“Temos dinheiro”. 83 multimilionários querem pagar mais impostos para ajudar a economia

Um grupo de 83 multimilionários de sete países escreveu uma carta aberta onde instam os seus governos a aumentar os impostos sobre os mais ricos, de forma a que possam ajudar na recuperação da crise provocada pela pandemia.

Na carta aberta, os 83 multimilionários dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Nova Zelândia, Alemanha, Dinamarca e Holanda, pedem que lhes sejam aplicados impostos mais avultados, considerando ser este o único caminho para apoiar a recuperação da economia mundial depois da crise provocada pela pandemia cujos efeitos poderão prolongar-se durante muitos anos.

“À medida que a covid-19 atinge todo o mundo, milionários e bilionários como nós têm um papel importante a desempenhar no mundo”, lê-se na missiva assinada por nomes como Abigail Disney (produtora de filmes), Jerry Greenfield (um dos fundadores da Ben and Jerry’s) e Mariana Bozesan (investidora em startups e filantropista), de acordo com o jornal britânico The Guardian.

“Mas temos dinheiro, muito. Dinheiro que é extremamente necessário agora e que vai continuar a ser necessário nos próximos anos, à medida que o mundo recupera desta crise. Hoje, nós, milionários que assinamos esta carta, pedimos aos nossos governos que subam os impostos sobre pessoas como nós. Imediatamente. Substancialmente. Permanentemente”, lê-se.

O grupo de milionários acredita que os efeitos da crise vão perdurar durante décadas, deixar milhares de pessoas em situação de pobreza e centenas de milhões vão ficar desempregadas. O grupo recorda ainda as crianças sem acesso aos recursos educativos e a falta de camas nos hospitais, máscaras e ventiladores.

“Os líderes dos Governos têm de assumir a responsabilidade de captar os fundos necessários e gastá-los de uma forma justa. Podemos assegurar que financiamos de forma adequada os nosso sistemas de saúde, educação e de segurança através de um aumento dos impostos permanente sobre as pessoas mais ricas do planeta, pessoas como nós”.

“Ao contrário de dezenas de milhões de pessoas por todo o mundo, não temos de nos preocupar com [a possibilidade] de perdermos o emprego, as nossas casas ou a nossa capacidade de sustentar as nossas famílias.Por isso, por favor. Tributem-nos. Tributem-nos. Tributem-nos. É a escolha certa. É a única escolha. A humanidade é mais importante que o nosso dinheiro”, rematam.

Para o grupo de 83 milionários, “é necessário reequilibrar o mundo antes que seja demasiado tarde”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Ás vezes ainda aparecem algumas coisas que mostram que ainda existe uma réstia de esperança na humanidade, infelizmente são cada vez mais raras mas ainda vão aparecendo!

RESPONDER

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …