Consumo de álcool aumentou durante a pandemia de covid-19

Embora o consumo de álcool tenha aumentado mais entre os jovens, os adultos mais velhos, sobretudo os que sofrem de ansiedade e depressão, também revelaram estar dentro desta tendência.

“O aumento do consumo de álcool, especialmente entre pessoas com ansiedade e depressão, enaltece as preocupações de que a pandemia pode estar a desencadear uma epidemia de uso problemático de álcool”, disse a principal autora do estudo, Ariadna Capasso.

De uma forma geral, as pessoas costumam beber para lidar com o stress ou com situações consideradas traumáticas. A prova disso, é um estudo realizado em 2002, que descobriu que um quarto dos nova-iorquinos aumentou o seu consumo de álcool após os ataques terroristas de 11 de setembro.

Numa altura em que a pandemia de covid-19 criou muitos fatores de stress, incluindo o isolamento e interrupção de rotinas, dificuldades económicas ou doenças, vários estudos sugerem que estes fatores levaram a que as pessoas bebessem mais durante os últimos meses.

Os indivíduos com problemas de saúde mentais são particularmente suscetíveis ao aumento do uso de álcool durante situações adversas. Para entender o impacto da pandemia neste grupo, os investigadores criaram uma pesquisa online entre março e abril de 2020.

Os especialistas questionaram aos participantes quais eram os seus hábitos de consumo de álcool durante a pandemia, reuniram informações demográficas e analisaram os sintomas de depressão e ansiedade com base em auto-relatos, cita o Futurity.

Dos 5.850 envolvidos que disseram beber, 29% admitiram aumentar o uso de álcool durante a pandemia, enquanto 19,8% revelaram beber menos, e os restantes 51,2% afirmaram que não houve nenhuma mudança nos seus padrões de consumo.

Segundo o estudo, publicado na revista Science Direct, a escolha entre beber mais ou menos variou com a idade. Em geral, os adultos mais jovens, ou seja, com menos de 40 anos, foram os mais propensos a um aumento do uso de álcool (40%) durante a pandemia, em comparação com a faixa etária que engloba idades entre os 40 e os 59 anos (30%) e adultos com mais de 60 anos (20%).

No entanto, os adultos mais velhos e com sintomas de ansiedade e depressão foram duas vezes mais propensos a beber mais durante a pandemia em comparação com os adultos mais velhos sem problemas de saúde mental.

“As conclusões que tiramos com as situações anteriores, mostram-nos que intervir precocemente para o uso de substâncias não saudáveis ​​é fundamental, e pode ajudar a diminuir o impacto da pandemia na saúde mental”, realça Ralph DiClemente, um dos autores do estudo.

Neste sentido, a equipa de pesquisa aconselha a que haja uma maior procura dos serviços de saúde mental durante a pandemia de covid-19.

Ana Isabel Moura Ana Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Deco avança para tribunal contra Apple por manipulação de desempenho dos iPhones 6

A Deco Proteste anunciou esta segunda-feira que avançou com uma ação judicial contra a Apple, acusando-a de práticas enganosas por ter manipulado os iPhones 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus para se tornarem obsoletos …

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Nota artística: pouco Festival no FC Porto-Sporting

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/fc-porto-0-0-sporting-o-musical Está bem: Futebol Clube do Porto contra Sporting Clube de Portugal. Segundo classificado recebe o líder. Jogo que pode praticamente definir o novo campeão nacional de futebol. O encontro é naquele estádio junto ao centro …

Índia e Paquistão comprometem-se a respeitar cessar-fogo em Caxemira

Na quinta-feira, o Paquistão e a Índia alcançaram um acordo para fazer cumprir o cessar-fogo na região de Caxemira, reivindicada pelos dois países. A fronteira entre ambos é palco frequente de ataques que deixam soldados …

Governo quer rever norma da dádiva de sangue que exclui homossexuais

O Governo determinou, esta segunda-feira, a constituição de um grupo de trabalho para rever a norma que exclui dadores "por comportamento sexual". De acordo com o SAPO24, o Ministério da Saúde determinou a constituição de um …

Governador de Nova Iorque volta a ser acusado de assédio sexual

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, foi acusado por outra ex-assessora de assédio sexual, que foi sua assistente executiva e conselheira de políticas de saúde até novembro do ano passado. Segundo noticiou no sábado o New …

Francisco Assis alerta Governo para riscos das raspadinhas

O presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, vai promover um estudo sobre o impacto social do vício da raspadinha e informar o Governo, na esperança de que este repondere o lançamento da …

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …