, agora receia que as pessoas possam ter a covid-19 e não terem sintomas. Outros veteranos “estão fartos de viver desta maneira, preocupados com o que está por vir, qual a próxima coisa horrível que teremos de enfrentar”, acrescentou.

Roger Brooks, especialista em saúde mental do Wounded Warrior Project, detalhou que os veteranos têm relatado um aumento nos pensamentos suicidas e na ansiedade, com antigos militares a sentirem-se mais isolados e incapazes de contactar com os grupos de apoio. Muitos viram interrompidas as consultas para controle da dor e outros tratamentos.

Dentro do Exército, Helis disse que o vírus levou a um aumento nas consultas ‘online’, algo que vê como positivo. “Houve também uma redução no estigma de buscar ajuda na saúde comportamental, porque se pode fazer isso a partir de casa”, afirmou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …

"Cibermáfia". Rede de criminosos "lavou" milhões de euros em Bancos portugueses

Uma rede de criminosos com origem na Europa de Leste montou um esquema de lavagem de dinheiro roubado em ataques informáticos através de Bancos de países como Portugal. Esta "cibermáfia", como é apelidada pelo Jornal de …

Diplomatas chineses e taiwaneses entram em confronto físico nas ilhas Fiji

Diplomatas da China e funcionários do Governo de Taiwan entraram em confronto físico durante uma receção nas ilhas Fiji, que marcou o dia nacional de Taiwan, ilustrando a crescente tensão entre Pequim e Taipé. A luta …

Mais 1.949 infetados, 17 mortes e 966 recuperados. Portugal passa barreira dos 100 mil casos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.949 casos de covid-19, 17 mortes associadas à doença e 966 recuperados, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde publicado esta segunda-feira. O número total de infeções …

Lagarde defende que o fundo de recuperação se torne permanente (e admite mais estímulos)

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, defendeu, em entrevista ao Le Monde, que o Fundo de Recuperação se torne uma ferramenta permanente. Em entrevista ao jornal francês Le Monde, citada pela Bloomberg, Christine …