Países Baixos impõem confinamento parcial

roel1943 / Flickr

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte

Os Países Baixos vão impor um confinamento parcial a partir deste sábado. As medidas restritivas deverão estar em vigor durante três semanas.

O primeiro-ministro dos Países Baixos, Mark Rutte, anunciou esta sexta-feira um confinamento parcial de três semanas para combater um número recorde de casos de covid-19 no país.

Numa conferência de imprensa em Haia, Rutte classificou a nova série de medidas de combate à pandemia de covid-19 como “um grande golpe de algumas semanas, porque o vírus está por todo o lado, em todo o país, em todos os setores e atingindo todas as faixas etárias”.

Manifestantes protestaram em Haia no momento em que foram anunciadas as medidas, que entram em vigor no sábado e durarão pelo menos três semanas.

“Felizmente, a grande maioria [da população] está vacinada, senão a aflição nos hospitais seria incalculável neste momento”, declarou Rutte.

Os bares, os restaurantes e os estabelecimentos de bens essenciais, como os supermercados, deverão encerrar às 20h00 (19h00 em Lisboa) e as lojas não-essenciais, às 18h00 (17h00 em Lisboa).

Os cidadãos neerlandeses são instados a não receber mais de quatro pessoas em casa e a adotarem o teletrabalho, “exceto se tal não for realmente possível”, indicou o chefe do Executivo.

Os protestos públicos serão suspensos e as partidas de futebol decorrerão à porta fechada, incluindo o jogo de qualificação para Campeonato do Mundo, que oporá a Holanda à Noruega na próxima semana.

As escolas mantêm-se, todavia, abertas e as saídas do domicílio são autorizadas.

As medidas foram descritas pelo Governo como um “confinamento parcial” antes da conferência de imprensa, segundo a comunicação social local.

O Governo prepara-se igualmente para restringir o acesso aos espaços de restauração e lazer após o período de três semanas apenas a pessoas vacinadas ou recuperadas de covid-19 e àquelas que apresentem um teste negativo recente.

As novas restrições são politicamente sensíveis, tendo-se milhares de pessoas manifestado em Haia no domingo após o anúncio pelo Governo da reimposição das máscaras em alguns espaços públicos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Na quinta-feira, os Países Baixos anunciaram 16.364 novos casos de covid-19 registados nas últimas 24 horas, batendo assim o anterior recorde de 12.997 casos, ocorrido em dezembro de 2020. O país de 17 milhões de habitantes registou, no total, 2,2 milhões de casos da doença e 18.612 mortes desde o início da pandemia.

De acordo com o semanário Expresso, a Áustria também vai impor confinamentos parciais, depois de registar 11.975 novos casos esta sexta-feira.

Desta forma, a partir da próxima segunda-feira, a província da Alta Áustria vai impor quarentena para pessoas não vacinadas, que passam a só poder sair de casa por razões essenciais. Salzburgo deverá seguir o mesmo caminho.

A Alemanha já considerou o vizinho como um território de alto risco, tanto que, quem visitar a Áustria e não tiver sido vacinado ou recuperado da covid-19, terá de cumprir uma quarentena de 10 dias ao entrar no país.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE