Coordenador da vacinação faz “pressão militar” para adiar 2ª dose e proteger mais 200 mil idosos

António Cotrim / Lusa

A ministra da Saúde, Marta, com o coordenador do Plano de vacinação, Henrique Gouveia

O coordenador do plano de vacinação contra a covid-19, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, defende o adiamento da toma da segunda dose para permitir a protecção de mais 200 mil pessoas até ao fim de Março.

“Está a ser estudado, a meu pedido, pela Direcção-Geral da Saúde e pelo Infarmed, se podemos alargar este período por duas semanas, de forma a conseguirmos antecipar a vacinação a cerca de 200 mil pessoas”, refere o militar em declarações no âmbito de uma audição na Comissão da Saúde, na Assembleia da República.

“É muito importante pelos 70% da protecção que pode dar“, justifica o vice-almirante, notando que “reforçar a vacinação uma ou duas semanas mais tarde praticamente não vai fazer grande variação no processo de defesa da pessoa que já foi vacinada com a primeira dose”.

“Quanto mais tempo se demora a alargar o prazo, menos antecipamos a vacinação de pessoas em maior risco“, diz ainda Gouveia e Melo.

O alargamento do período entre doses pode levar a que mais 200 mil idosos, com mais de 80 anos, sejam vacinados até ao fim de Março.

“Temos de estender para cem mil vacinas por dia num espaço curto, a partir de Abril”, nota o coordenador da task force criada pelo Governo para gerir o plano de vacinação contra a covid-19.

Actualmente, são administradas entre 40 mil a 70 mil vacinas por dia.

“Como militar, crio uma grande pressão”

Gouveia e Melo admite que podem vir a ser desviados 30% dos enfermeiros dos Centros de Saúde para centros de vacinação rápida, de modo a aumentar a capacidade de proteger as pessoas.

“Como militar, crio uma grande pressão” para obter respostas da DGS e demais autoridades de saúde, assume Gouveia e Melo, reforçando que “salvar vidas é o mais importante”.

O vice-almirante trata de elogiar a rapidez da DGS na forma como tem respondido aos apelos da task force e revela que a primeira pressão que exerceu foi relativa à distribuição das doses que sobram que, nalguns casos, foram desperdiçadas ou usadas para vacinação de pessoas não prioritárias.

Gouveia e Melo confirma também que estão previstas 2,5 milhões de vacinas no primeiro trimestre, 9 milhões no segundo, 14,8 milhões no terceiro e 9,5 milhões no quarto. Assim, a imunidade de grupo pode ser alcançada no início de Agosto, se não houver “limitações na administração de vacinas”, diz.

Gouveia e Melo destaca a importância da “antecipação da vacinação” também para cumprir a meta da União Europeia (UE) de ter 80% da população com mais de 80 anos vacinada até ao fim do primeiro trimestre.

“É um princípio bom: 70% de protecção é melhor do que 0% de protecção para 200 mil pessoas durante um período alargado”, salienta o militar, embora assumindo a incerteza actual na concretização deste objectivo devido à escassez de vacinas.

“É uma preocupação, não tenho a certeza de que vamos conseguir atingir o objectivo face ao número de vacinas que temos”, admite Gouveia e Melo.

250 mil portugueses já vacinados com duas doses

A DGS avança que perto de 250 mil portugueses já receberam as duas doses da vacina para a covid-19, o que corresponde a 3% da população.

Estão em causa exactamente 248.708 pessoas que já têm a vacinação completa, mais 46.565 do que na semana passada.

Desde o início do plano de vacinação, em 27 de Dezembro, 433.475 pessoas já receberam pelo menos uma dose da vacina, 96.701 das quais só na semana passada.

Na região Centro encontram-se vacinadas 163.749 pessoas, enquanto no Alentejo estão vacinadas com as duas doses 51.347 pessoas, o que representa 4% da população da região em ambos os casos.

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais vacinas administradas, precisamente 221.815, correspondendo a 2% da população, enquanto na região Norte a vacinação completa foi administrada a 219.961 pessoas.

Na região do Algarve encontram-se vacinadas 23.995 pessoas, igualmente 2% da população da região.

Entre o dia 27 de Dezembro e 21 de Fevereiro, foram recebidas 830.730 doses de vacinas, tendo sido distribuídas 718.143, ainda segundo os dados da DGS.

De acordo com o mesmo relatório, 52.470 pessoas com 80 ou mais anos já têm a vacinação completa, o que representa 8% da população desta faixa etária. E há 126.259 pessoas com 80 ou mais anos que já receberam a primeira dose da vacina, ou seja, 19% da população.

As faixas etárias dos 25–49 anos e 50-64 são aquelas que surgem em segundo lugar da tabela com a vacinação completa, representando ambas 3%, correspondendo a 102.757 e 61.291 pessoas, respectivamente.

São também estas as faixas etárias com maior número de pessoas com a primeira vacina administrada: 154.192 (na faixa etária 25-49 anos) e 102.444 (50-64 anos).

Já na faixa etária dos 65 aos 79 anos, encontram-se inoculados 36.921, ou seja, 2%, tendo 24.108 pessoas a vacinação completa.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O Capitão Iglo é que percebe disto !

    Os cientistas não entendem nada…

    “Têm aqui as munições, vejam lá se as fazem durar mais tempo !”

  2. A Posologia indicada por os laboratórios, para estes Srs. “responsáveis” são a geometria variável. É só mais uma contradição entre tantas outras no que diz respeito ao problema Covid.

RESPONDER

Farense 0-1 Sporting | Beto e Adán gigantes em noite de recorde leonino

O Sporting sofreu bastante para levar os três pontos na visita ao Farense. O líder do campeonato marcou um golo, por Pedro Gonçalves, dominou durante a primeira parte, mas na segunda deixou os algarvios criarem …

Uma simples mudança está a evitar a morte de um macaco em vias de extinção

Cientistas conseguiram dar uma tábua de salvação a uma espécie de macaco em risco de extinção, cujos espécimes são frequentemente atropelados por automóveis nas estradas de um parque nacional em Zanzibar. De acordo com a Lista …

Antigo rito sagrado "entre irmãos" pode ter sido, na verdade, o casamento homossexual

A adelfopoiese era uma cerimónia praticada historicamente na tradição cristã para unir duas pessoas do mesmo sexo - normalmente homens - num relacionamento reconhecido pela igreja, análogo ao irmão. Segundo documentos históricos, com 20 anos, Simeão …

Talin fechou uma estrada para que sapos e rãs possam atravessar em segurança

A capital da Estónia fechou uma estrada movimentada, durante as noites do mês de abril, para garantir que milhares de sapos e rãs conseguem atravessar em segurança para o local onde se vão reproduzir. Geralmente, são …

Organizador do White Lives Matter está a formar um novo grupo fascista (que quer uma guerra racial)

Organizador do White Lives Matter está a formar um novo grupo fascista, que procura agradar à opinião pública e quer ver uma guerra racial nos Estados Unidos. O organizador do abortado comício White Lives Matter, em …

Bezos nega que funcionários sejam vistos como "robôs". Mas Amazon deve tratá-los "melhor"

O ainda presidente executivo da Amazon, Jeff Bezos, enviou uma última carta aos acionistas da empresa, negando que os funcionários sejam "tratados como robôs", conforme alegaram alguns trabalhadores e críticos da empresa. Segundo Bezos - que …

A imponência do Titanic pode ter acelerado o fim da sua história

Com quase 269 metros de comprimento, o tamanho do Titanic - considerado o maior navio do mundo em 1912 - pode mesmo ter acelerado o fim da sua história. O Titanic media quase 269 metros de …

Pogba diz que a sua relação com Mourinho "mudou da noite para o dia"

O futebolista francês recordou a relação "muito boa" que tinha com o treinador português quando este era treinador do Manchester United, mas que acabou por mudar, segundo as suas palavras, "da noite para o dia". Numa …

Empreiteiros, cuidado. Vem aí o Baubot, um robô para a construção civil

A startup austríaca Printstones, que desenvolve robôs de impressão 3D desde 2017, revelou o seu mais recente protótipo: Baubot, um robô para a construção civil. A principal missão do Baubot é auxiliar e automatizar a indústria …

Oito meses depois da explosão em Beirute, o Líbano ainda é um pesadelo tóxico

A explosão em Beirute foi apenas mais uma página no longo e sombrio livro da má gestão de resíduos tóxicos no Líbano. Ainda há produtos químicos perigosos no porto de Beirute. Já lá vão oito meses …