Criados 280 postos para vacinar 100 mil pessoas por dia

Carlos Ramirez / EPA

Duzentos e oitenta postos de vacinação rápida e de resposta reforçada estão a ser criados em todo o país para se conseguir vacinar 100 mil pessoas por dia, disse esta terça-feira à agência Lusa o coordenador da ‘task force’.

Segundo o vice-almirante Gouveia e Melo, está a ser criada “uma capacidade de organização e de administração de vacinas para uma quantidade muito grande de vacinas”. O objetivo é evitar ‘stocks’ e acelerar a proteção da população portuguesa.

Nesse sentido, estão neste momento a ser criados 119 postos de vacinação rápida e 161 postos de vacinação reforçada, o que está a ser feito com o Ministério da Saúde e com “o auxílio precioso” dos autarcas.

Estão também a ser adaptados os sistemas de informação com agendamento centralizado e opções complementares aos métodos de agendamento até agora praticados, como o auto-agendamento.

O coordenador da ‘task force’ responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19 disse que o sistema está a ser preparado e está a ser testado, sendo que “muita da vacinação” já está a ser feita nesses centros de vacinação rápida, preparados para vacinar 600 pessoas ou mais por dia, e de vacinação reforçada para vacinar na ordem das 150 pessoas.

Estes últimos foram criados porque “há localidades que não necessitam de ter postos de vacinação massiva e rápida porque a população não é suficiente para esses postos”.

Mas, por outro lado, não se pretende criar uma distância grande entre essas populações e os postos de vacinação massiva e, por isso, foram criados estes centros intermédios para estarem “mais perto das populações”.

O coordenador da ‘task force’ lembrou que numa fase inicial o “principal desafio” foi a disponibilidade de vacinas e nesta o desafio será ter a capacidade para administrar os nove milhões de vacinas previstos para chegar a Portugal neste segundo trimestre.

“Esse desafio, se nós não o conseguirmos vencer pode constituir um estrangulamento. No entanto, nós estamos a preparar-nos para que isso não aconteça”, salientou. Apontou como exemplo desta estratégia de preparação a vacinação dos professores no fim-de-semana em que só no sábado foram vacinadas cerca de 120 mil pessoas.

“Nós temos que nos preparar para vacinar 100 mil pessoas por dia e é isso que está a acontecer”, vincou, adiantando que os constrangimentos que poderão existir como de recursos humanos “estão a ser todos resolvidos em tempo”.

Sublinhou ainda que é preciso ter a noção de que “o país não estava preparado para vacinar 10 milhões de pessoas, duas doses, em quatro meses”. “Havendo essa noção, o país está a preparar-se para fazer isso e a preparar-se conforme as vacinas chegam a território nacional e é isso que está a acontecer da forma mais natural possível”, vincou.

“É claro que eu, enquanto coordenador, e outros responsáveis pelo processo não podemos ficar despreocupados”, disse, elucidando: “Quando subimos um degrau numa escadaria que vai ser muito longa não podemos pensar que já chegamos ao topo da escadaria” que neste caso é ter vacinado toda a população portuguesa.

Questionado se há muito portugueses a recusar serem vacinados, afirmou que ainda não tem esse valor de “forma bem quantificada em termos estatísticos”, mas afirmou que em termos qualitativos não é isso que os centros de vacinação estão a reportar.

Mas, acrescentou, “em 10 milhões de portugueses que precisam ser vacinados, há pelo menos sete, oito milhões que querem ser. Os outros que não querem ser vacinados nesta fase, eventualmente, podem, entretanto, mudar de opinião”.

Segundo os últimos dados disponíveis, já foram administradas 2.586.728 doses de vacinas, das quais 652.874 foram segundas doses. A covid-19 já matou em Portugal 16.951 pessoas dos 831.645 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …