Costa admite férias de verão (cá dentro) e nacionalizar TAP

Mário Cruz/ Lusa

A saída desta pandemia não tem data à vista. Na manhã desta terça-feira, António Costa assumiu que Portugal não vai esperar pela vacina, mas alertou que qualquer levantamento de restrições aumenta o risco de contágio. Por isso, “vamos ter um país a múltiplas velocidades”.

Esta terça-feira, em entrevista ao Observador, o primeiro-ministro assumiu que o levantamento das restrições impostas para combater a pandemia de covid-19 vai ser “gradual e progressivo” e só acontecerá quando o “risco de contágio estiver controlado”. “Não podemos levantar estas medidas restritivas sem que o risco de contágio esteja controlado. Ainda não chegámos à fase de declínio da pandemia. Por isso, é prematuro.”

Nesse sentido, “vamos ter um país a múltiplas velocidades”, sublinhou António Costa, admitindo que o levantamento pode ser feito tendo em conta “regiões diferentes e pessoas com risco diferente”.

“A minha mãe foi sempre a pessoa mais indisciplinada que eu alguma vez conheci, e sempre amante da liberdade, e tem sido agora a pessoa mais disciplinada porque diz que está ali a ganhar anos de vida. Não está num gueto, está a ganhar anos de vida. E nós temos um dever especial de proteger os nossos idosos se queremos ser uma sociedade decente. Não se trata de guetizar, trata-se de proteger”, explicou, sublinhando que a exigência será maior para os idosos.

Portugal não vai “esperar pelo dia da vacina”, mas é preciso ter em conta que, “cada vez que retirarmos uma medida, o risco de contágio vai aumentar”. Cauteloso, António Costa não prevê grandes alterações, pelo menos para já.

Marcelo Rebelo de Sousa tem intenção de propor a renovação do Estado de Emergência esta quarta-feira, prolongando este período excecional pelo menos até dia 1 de maio. Questionado sobre se estaria em condições para avançar com uma data para o levantamento de restrições, Costa disse que devemos “respeitar aquilo que é a fundamental orientação técnica dos cientistas”.

Vamos ter seguramente um país com múltiplas velocidades, porventura, de regiões diferentes, de setores de atividade diferentes, de pessoas com riscos diferentes”, admitiu o primeiro-ministro.

Nacionalização da TAP em cima da mesa

Na mesma entrevista, António Costa admitiu a possibilidade de avançar para a nacionalização da TAP, justificando que o Governo tem a obrigação de não deixar cair qualquer empresa estratégica para o país.

Não podemos excluir a necessidade de nacionalizar a TAP, ou outra empresa que seja absolutamente fundamental para o país, para não corrermos o risco de a perder no final desta crise. Isto é uma crise de saúde que se está a transformar numa crise económica e não a podemos deixar agravar”, sustentou.

Lembrando que no seu primeiro Governo reforçou a posição estatal na TAP, Costa prosseguiu afirmando que “alguns privados já tinham manifestado vontade de alienar as sua posições, havia interesse de uma companhia, mas neste momento suspendeu esse interesse, porque, neste momento, nenhuma companhia aérea está a pensar em novos investimentos, mas como se vão reerguer desta pandemia”.

Desta forma, a possibilidade de nacionalizar a TAP está em cima da mesa, por forma a que não se perca um ativo estratégico para o país. “Tudo o que sejam medidas que asfixiem os agentes económicos serão seguramente más receitas para o futuro.”

Da mesma forma, Costa afastou a possibilidade de recuar em investimentos como o aeroporto do Montijo, justificando que “este não é o momento de desinvestir, mas de investir“.

Férias? Sim, mas cá dentro

Apesar de não avançar uma data para o regresso à normalidade, António Costa disse esperar que, no verão, os portugueses tenham possibilidade de gozar as suas férias. “Sem querer correr o risco de ser demasiado otimista”, o primeiro-ministro pediu aos portugueses para não deixarem de pensar nas férias de verão.

Esperem mais algumas semanas. Quero crer que até ao verão a situação estará suficientemente controlada para termos férias. Seria, aliás, um dano imenso para a economia portuguesa, se no próximo verão o turismo não tiver condições de funcionamento mínimo”, afirmou.

Ainda assim, o governante explicou que, nesta fase, a população não deverá arriscar marcar férias para lugares distantes. O conselho de António Costa é que os portugueses “façam férias cá dentro“. “Estamos sempre mais seguros cá dentro, nesta fase, e menos sujeitos à incerteza.”

  LM, ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Se for para comprar a TAP que seja a 0.0001€ EUR cada acção, caso contrário é uma empresa como qualquer outra vai à falência e alguém pega nela ao desbarato. Isto era o que deviam ter feito aos bancos é uma empresa como qualquer outra.

  2. Se agora já dão chorudas mordomias aos da cor, quando for nacionalizada ainda melhor. O costa e o César já devem ter muitos familiares na fila…!

    • O administrador da TAP que representa o Estado é o Frasquilho do PSD!…
      Agora pensa no nível de estupidez do teu comentário!

  3. Enteressante ? Bom atitudes de proteger os nossos pai e idosos parabéns ? So que muitos quando seus pais chegar uma certa idades colocam seus pais em asilos abrigos ou abandonar aqueles que são os frios com tanto amor …

RESPONDER

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …