Holanda regista primeira morte no mundo de pessoa reinfetada com covid-19

Christophe Petit Tesson / EPA

A Holanda registou a primeira morte no mundo de uma pessoa contagiada pela segunda vez pelo novo coronavírus, uma mulher holandesa de 89 anos, que também sofria de uma forma rara de cancro de medula óssea.

Segundo as explicações dadas pela virologista holandesa Marion Koopmans, a paciente precisou de ser internada na primeira vaga da pandemia do novo coronavírus, após desenvolver sintomas como febre alta e tosse forte, mas teve alta após cinco dias e testou negativo em dois exames após o desaparecimento dos sintomas.

A paciente holandesa também sofria de uma doença conhecida como macroglobulinemia de Waldenström, uma forma rara de cancro da medula óssea, pelo que o seu sistema imunológico estava afetado há meses, noticiou a agência Lusa.

Dois meses após superar a covid-19, a mulher iniciou novas sessões de quimioterapia, mas começou a ter febre, tosse e falta de ar severa apenas dois dias depois do início do tratamento, por isso foi readmitida no hospital.

A paciente foi submetida ao teste para o novo coronavírus, o qual deu positivo, mas deu negativo em dois testes serológicos que foram feitos para detetar se ainda tinha anticorpos contra o vírus no sangue, após a primeira vez que foi infetada.

Oito dias após ser internada, a saúde da paciente piorou drasticamente e morreu em duas semanas.”Seguramente, morreu de covid-19, mas também estava muito doente”, disse Koopmans, que participa numa investigação sobre reinfeções realizada pela Universidade de Oxford.

A virologista holandesa destacou que existem cerca de 25 casos conhecidos de reinfeções em todo o mundo e, na maioria deles, desenvolveram-se sintomas menos graves do que durante a primeira infeção. Assim, os cientistas assumem que as reinfeções ainda são “exceções”, embora esta acredite que “haverá mais”.

Para a virologista, “uma questão importante é saber se isso é algo típico da covid-19”, pois em muitos casos o segundo contágio ocorreu apenas dois meses após a primeira infeção.

Embora a investigadora espere que a maioria das pessoas que superaram a primeira infeção pelo novo coronavírus estejam agora protegidas “por mais tempo”, Koopmans reconheceu que, em qualquer caso, “isso não durará uma vida inteira, porque isso nunca aconteceu com qualquer vírus respiratório”.

Ainda não está claro o que o conhecimento desses casos específicos pode significar para o desenvolvimento de uma vacina da covid-19, nem em que medida o sistema imunológico aprende o suficiente durante a primeira infeção pelo novo coronavírus, mas anticorpos produzidos naturalmente após um contágio inicial parecem desaparecer com relativa rapidez em certos casos.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Ridículo! Continuem a dormir e acenar com a cabeça, e vejam a vossa liberdade a ir pelo cano a abaixo. Deixem-se ficar sentados no sofá a ver o netflix, a novela ou o big borrada e mantenham o cérebro bem embrulhado em plástico numa caixinha debaixo da cama para ele não se estragar.

RESPONDER

Relatório do Novo Banco estilhaça PSD. Pinto Luz sai em defesa de Passos Coelho e critica Rui Rio

Esta quarta-feira, Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, deixou duras críticas ao atual líder do PSD depois de o partido ter aprovado o relatório que acusa o Governo de Pedro Passos Coelho …

Cientistas "encontraram" a válvula de Nikola Tesla nos intestinos de tubarões

Cientistas descobriram que os intestinos de tubarões funcionam de forma semelhante à famosa válvula unidirecional de Nikola Tesla, criada há mais de 100 anos. Pela primeira vez, cientistas fizeram exames 3D de intestinos de tubarão para …

Recolher obrigatório, limitação horária nos restaurantes e restrições por concelho podem acabar hoje

Na reunião de terça-feira no Infarmed, os peritos concluíram haver condições para começar a aliviar algumas das medidas restritivas em vigor. Em Conselhos de Ministros, que se irá realizar hoje, o Governo irá definir novas …

Alerta de tsunami no Alasca depois de sismo de magnitude 8.2

A península do Alasca, a oeste dos Estados Unidos, foi atingida por um sismo de magnitude 8.2 na noite de quarta-feira (7h15 de quinta-feira em Lisboa) e já foi lançado um alerta de tsunami na …

Conselho de Ministros reúne-se para discutir próximos passos no desconfinamento

O Conselho de Ministros reúne-se esta quinta-feira para decidir os próximos passos no processo de abertura do país, dois dias depois de especialistas terem sugerido a evolução das medidas de restrição de acordo com a …

Capacete magnético mostra-se eficaz na redução de tumor cerebral

O diagnóstico de um cancro é sempre complicado, mas há partes do corpo onde a presença da doença pode ser mais ameaçadora. É o caso do glioblastoma, um tipo de cancro cerebral, que se não …

Engenheiros japoneses fizeram levitar objectos com "armadilha acústica"

Engenheiros japoneses descobriram uma forma de fazer pequenos objectos levitar usando apenas ondas sonoras, o que pode ser um passo importante para a tecnologia. A engenharia biomédica, o desenvolvimento de farmacêuticos e a nanotecnologia podem vir …

Juno fez a maior aproximação a Ganimedes das duas últimas décadas (e as imagens são de cortar a respiração)

A NASA divulgou, recentemente, um vídeo da sonda Juno a passar por Júpiter e Ganimedes, uma das suas luas. As imagens são de cortar a respiração. Juno visitou Ganimedes em junho. As imagens foram captadas no …

Homicídio com 32 anos resolvido com a menor amostra de ADN de sempre

Um caso de homicídio ocorrido há 32 anos, que muitos consideraram impossível de ser resolvido, foi finalmente desvendado (e tudo graças à amostra de ADN mais pequena de sempre usada para decifrar um caso). De acordo …

Braços robóticos controlados remotamente podem vir a realizar cirurgias delicadas

Um equipa de investigadores está a trabalhar para eliminar movimentos rígidos nos braços robóticos, de modo a torná-los mais ágeis. O objetivo é que no futuro estes possam empilhar pratos ou até realizar cirurgias delicadas. Os …