Numa simulação, um coronavírus como o da China matou 65 milhões de pessoas

herraez / Canva

Numa simulação feita em outubro do ano passado, um tipo de coronavírus fictício, semelhante ao da China, matou 65 milhões de pessoas.

O surto do 2019-nCoV, um tipo de coronavírus descoberto este ano na China, está a causar preocupação a nível global, e não sem por acaso: enquanto os casos confirmados da doença já são quase 3 mil, investigadores estimam que os números reais sejam muito mais altos e que a epidemia atinja até 190 mil pessoas em fevereiro.

Em outubro do ano passado, uma equipa de especialistas em saúde, autoridades governamentais e empresários reuniu-se para um exercício em Nova Iorque, nos EUA, justamente para planear a resposta a uma epidemia global de um desconhecido (e completamente ficcional) coronavírus.

O objetivo da simulação, uma colaboração entre o Centro para Segurança da Saúde Johns Hopkins, o Fórum Económico Mundial e a Fundação Bill e Melinda Gates, era justamente tentar prever (e melhorar) a nossa reação a um possível surto de um vírus nunca visto, servindo como uma experiência de aprendizagem para detetar falhas a uma resposta pandémica.

Apesar de contar com especialistas em saúde da Organização das Nações Unidas e dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, além de académicos e representantes de empresas privadas – exatamente os mesmos tipos de pessoas que provavelmente planeariam a nossa resposta a uma pandemia de coronavírus real -, quando o grupo de 15 pessoas terminou a simulação de três horas e meia, 65 milhões de pessoas tinham morrido, apesar dos seus melhores esforços.

O coronavírus no centro do “Evento 201” chamava-se CAPS e começava com porcos no Brasil antes de contaminar agricultores e espalhar-se entre pessoas, não muito diferente de como o 2019-nCoV supostamente começou, passando de animais para pessoas num mercado de Wuhan.

Na simulação, o CAPS infetou pessoas de todo o mundo em apenas seis meses. Depois de 18 meses, já tinha atingido 65 milhões de pessoas e causado uma crise financeira global.

A semelhança entre este exercício tão recente e a situação atual é assustadora. Apesar disso, o grupo disse que os resultados não devem causar medo, uma vez que foram utilizados para destacar o impacto de uma epidemia e a importância de se preparar para ela.

Ao fim da simulação, os 15 envolvidos criaram uma lista de sete ações que os líderes dos setores privados e governamentais poderiam tomar para se preparar para um cenário como o “Evento 201”.

Tendo em consideração que as resoluções foram feitas há apenas três meses e que o ser humano é uma espécie que demora a agir, no entanto, permanece o receio de que seja tarde demais para prevenir as mortes de milhões de pessoas devido ao 2019-nCoV.

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Estranho…
    Os EUA preparam-se, coincidentemente, muito pouco tempo antes de aparecer na realidade e no inimigo que têm no lado oposto do mundo o virus nunca antes visto, e que previram…. que não se sabe como passou a infectar humanos… quase lembra o início da sua curta história em que se prepararam e de seguida ofereceram, generosamente, cobertores infectados aos índios, e os dizimaram aos milhares de cada vez… mulheres e crianças incluídas… ou ainda guardarem estirpes já erradicadas na natureza… ou as suas brincadeiras com vírus na África central… ou todos os seus outros exemplos de bom imperialismo e desrespeito por todos os que não pertençam ao tio Sam…. lamentável !!!

    • Engraçado, tocamos no mesmo assunto das coincidências e o seu comentário só foi postado muito depois do meu, apesar do seu ter a hora de publicação mais antiga que a minha… “Coincidências”!! LOL!

  2. Antes do 11 de Setembro acontecer, também foi feita uma simulação exatamente prevendo o mesmo cenário… Estas “coincidências”…

RESPONDER

"Solidariedade não é dar dinheiro." Holanda finca o pé e até critica Itália por "internar os mais velhos"

Há um novo braço-de-ferro na União Europeia (UE) entre os países do Norte e do Sul. Tudo por causa dos famigerados "coronabonds", instrumentos de dívida comum que países como Portugal, Espanha e Itália defendem para …

Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS "inacessível"

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS "inacessível" no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares. As idas à urgência nas …

CDS quer cheque de emergência para empresas encerradas

Uma das medidas, apresentadas por Francisco Rodrigues dos Santos, é a atribuição, às pequenas e médias empresas “encerradas ou com a actividade suspensa, um cheque de emergência no valor máximo de 15 mil euros”. O CDS …

Espanha regista 832 mortos nas últimas 24 horas. É o dia mais mortífero no país

A Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das …

"O Brasil não pode parar". Bolsonaro compra campanha contra o isolamento social

Jair Bolsonaro gastou cerca de 800 mil euros numa campanha contra o isolamento social com o mote "O Brasil Não Pode Parar". O presidente brasileiro tem desvalorizado a pandemia de covid-19. Face à pandemia de covid-19, …

Crise leva Costa a reforçar intenções de voto. Ventura chega ao quarto lugar

Na mais recente sondagem às intenções de voto, os portugueses mostram estar de confiança reforçada em António Costa. O Chega ganha força e chega ao quarto lugar. Numa sondagem que apenas capta os primeiros dias do …

Descoberta criatura que pode ser o antepassado de quase todos os animais

Cientistas podem ter descoberto um dos primeiros ancestrais da árvore genealógica: uma criatura semelhante a um verme chamado Ikaria wariootia. Segundo a revista Newsweek, a minúscula criatura, parecida com um verme, é o exemplar mais antigo …

Bombardeamento israelita em Gaza em plena crise do novo coronavírus

O exército israelita bombardeou hoje postos do movimento radical Hamas em Gaza, em represália contra o disparo de um míssil, no primeiro confronto registado no enclave palestiniano em pleno surto do novo coronavírus, noticiou a …

Avião com material médico vindo da China chegou sem ventiladores e reagentes

O avião da Hi Fly que aterrou esta sexta-feira em Lisboa com material médico para ajudar Portugal a mitigar a pandemia de covid-19 chegou apenas com 24 das 35 toneladas previstas, faltando os reagentes para …

Cientistas "reiniciam" idade de células estaminais de uma mulher de 114 anos

As pessoas vivem mais de 110 anos, as supercentenárias, são notáveis não só pela sua idade, mas também por causa da sua incrível saúde. Agora, pela primeira vez, os cientistas reprogramaram células de uma mulher …