/

Médicos alemães ficam mais seis semanas em Portugal. França envia profissionais para o Garcia da Orta

Giuseppe Lami / EPA

A equipa clínica alemã, formada por 26 profissionais de saúde, que chegou a Portugal no início de fevereiro para ajudar a combater a pandemia, vai permanecer no país por mais seis semanas, anunciou esta sexta-feira a ministra da Defesa germânica.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A governante alemã Annegret Kramp-Karrenbauer utilizou a sua conta na rede social Twitter para revelar que a decisão foi tomada em concordância com os ministros portugueses da Defesa, João Gomes Cravinho, e da Saúde, Marta Temido.

“Iremos apoiar Portugal por mais seis semanas. Permanecemos juntos na Europa”, escreveu a ministra, sublinhando que a ajuda que está a ser prestada pelos profissionais de saúde germânicos “é muito apreciada” em Portugal, que enfrenta um período crítico na luta contra a pandemia de covid-19.

A missão alemã, formada por 26 profissionais de saúde (entre os quais seis médicos), que chegou a 3 de fevereiro a Portugal está a trabalhar no Hospital da Luz, em Lisboa, e trouxe 40 ventiladores móveis e 10 estacionários, 150 bombas de infusão e outras tantas camas hospitalares.

Inicialmente, foi comunicado que os profissionais de saúde alemães iriam permanecer no país “durante um período de três semanas, estando prevista a sua substituição a cada 21 dias, até ao final de março”, caso fosse necessário”.

França envia quatro profissionais de saúde

De acordo com o semanário Expresso, a embaixada de França em Portugal anunciou que o Governo português “aceitou a proposta de colaboração” do Executivo francês para apoiar a resposta à crise sanitária

França vai enviar quatro profissionais de saúde, nomeadamente médica urgentista especializada em cuidados intensivos, duas enfermeiras anestesistas e uma enfermeira lusófona, que vão juntar-se à Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Garcia de Orta, em Almada, a partir de 15 de fevereiro, por um período inicial de 15 dias.

“A situação sanitária em Portugal levou a um conjunto de reações de solidariedade por parte de vários parceiros europeus”, lê-se na nota da embaixada francesa enviada às redações. “A ajuda da França, que mantém com Portugal relações estreitas e de amizade, inscreve-se no âmbito desta solidariedade europeia natural, face a um vírus que só será eficazmente derrotado por meio da cooperação e da unidade internacional.”

A embaixada reconhece ainda que França “foi objeto de iniciativas de solidariedade durante a primeira vaga do vírus na primavera passada”, beneficiando da ajuda de vizinhos europeus. “Da mesma forma, França oferece agora apoio a um parceiro europeu que atravessa um momento crítico e mantém-se atenta às suas possíveis necessidades”.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.