/

China confinada, Alibaba agradece

1

EPA/Shan Shi China Out

Fila num hospital temporário em Shanghai

Mais casos de coronavírus, regresso aos confinamentos e chineses passam a gastar mais dinheiro no mundo online.

A COVID-19 voltou a “atacar” na sua origem, nos últimos meses. A China voltou a registar números elevados e há mesmo caso de recordes em toda a pandemia.

Mais casos de coronavírus, regresso aos confinamentos, cidades fechadas, comércio parado em alguns casos e economia afectada, mais uma vez.

Ainda nesta semana, Li Keqiang, primeiro-ministro da China, avisou que a economia do país asiático foi mais afectada nestes últimos confinamentos do que em 2020, o primeiro ano (completo) do mundo “fechado”.

Na China há regiões onde apenas 30% das empresas estão abertas. “E essa proporção deve ser aumentada para 80% em breve”, alertou Li Keqiang.

Empresas fechadas, a vida lá fora parada…os chineses passaram (ou voltaram) a gastar mais dinheiro no mundo online.

A empresa Alibaba, uma das maiores no comércio realizado através da internet, apresentou nesta quinta-feira o seu relatório de contas relativo ao último trimestre – e os lucros e as vendas ficaram bem acima do previsto, com uma subida de 9% comparando com o ano anterior.

Logo a seguir à divulgação das estatísticas, as acções da empresa subiram quase 15%, indica a CNN Brasil.

A Alibaba reforça estes números ao anunciar que passou a ter mais de 1 mil milhão de clientes activos, só tendo em conta residentes na China. Nunca tinha atingido este registo, num país que tem cerca de 1.45 mil milhão de habitantes.

Ou seja, mais de dois terços dos chineses são clientes activos na Alibaba.

E recorde-se que este recorde chega numa altura em que os transportes de mercadorias estão muito condicionados na China, quer por causa da pandemia, quer por causa da guerra na Ucrânia. Mas a empresa esperava melhorias nesse sector já neste mês, Maio.

As categorias que registaram maiores subidas na plataforma foram: bens essenciais (alimentos e produtos de higiene), assistência médica, roupas desportivas e acessórios para actividades ao ar livre.

No outro extremo, os chineses deixaram de procurar tantos produtos electrónicos e de moda.

JD.com e Baidu, respectivamente empresa de comércio online e motor de busca, também apresenraram lucros maiores do que os previstos, no início de 2022.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

1 Comment

  1. O negócio Covid está bem montado e veio para ficar por muitos anos.
    Continuem a tomar a sopa experimental que fazem bem.
    Quanto mais se vacinam mais se infectam e morrem.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.