Há mais 23.290 casos e 21 mortes nas últimas 24 horas

Portugal registou 23.290 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, mais 21 mortes associadas à covid-19 e uma ligeira redução dos internamentos, indicam números divulgados hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O boletim epidemiológico diário da DGS regista uma pequena redução do número de pessoas internadas, contabilizando hoje 1.023 internamentos, menos um do que na sexta-feira, 142 dos quais em unidades de cuidados intensivos (menos três nas últimas 24 horas).

Os casos ativos voltaram a aumentar nas últimas 24 horas, totalizando 196.223, mais 17.511 do que na sexta-feira, e recuperaram da doença 5.758 pessoas, o que aumenta o total nacional de recuperados para 1.197.737.

O maior número de novos casos ocorreu na região de Lisboa, que regista 9.549 das 23.920 novas infeções nas últimas 24 horas, seguida do Porto, com 8.587. Centro (2.744), Algarve (628) e Alentejo (621) completam o registo de novos casos no continente.

As regiões autónomas da Madeira e dos Açores registaram, respetivamente, 858 e 303 novos casos nas últimas 24 horas.

Das 21 mortes, sete ocorreram na região Norte, seis no Centro, quatro em Lisboa e Vale do Tejo, uma no Alentejo, uma no Algarve, uma na Madeira e uma nos Açores.

Portugal mantém-se na zona vermelha da Matriz de Risco, com uma incidência nacional de 1182,7 casos de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 por cada 100 mil habitantes — taxa que é de 1188,4 quando considerado apenas o continente. o R(t) é agora de 1,35 a nível nacional e 1,36 no território continental.

Máximo de mais de 400 mil testes na quinta-feira

Mais de 400 mil testes foram realizados na quinta-feira, um novo máximo diário desde o início da pandemia, que eleva para 26,5 milhões os despistes da covid-19 feitos em Portugal, anunciou hoje a `task force´ da testagem.

“Portugal atingiu, na passada quinta-feira, um novo máximo de testagem diária com 402.756 testes realizados (taxa de positividade de 9,2%), dos quais 307.698 (76%) foram testes rápidos de antigénio (TRAg) de uso profissional”, adiantou a mesma fonte em comunicado.

De acordo com a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), um total de 1.166 farmácias e 681 laboratórios clínicos estão a fazer testes gratuitos à população, no âmbito do regime excecional e transitório de comparticipação.

Segundo a `task force´ responsável pela estratégia de testagem, desde o início de 2020, já foram efetuados cerca de 26,5 milhões de testes de diagnóstico da covid-19, números que não incluem os autotestes.

Desde 01 de dezembro, foram realizados mais de cinco milhões de testes, incluindo cerca de 3,6 milhões de TRAg, um valor que está relacionado com a necessidade determinada pelo Governo de apresentação de um resultado negativo para o vírus SARS-CoV-2 no acesso a vários serviços ou locais e com o aumento de pontos de testagem no país.

Os TRAg nos laboratórios e farmácias que aderiram ao regime excecional de comparticipação voltaram a ser gratuitos desde 19 de novembro, face ao aumento de casos de infeção registados no país.

Em 21 de dezembro, e tendo em conta a quadra festiva, o Governo decidiu aumentar de quatro para seis o número de testes que cada pessoa podia fazer mensalmente, mas a comparticipação voltou, a partir de hoje, a ser limitada a quatro testes por utente.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.