Quase nenhum dos presos libertados devido à covid-19 voltou a cometer crimes

Apenas 24 dos 1.314 indivíduos libertados das cadeias (1,8%) devido à pandemia de covid-19 voltou a cometer crimes e regressou ao sistema prisional.

Devido à pandemia de covid-19, mais de dois mil presos foram libertados através de perdões e licenças. Na altura, a decisão foi muito contestada, temendo-se que muitos deles voltassem a reincidir na prática de crimes.

Agora, o Jornal de Notícias escreve que apenas 24 dos 1.314 indivíduos libertados das cadeias (1,8%) voltou a cometer crimes e regressou ao sistema prisional.

Ao todo, incluindo as 703 licenças extraordinárias e os 14 indultos presidenciais, a nova lei franqueou as portas das cadeias a um total de 2.031 reclusos. Deste universo, 4% foram forçados a regressar à prisão devido ao cometimento de novos crimes ou incumprimento de obrigações, como por exemplo de confinamento domiciliário.

“A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais [DGRSP] tem como particularmente positiva a aplicação da lei 9/2020“, avalia o organismo dirigido pelo magistrado do Ministério Público Rómulo Mateus.

Os retornos dos 24 ex-reclusos à prisão “tiveram na sua génese, essencialmente, crimes patrimoniais (furto e roubos) e crimes rodoviários”, a mesma tipologia de crimes pelos quais estavam a cumprir pena quando foram libertados.

“Os números desmentem aqueles cenários apocalípticos que foram desenvolvidos por algumas forças: de que era pôr cá fora bandidos que iam causar um pandemónio social”, disse o dirigente comunista Rui Fernandes ao JN.

O regime excecional de libertação de presos, no âmbito da pandemia de covid-19, permite a concessão de um perdão parcial de penas até dois anos, define um regime especial de indulto, autoriza saídas administrativas extraordinárias e a antecipação excecional da liberdade condicional.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. muitas vezes, somos criminosos sem querer, muitas vezes porque a propria vida nos encaminha de modo persistente para isso. a sociedade tem por dever proteger-se, julgando, condenando, mas não deve perder de vista o arrependimento e assim sendo, procurar inserir na sociedade esses prevericadores. nesta perspetiva, para mim, essa forma deve ser regularmente aplicada a quem quer quer seja, pois todos nos temos a possibilidade de nos regenerarmos e nos tornarmos uteis novamente a sociedade, nao precisando de estar presos, onde em nada somos uteis. bem haja a medida tomada….como digo..deve ser praticada mais vezes e com regularidade

RESPONDER

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …