Numa simulação, um coronavírus como o da China matou 65 milhões de pessoas

herraez / Canva

Numa simulação feita em outubro do ano passado, um tipo de coronavírus fictício, semelhante ao da China, matou 65 milhões de pessoas.

O surto do 2019-nCoV, um tipo de coronavírus descoberto este ano na China, está a causar preocupação a nível global, e não sem por acaso: enquanto os casos confirmados da doença já são quase 3 mil, investigadores estimam que os números reais sejam muito mais altos e que a epidemia atinja até 190 mil pessoas em fevereiro.

Em outubro do ano passado, uma equipa de especialistas em saúde, autoridades governamentais e empresários reuniu-se para um exercício em Nova Iorque, nos EUA, justamente para planear a resposta a uma epidemia global de um desconhecido (e completamente ficcional) coronavírus.

O objetivo da simulação, uma colaboração entre o Centro para Segurança da Saúde Johns Hopkins, o Fórum Económico Mundial e a Fundação Bill e Melinda Gates, era justamente tentar prever (e melhorar) a nossa reação a um possível surto de um vírus nunca visto, servindo como uma experiência de aprendizagem para detetar falhas a uma resposta pandémica.

Apesar de contar com especialistas em saúde da Organização das Nações Unidas e dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, além de académicos e representantes de empresas privadas – exatamente os mesmos tipos de pessoas que provavelmente planeariam a nossa resposta a uma pandemia de coronavírus real -, quando o grupo de 15 pessoas terminou a simulação de três horas e meia, 65 milhões de pessoas tinham morrido, apesar dos seus melhores esforços.

O coronavírus no centro do “Evento 201” chamava-se CAPS e começava com porcos no Brasil antes de contaminar agricultores e espalhar-se entre pessoas, não muito diferente de como o 2019-nCoV supostamente começou, passando de animais para pessoas num mercado de Wuhan.

Na simulação, o CAPS infetou pessoas de todo o mundo em apenas seis meses. Depois de 18 meses, já tinha atingido 65 milhões de pessoas e causado uma crise financeira global.

A semelhança entre este exercício tão recente e a situação atual é assustadora. Apesar disso, o grupo disse que os resultados não devem causar medo, uma vez que foram utilizados para destacar o impacto de uma epidemia e a importância de se preparar para ela.

Ao fim da simulação, os 15 envolvidos criaram uma lista de sete ações que os líderes dos setores privados e governamentais poderiam tomar para se preparar para um cenário como o “Evento 201”.

Tendo em consideração que as resoluções foram feitas há apenas três meses e que o ser humano é uma espécie que demora a agir, no entanto, permanece o receio de que seja tarde demais para prevenir as mortes de milhões de pessoas devido ao 2019-nCoV.

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Estranho…
    Os EUA preparam-se, coincidentemente, muito pouco tempo antes de aparecer na realidade e no inimigo que têm no lado oposto do mundo o virus nunca antes visto, e que previram…. que não se sabe como passou a infectar humanos… quase lembra o início da sua curta história em que se prepararam e de seguida ofereceram, generosamente, cobertores infectados aos índios, e os dizimaram aos milhares de cada vez… mulheres e crianças incluídas… ou ainda guardarem estirpes já erradicadas na natureza… ou as suas brincadeiras com vírus na África central… ou todos os seus outros exemplos de bom imperialismo e desrespeito por todos os que não pertençam ao tio Sam…. lamentável !!!

    • Engraçado, tocamos no mesmo assunto das coincidências e o seu comentário só foi postado muito depois do meu, apesar do seu ter a hora de publicação mais antiga que a minha… “Coincidências”!! LOL!

  2. Antes do 11 de Setembro acontecer, também foi feita uma simulação exatamente prevendo o mesmo cenário… Estas “coincidências”…

RESPONDER

Governo vai integrar nos quadros quase 3.000 profissionais de saúde

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que permite integrar nos quadros quase três mil profissionais do Serviço Nacional de Saúde. Em comunicado, o Governo explica que a conversão do vínculo laboral de 2.995 …

Quatro defensores dos direitos humanos, indígenas e ambientais recebem "Nobel Alternativo"

Duas advogadas, do Irão e da Nicarágua, um advogado dos Estados Unidos (EUA) e um ativista da Bielorrússia foram esta quinta-feira distinguidos, em Estocolmo, com o "prémio Nobel Alternativo" que pretende "impulsionar mudanças sociais urgentes …

PJ diz que há “condições” para alargar colaboração com Rui Pinto

A Polícia Judiciária (PJ) admitiu a possibilidade de a colaboração com Rui Pinto poder “ir além” da abertura dos discos encriptados e apreendidos ao criador do Football Leaks, reconheceu esta quinta-feira o inspetor José Amador. "Temos …

Netanyahu avisa que confinamento em Israel pode durar um ano

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse esta quinta-feira que o confinamento no país pode prolongar-se durante meses ou mesmo "um ano" após uma reunião em que foram debatidas novas restrições contra a propagação da …

FC Porto com City na Champions. Ronaldo volta a encontrar Messi

O FC Porto vai defrontar os ingleses do Manchester City, os gregos do Olympiacos e os franceses do Marselha no Grupo C da fase de grupos da Liga dos Campeões em futebol, ditou esta quinta-feira …

Cabrita pede abertura de inquérito a fuga de 17 migrantes. Cinco já terão sido apanhados

O ministro da Administração Interna pediu a abertura de um inquérito à fuga de 17 migrantes do norte de África que desembarcaram em setembro no Algarve e fugiram, durante a madrugada, do quartel em Tavira …

Governo chega a acordo com Madrid para alargar restrições a toda a comunidade

O Governo espanhol anunciou, esta quarta-feira, um acordo que estende medidas para combater a covid-19, já em vigor em partes da Comunidade Autónoma de Madrid, a toda a capital e várias localidades da periferia onde …

Ciclista suspenso por defender Trump

Quinn Simmons respondeu no Twitter a uma jornalista e a sua equipa suspendeu o atleta. Um "adeus" e uma mão negra na origem da polémica. Quinn Simmons foi campeão do mundo de ciclismo no ano passado, …

Bolsonaro considera "lamentável" discurso de Biden que apela ao país que pare de destruir a Amazónia

Jair Bolsonaro classificou como “lamentável” o comentário de Joe Biden durante  o debate presidencial que ocorreu na madrugada de terça-feira. O candidato democrata mostrou-se preocupado com o facto das florestas tropicais no Brasil estarem a …

Ex-responsável militar acusado de fazer compras pessoais e cobrar ao Exército

Um antigo responsável militar mandou cobrar ao Exército compras pessoais no valor de 7.600 euros, feitas ao longo de seis meses. Um antigo responsável militar no Porto mandou cobrar ao Exército compras pessoais no valor de …