Tecnológicas desistem da maior feira de telemóveis por causa do coronavírus

feuilllu / Flickr

Mobile World Congress em Barcelona

O Mobile World Congress (MWC) realiza-se de 24 a 27 de fevereiro, em Barcelona, mas já há desistências. A causa é o surto da nova estirpe do coronavírus, que já provocou mais de 900 mortos em todo o mundo.

Esta segunda-feira, a Sony anunciou que não irá participar no Mobile World Congress (MWC) deste ano, em Barcelona. A multinacional japonesa adiantou que, apesar de não marcar presença na edição deste ano, vai manter a sua conferência de imprensa – transmitida em vídeo através do YouTube – na manhã do dia 24 de fevereiro para apresentar as suas novidades.

“Como damos a máxima importância à segurança e ao bem-estar dos nossos clientes, parceiros, media e funcionários, tomamos a difícil decisão de deixar de expor e participar do MWC 2020 em Barcelona, Espanha”, lê–se no comunicado enviado às redações. “A Sony gostaria de agradecer a todos pela compreensão e apoio contínuo durante esses tempos difíceis.”

A Amazon também anunciou, este domingo, que não vai estar presente no MWC “devido ao surto e às preocupações contínuas com o novo coronavírus”.

Além da gigante de Jeff Bezos, também a marca sul-coreana LG Electronics já fez saber que decidiu não participar no MWC 2020, “para evitar expôr desnecessariamente centenas de colaboradores da LG a viagens internacionais, seguindo as diretivas recomendadas pela grande maioria dos especialistas em saúde”.

A norte-americana Nvidia e a sueca Ericsson anunciaram também o cancelamento da ida a Barcelona, assim como a fabricante de telemóveis chinesa ZTE, que cancelou a conferência de imprensa que tinha marcada.

A Samsung decidiu manter a sua participação na feira, ainda que com medidas adicionais de precaução. “Vão estar espalhados pelo evento estações de desinfeção de mãos, vão ser instaladas câmaras de imagens térmicas nas váias entradas do evento e vão estar disponíveis máscaras faciais, para quem precisar”, lê-se no comunicado enviado às redações.

A gigante chinesa Huawei também irá manter os planos que tem para o MWC, apesar de ter revelado que pediu aos funcionários chineses que se isolassem. A empresa referiu ainda que contratou trabalhadores europeus para cobrir os chineses que não vão poder ir ao evento.

De acordo com o Observador, a GSMA, responsável pela organização do evento, mantém as datas mas irá tomar medidas devido ao surto da nova estirpe do coronavírus. “A GSMA quer reassegurar os participantes e empresas expositoras que a sua saúde e segurança são a nossa principal preocupação, razão que nos leva a implementar medidas extras.”

A organização do evento compromete-se a não ter no evento ninguém precedente da região chinesa de Hubai. Além disso, todos os participantes que tiverem estado na China vão ter de provar que estiveram fora daquele país nos 14 dias que antecedem o evento.

De acordo com o diário, vai também ser implementado um sistema de triagem de temperatura dos participantes, e estes deverão certificar-se de que não entraram em contacto com ninguém infetado.

A nova estirpe do coronavírus já matou 910 pessoas. Na China, morreram 908 pessoas, sendo que as outras duas morreram em Hong Kong e nas Filipnas. Há mais de 40 mil pessoas infetadas no mundo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Retificação ao diploma do lay-off simplificado trava despedimentos

Uma retificação ao diploma inicial do ‘lay-off’ simplificado, hoje publicada, vem acautelar que nenhum trabalhador de empresas que recorra a este apoio pode ser alvo de despedimento coletivo ou extinção de posto de trabalho. O decreto-lei …

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …