Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, houve centenas de festas ilegais e álcool na rua

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, foram muitos os que ignoraram as restrições. A polícia espanhola foi obrigada a intervir em centenas de festas ilegais e numa festa ao ar livre com mais de 300 pessoas.

Com o novo recolher obrigatório em Madrid, as reuniões no interior de residências e em locais públicos estão proibidas da meia-noite às 6h da manhã. Porém, foram muitos os espanhóis que ignoraram estas regras.

De acordo com o jornal espanhol ABC, durante o fim de semana, a Polícia Municipal interveio em 300 festas ilegais e numa festa ao ar livre cheia de álcool com 300 pessoas.

Aqui em Malasaña não havia polícia, agora viemos menos por causa disso. [A polícia] vem-nos chatear, porque nós somos os irresponsáveis, os imaturos, os infantis”, disseram alguns adolescentes de 17 anos ao jornal, apontando que, no interior dos bares, havia ajuntamentos de pessoas de 30 anos que não respeitavam o distanciamento social.

De acordo com as autoridades, naquela noite, a polícia já tinha ido a 30 festas ilegais e testemunhara filas nas lojas de conveniência  e nos postos de gasolina para comprar álcool.

Além disso, a polícia atuou em cerca de 300 festas ilegais, em casas e em locais que ignoravam o horário de fecho. O número de pessoas era superior ao permitido e não havia máscaras ou medidas de segurança.

No domingo, o Governo de Espanha aprovou o estado de emergência sanitária que permitirá a instauração do recolher obrigatório em todo o país para travar a propagação da covid-19. O estado de alerta – nome exato deste regime de exceção que corresponde a um estado de emergência sanitária – durará até abril, ou seja, durante seis meses.

Itália encerra teatros e cinemas e fecha restaurantes às 18h

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, assinou este domingo um decreto que impõe o encerramento de piscinas, ginásios, teatros e cinemas a partir de segunda-feira, numa tentativa de conter os contágios que dispararam no país.

A medida anunciada este domingo determina ainda o encerramento às 18h dos bares e restaurantes.

Após horas de negociação com as regiões italianas que pretendiam ajudas para os proprietários de bares e restaurantes, foi assinado esse novo decreto em vigor entre segunda-feira e o dia 24 de novembro.

O endurecimento das medidas surge depois do aumento exponencial de casos, tendo o país registado no sábado mais 19.644 casos e 151 mortes devido à covid-19. A Itália segue com grande preocupação o aumento de pacientes internados, que já são 12.415 em todo o país, mais 817 em relação a sexta-feira.

Relativamente aos cuidados intensivos, os dados das autoridades de saúde italianas dão conta que estão nestas unidades 1.128 pessoas, mais 79 pessoas em relação a sexta-feira.

O novo decreto lembra a obrigatoriedade do uso de máscaras em todos os momentos e é recomendável evitar receber visitas.

Embora tenha sido evitado o recolher obrigatório a nível nacional, que já existe em regiões como o Lácio, cuja capital é Roma, Campânia, Sicília, Calábria e Lombardia, as regiões têm o poder de encerrar as áreas onde se registem aglomerações a partir das 21 horas.

Restaurantes, bares, pubs, geladarias e confeitarias podem funcionar apenas das 5h às 18h, mas podem abrir aos domingos e feriados.

São permitidas apenas quatro pessoas por mesa, desde que não sejam do mesmo núcleo familiar.

Ginásios, piscinas e spas, bem como centros culturais, centros sociais, centros recreativos, salas de bingo, casinos e parques de diversões também devem ser fechados, enquanto os parques e parques infantis permanecerão abertos.

Teatros, cinemas e salas de concertos também estão encerrados, bem como os ao ar livre, sendo proibida toda a forma de organização de eventos e conferências presenciais.

A abertura das estações de esqui não será permitida, principalmente após as imagens deste sábado com longas filas e pessoas lotadas nos teleféricos.

O Governo não decretou a proibição da deslocação entre regiões, mas “recomenda veementemente a todas as pessoas que não se desloquem, por meio de transporte público ou privado, a um município que não seja o de residência, exceto para necessidades comprovadas de trabalhar ou estudar, por motivos de saúde”.

Também introduz novas medidas para aplicar a educação à distância a pelo menos 75% dos alunos dos cursos de segundo grau do ensino médio, ou seja, maiores de 14 anos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 42,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

    • É por causa de BURROS, ESTÚPIDOS e IGNORANTES como você, que o Mundo está como está (de uma forma geral, não apenas devido à pandemia).

      Eu só gostava de saber, se caso fossem mísseis e cair nas ruas e armas de guerra a furar tudo, se as pessoas andam na mesma na rua a fazer festas, caminhando sobre sangue derramado.

      Sim… porque isto mata na mesma e causa destruição, só não é, por agora, tão visível.

      Ignorantes.

      • É no mínimo cómico ver como se ofende a liberdade dos outros, achando-se dono da verdade e depois nem saber a sua própria realidade.

        Se ao invés de ficarem em pânico com o que houve na televisão procurassem informação, talvez as liberdades de todos não estivessem em risco.

        Para que saiba o perigoso que este vírus é deixo-lhe a comparação do dia de ontem onde tivemos novamente muitos mortos por covid

        5 de Novembro de 2018 – 314 Mortos Registados
        5 de Novembro de 2019 – 301 Mortos Registados
        5 de Novembro de 2020 – 319 Mortos Registados

        Mostra bem o motivo pelo qual as nossas vidas estão a ser limitadas e a taxa de desemprego a subir

        por certo a informação foi retirada do site da DGS

        • Acho sempre interessantes estas opiniões de quem vem com “os números que se sabem”, defender que o coronavírus é uma fabricação.
          O que se sabe:
          Com tudo o que se tem feito, com as restrições todas, com os “alarmismos”, com (quase) toda a gente de máscara, com isso tudo e tudo e todos e mais alguma coisa, 5 de Novembro de 2020 – 319 Mortos Registados.
          O que não se sabe:
          Vamos lá deixar o vírus à solta fazer o que lhe apetece e viver a vida, 5 de Novembro de 2020 – XXX Mortos Registados
          Quanto é que é XXX, sabes?
          Pois.

          • Não disse que o vírus não existe, claro que sim, o vírus é real.

            Mas é ridículo que só agora se tenha descoberto que os vírus tem uma taxa de mortalidade, que todos vamos a certa altura morrer, seja por morte natural, com um vírus, com um acidente, etc.

            Falas no que se sabe, mas o que se sabe é o que vez nos canais de noticias, numa época em que já não existem (ou não são permitidos) jornalistas de investigação, esses que investigavam e punham o dedo nas feridas com perguntas cirúrgicas.
            Hoje limitam-se a ler as mesmas Press-releases

            Vamos falar daquilo que se sabe:

            – Nos últimos 5 anos, sem exceção, o numero de mortos sobe em outubro, depois volta a subir ainda mais em novembro e atinge um pico Dezembro e Janeiro. Acontece sem exceção e atinge em media 10mil mortos por mês, este ano, parece que foi novidade e serviu para aplicar mais medidas restritivas.

            – Em Julho tivemos 10,430 mortos sendo que a media é dos últimos 5 anos é de 8,154 e em outubro tivemos 9,873 sendo que a media dos últimos 5 anos foi de 8,587
            Portanto em julho tivemos 2000 mortos que ficaram por explicar e a TV mostrou o Presidente a salvar um grupo de turistas na praia, em Outubro temos 1300 mortes todos os especialistas pedem o recolher obrigatório (o vírus a noite é lixado)

            – Entre Janeiro e Outubro morreram quase 8,000 pessoas a mais da media, sendo que covid explica perto de 3,000. Porque não investigam as 5000 a mais?
            Pessoalmente acho que foram pelas medidas adoptadas, ficaram casos por diagnosticar e tratar que levaram ao aumento de mortalidade.
            De todas as formas, a Suécia tem 6000 mortos por covid mas apenas 4300 acima da media dos últimos 5 anos. (eles não restringiram ninguém)

            Podia continuar aqui a falar do que sabemos, mas no fundo a resultado é o mesmo, o vírus existe, pode ser fatal numa pequena % de infectados (de 166,900 infetados morreram 2,792, menos de 2%).
            Destes que morreram, grande maioria tinha um estado clinico já critico.

            Portanto e em suma, as medidas não tem servido de nada, porque segues tendo 3 e 4 mil infectados por dia, o pânico é com base em falsas premissas porque estar infectado está longe de significar morte e andamos todos contentes em ter a nossa liberdade revogada porque vamos salvar alguém quando em Portugal morrem mais de 110 mil pessoas por ano, muitas com falta de nutrição, acidentes de carro, falta de condições de saude e ninguém dá a mínima.

            No site da DGS tens logo na primeira pagina (nos links a verde quase no final da pagina) um link que diz Vigilância da Mortalidade.
            Aconselho-te a ir lá e verificar que os números que te dei são reais, não foram retirados de contexto e não vem de sites de teoria de conspiração.
            E depois quando estiveres a pensar pela tua cabeça, tenho todo o gosto em debater pontos de vista diferentes.

  1. Muitas pessoas não querem saber delas e nem do seu próximo. Celebrar a “vida” (não concordo que seja celebrar a vida) para provocar outras mortes e a sua própria vida é insano.

  2. Uma estupidez e irresponsabilidade total. Não é por acaso que Espanha é, logo após o Perú e a Bélgica, o país do mundo com maior mortalidade. E tinham que estar aqui ao nosso lado…

    • Os espertinhos( comentadores residentes cá do sitio) já se sabia que habitualmente são mal educados, fica é agora também demonstrado que não conseguem entender e enquadrar o significado de uma simples frase.
      Palermas? Estúpidos? Insanos? Burros? Ignorantes?……….Estas são palavras demasiado belas para os classificar. Não são nada disto

  3. Vão ser estes gajos que daqui a uns anos estarão a governar
    São uma grande desilusão. Tenho muita pena.
    São uns ignorantes não fazem ideia, porque não leem ou não sabem ler, como estão os hospitais de Toda a Europa

  4. Gente mimada nao falta todo lado… nao medem o perigo nunca foram confrontados com desafios e perigos de arrepiar…da nisto gente mimada…tudo lhes cai sem esforco… ora nao ha nada a fazer…construiram cidades gigantescas, fizeram das pessoas galinhas, hoje vivem em galinheiros, so veem o seu umbigo…resto estao todos errados, eles querem ‘e bebedeiras, sexo e dinheiro e poder…resto ‘e para os burros….o vida malvada.

RESPONDER

Árbitros afastados após os penáltis mais insólitos de sempre

Nani aparece no meio da história mais louca do futebol, no que diz respeito a grandes penalidades. Tudo começou com uns centímetros. Equipa de Nani celebrou o apuramento três vezes - só na última é …

Pacientes que estiveram infetados com covid-19 podem ver a sua voz alterada

Cerca de 80% dos pacientes com covid-19 recuperam-se da doença sem necessidade de serem sujeitos a tratamentos hospitalares, de acordo com a OMS. No entanto, um em cada 6 doentes pode desenvolver uma condição grave …

Aliado de Trump considera que acusações de fraude são "embaraço nacional"

O ex-governador do estado norte-americano de Nova Jérsia, apoiante do ainda Presidente dos Estados Unidos, considera que chegou a hora de este assumir a derrota eleitoral. "Tenho sido um apoiante do Presidente, votei nele duas vezes, …

Há uma vila no Equador conhecida por ser "o vale sagrado da longevidade"

Esta vila no sul do Equador ganhou fama, na década de 70, quando a comunidade científica começou a tentar descobrir o porquê de a maioria dos seus habitantes viver mais de 100 anos. De acordo com …

Bicicleta que fazia parte de obra de arte de Banksy desapareceu (e já se sabe porquê)

O mistério do desaparecimento de uma bicicleta sem uma roda que fazia parte de uma obra de arte do anónimo artista de rua britânico Banksy foi finalmente revelada. Uma bicicleta, que estava acorrentada do lado de …

Abusos sexuais, casamentos forçados e gravidez indesejada: o que piorou em África com a pandemia

Os efeitos da atual pandemia causada pelo covid-19 afetam a população de forma desigual e as pessoas que se encontram nas interseções de diferentes desigualdades (género, pobreza, etnia ou orientação sexual) são as mais afetadas. Este …

Chamadas de valor acrescentado no apoio ao cliente acabam no próximo ano

Os deputados aprovaram, esta segunda-feira, uma proposta do PAN que impede a utilização de linhas de valor acrescentado como única forma de contacto entre os consumidores e as empresas prestadoras de serviços, nomeadamente de contratos …

"Intrigante e preocupante". Portugal abusa de terapias agressivas em doentes com cancro

O nosso país tem "uma elevada prevalência de agressividade terapêutica em fim de vida para doentes oncológicos". A conclusão é de uma investigação levada ao cabo durante 6 anos e envolvendo um total de 92 …

Rei de Espanha em quarentena após ter estado em contacto com infetado

O Rei de Espanha iniciou uma quarentena de dez dias, depois de saber que esteve em contacto com uma pessoa infetada com o novo coronavírus. De acordo com o jornal El País, que cita a Casa Real, …

Estudo europeu releva que carros híbridos são “desastre ambiental”

Um estudo europeu chamou aos carros híbridos plug-in um "desastre ambiental" - as emissões de dióxido de carbono destes carros encontrar-se-ão acima do legalmente declarado e a associação ambientalista Zero pede o fim dos benefícios …