Portugal é dos poucos países da Europa onde a segunda vaga está a matar mais

Marco Ottico / EPA

Na primeira onda de covid-19, que ocorreu entre março e maio, Portugal foi um dos países que registou um menor número de óbitos. Agora, e perante a chegada da segunda vaga, a situação inverteu-se e o país encontra-se numa situação bastante negra, sobretudo quando comparada com outros países europeus.

Durante a primavera, Portugal foi dado como um caso de sucesso, sendo que alguns países até falavam no “milagre português” devido ao baixo número de mortes.

No entanto, o cenário atual não é tão favorável. Perante a segunda vaga da doença, e com o governo a sublinhar que não tem intenções de repetir um confinamento total, os números começam a assustar a população.

Portugal regista agora uma incidência maior de fatalidades do que o verificado na primeira vaga. De acordo com os dados reportados pelos vários países ao Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças, o mesmo não acontece em Espanha, França, Itália, Alemanha, Bélgica ou Suécia – apesar de nestes países haver um grande número de infetados diários.

Segundo os critérios das autoridades de saúde portuguesas, até ao dia 11 de novembro, o país tinha 3103 mortes confirmadas por covid-19. Tendo em conta a dimensão da população, o número médio de fatalidades registadas num período de 14 dias é maior em Portugal do que na Grécia, na Alemanha ou na Suécia. Mas é bastante inferior aos valores de Itália, França, Espanha ou Bélgica.

Em território nacional, a média dos últimos 14 dias aponta para mais de 4 mortes por cada milhão de habitantes – bem acima da média de menos de dois em cada milhão de habitantes registada na Grécia, pouco mais de um na Alemanha, e menos de uma pessoa por cada milhão de habitantes na Suécia.

Os números mostram que em Portugal a segunda vaga está a ter maior impacto em termos de mortalidade, do que a primeira. Contudo, é preciso ter em conta com que há também muitos mais casos identificados, e o número de testes realizados também subiu. Desta forma, e como realça o Jornal de Negócios, é difícil tirar conclusões sobre a taxa de letalidade da doença.

De acordo com o Negócios, entre os oito países analisados, apenas a Grécia apresenta também uma incidência maior de mortes na segunda vaga, do que aquela que tinha sido registada na primeira. Esta situação só é comum nos países de Leste.

Esta quarta-feira, o país registou o maior número de mortes por covid-19 desde o início da pandemia, uma vez que em apenas 24 horas foram reportados 82 óbitos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Se calhar é porque na primeira vaga foi dos países da Europa onde matou menos, não? Dado em todo o lado como exemplo…

    É evidente que se na primeira vaga fomos dos países em que o Covid matou menos, então é fácil sermos dos poucos países onde a segunda vaga mate mais que a primeira… Não porque a segunda vaga mate mais em Portugal do que nos outros países, mas porque na primeira vaga matou muito pouco.

    • E os seis mil mortos a mais durante esse período face à média dos últimos 5 anos?!!!! É que os outros países atribuíram esses diferenciais à COVID (direta ou indiretamente foram resultado da COVID, mais não seja por incapacidade de resposta dos serviços de saúde).
      Devia procurar compreender o que o rodeia antes de vir para aqui mandar bitaites.

  2. Se calhar foi a primeira que matou menos do que efetivamente matou. Afinal há quase 6 mil mortos nesse período a mais face à média dos últimos anos.

  3. Pois uma vez que o Covid mata sobretudo “jovens” acima dos 70 anos, os que não foram contaminados na 1.ª vaga ao serem agora acabam por falecer. Talvez no fim fazendo todas as contas o numeros acabem por ser muito parecidos em todo o lado, com medidas , sem medidas … acho que no fim de contas bastava ter protegido a população mais idosa e o resto do pessoal poderia levar uma vida quase normal. O tal milagre que todos se gabavam onde está agora ?

  4. Nesta notícia – baseada em estudo do JN – surge um novo indicador: taxa de incidência. Até aqui o que importava era a taxa de letalidade ou de mortalidade. Mas convinha introduzir um indicador mais favorável ao processo de intenção do seu autor. A taxa de letalidade nesta 2ª vaga é muito inferior à da 1ª vaga e compara bem com o resto da Europa (com informação fiável).

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …