//

“Portugal é tão preocupante como Índia e Brasil” (segundo especialista belga)

8

A pandemia de covid-19 está, novamente, a ganhar terreno em Portugal devido ao predomínio da variante Delta. Um progresso preocupante que leva uma infecciologista belga a comparar a situação do nosso país a Índia e Brasil, desaconselhando viagens para o território nacional.

As viagens para Portugal são “um factor de risco importante”, considera a infecciologista belga Erika Vlieghe, presidente do grupo sanitário GEMS que aconselha as autoridades da Bélgica nas questões da pandemia.

Erika Vlieghe entende que a situação em Portugal é “tão preocupante como a da Índia, do Brasil e da África do Sul”, conforme declarações a uma Rádio belga citadas pelo jornal Le Soir.

A especialista nota que estes são países onde as novas variantes já dominam, concluindo que são, por isso, destinos de risco.

“Há uma lista de países onde circulam massivamente variantes inquietantes do coronavírus, como a variante Delta, e onde a epidemia está a ganhar terreno”, aponta Erika Vlieghe.

Índia, África do Sul e Brasil estão incluídos” nesse lote, tal como “outros países fora da Europa”, acrescenta, salientando que “Portugal também preenche as mesmas condições”.

Assim, a infecciologista recomenda que é preciso cuidado com as viagens. Mas “tudo depende da forma como viajamos e o que fazemos no local”, destaca.

“Percorrer a Bretanha a dois numa auto-caravana não é a mesma coisa que sair todas as noites numa estação balnear do sul”, alerta ainda.

Nesta altura, as viagens da Bélgica para Portugal exigem a apresentação de um teste PCR negativo ou, desde esta quinta-feira, 1 de Julho, de um certificado europeu de vacinação contra a covid-19.

Mas nas viagens de carro não é necessário fazer o teste, embora seja “fortemente recomendado”, como aponta o Le Soir.

O jornal belga lembra o regresso das restrições de circulação em 45 municípios portugueses, incluindo Lisboa, e nota que Portugal ultrapassou, na quarta-feira, a barreira dos 2 mil novos casos de covid-19 em apenas 24 horas.

Trata-se do “maior número de infecções registadas desde meados de Fevereiro quando o país de 10 milhões de habitantes estava submetido a um confinamento geral”, destaca ainda a publicação.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Em termos de vacinação, o Le Soir refere que mais de 50% da população portuguesa já recebeu, pelo menos, uma dose das vacinas e que 32% está completamente vacinada.

Na Bélgica, cerca de 62% da população já recebeu uma dose da vacina, enquanto 35% tem a vacinação completa.

  ZAP //

8 Comments

  1. Se isto não fosse dito por um Belga ou um Holandês, eu até me admirava. A aversão alérgica que a malta daquela região (não esquecer que a Bélgica era parte da Holanda até 1830), é quase comparável à embirração de estimação entre França e Inglaterra. Já vem do tempo de Malaca, esta animosidade Luso-Países-Baixos. Ignorem-nos…

    Foi como aquele Jeroen Dijsselbloem a dizer que os Portugueses gastavam o dinheiro todo em gajas e pinga. Ora isto vindo de um cidadão de um país que é a capital europeia da prostituição e da droga, vale o que vale… Enfim. Ignorem-nos…

    • E não tem razão? E o que fizeram os Alemães e os Ingleses há uns dias atrás ao colocar Portugal na lista vermelha?!!!! O Miguel é que parece embirrar com quem gosta de ter contas certas no final de cada ano.

      • Não, claro que não tem razão em comparar Portugal com a Índia ou o Brasil. Os números nem percentualmente são comparáveis. Isso que você defende é um valente absurdo. Para isso podem começar por classificar na mesma medida a própria Inglaterra, cujos números são uma desgraça.

        Números de novas infecções SÓ NA EUROPA, actualizado diáriamente (procure no Google: Daily statistics in Europe, no site da Reuters):

        Reino Unido: 20,556 novos casos.
        Espanha: 6,252 novos casos.
        Portugal: 1,732 novos casos.

        Mas Portugal é que é como a Índia e o Brasil!!.. Você ainda é mais maldicente do país do que os Belgas e Holandeses juntos. É só nexo nessas palavras!

    • Não vou fazer qualquer crítica às palavras do “especialista” belga que são o tema do artigo. Afinal, cada um diz o que quer, mesmo que infundamentadamente. Além disso, hoje em dia, há muita gentinha à procura de notoriedade ou fama.
      Como o Miguel Queirós refere a inimizade histórica entre Portugal e Países Baixos, gostaria de recomendar [espero que não me leve a mal] a leitura do artigo na Wikipédia acerca da Guerra Luso-Holandesa. É um acontecimento muito ignorado, não só pela população em geral, como pelos historiadores e esquecido nos manuais escolares. No entanto, esta guerra foi a primeira à escala global e durou 68 anos. Perdemos alguns territórios e ganhámos, ou recuperámos, outros. Vale a pena a leitura! O artigo está muito bom.

  2. Vão todos passar por isto, nós só começámos primeiro por causa desta mania de dependência do turismo inglês que os trouxe esta porcaria. Mas ela não fala do uk, está só preocupada em despreciar Portugal perante a Europa. Mas a Bélgica tem um histórico triste e vergonhoso nesta coisa do coronavírus

    • Precisamente. A Bélgica e a Holanda são especialistas em criticar os outros naquilo em que eles são especialmente maus (como referi no p+ost acima no caso de Jeroen Dijsselbloem). Em particular gostam de apontar esses tiques contra Portugal, por causa entre outras coisas, de inimizade histórica, tanto com Portugal como com Espanha.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.