Covid-19 responsável por 1 em cada 9 mortes na última semana. “Estes números vão aumentar”

Giuseppe Lami / EPA

Depois do número de infetados começar a subir drasticamente, isso teve um forte impacto nos números totais da mortalidade no país, tendência que deve manter-se nas próximas semanas.

A mortalidade em Portugal atingiu números historicamente altos na última semana e desta vez o fator que mais contribuiu para isso foi covid-19.

Entre 29 de outubro e 4 de novembro foram registados 2.564 óbitos. Esta foi a semana em que a pandemia matou mais de três dezenas de pessoas diariamente, num patamar poucas vezes ultrapassado na primeira vaga. De acordo com os boletins da Direção-Geral da Saúde a covid-19 foi responsável por 299 óbitos, ou seja, 1 em cada 9 pessoas que morreu nesses dias foi derivado à doença provocada pelo novo coronavírus.

Em outras alturas já houve picos elevados de mortalidade em Portugal, mas nesta última semana a mortalidade em Portugal atingiu o número mais elevado alguma vez registado na última década.

Segundo o sistema de vigilância da mortalidade da DGS, desde 2009 o ano com mais mortes no período homólogo tinha sido 2019, com 2.149. Contudo, agora, em 2020, subiu para 2.564 (trata-se um aumento de +19,3%).

Em entrevista à TSF, Carla Nunes, diretora da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, acredita que o mais provável é que os números permaneçam muito elevados nas próximas semanas pois avançam, por norma, com atraso em relação ao número de contágios.

A especialista em saúde pública explica que “estes números vão aumentar e demora sempre duas a três semanas a existir qualquer consequência de uma ação ou de uma medida até chegar aos mortos, sendo que, ao dizer duas ou três semanas, estou a ser simpática pois pode ser mais”.

A professora refere que “as mortes que estão a subir são consequência das subidas que tivemos no número de casos há três semanas atrás, e infelizmente espera-se que, mesmo quando começarmos a achatar a curva, as mortes demorem um pouco a achatar e a diminuir. Primeiro achata-se a curva dos casos, depois, dos internamentos e, só depois, a curva das mortes”.

Na opinião da diretora da Escola Nacional de Saúde Pública, os números de novos casos de covid-19 contados nos últimos dias revelam uma tendência que, pelo menos, não mantém a trajetória tão ascendente das semanas anteriores, podendo falar-se naquilo que parece ser uma desaceleração.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Corona quer sair do FC Porto e tem uma escolha de eleição

Em final de contrato com o FC Porto, Jesús Corona olha para a porta de saída e vê no Sevilha a escolha de eleição para seguir a sua carreira. Jesús Corona termina contrato com o FC …

Índia alerta para variante Delta Plus, já presente em Portugal. É a chamada "mutação nepalesa"

A Índia alertou, esta terça-feira, para uma mutação da variante Delta, chamada Delta Plus, que já terá sido detetada em nove países, incluindo Portugal. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge confirma que se …

PS acusa Rui Rio de "incoerência" por criticar Governo após palavras de Merkel

Sobre as críticas de Angela Merkel subscritas por Rui Rio, Ana Catarina Mendes lembra que, "em maio, o PSD criticava o Governo por não ter ainda anunciado a abertura aos voos do Reino Unido". A líder …

Arqueólogos investigam mistério de túmulos reabertos há 1400 anos

Um novo estudo mostra que pessoas que viviam na Europa há cerca de 1400 anos tinham o hábito de reabrir túmulos e retirar de lá certos objetos, algo que os arqueólogos ainda estão a tentar …

O dilema de Costa nas negociações: de um lado a esquerda que quer "destroikar", do outro Centeno que deixa avisos

António Costa vai dar início às negociações sobre o Orçamento do Estado em julho, mas está numa encruzilhada: se, de um lado, tem a esquerda a pressioná-lo com o dossiê do Código do Trabalho; do …

"Dever de neutralidade". Portugal não assinou carta contra a Hungria pelos direitos LGBTI

O Governo de António Costa está a ser duramente criticado por ter recusado subscrever uma carta assinada por 13 Estados-membros da União Europeia (UE) contra a Hungria, na defesa dos direitos LGBTI neste país. O …

Jogos de futebol emocionantes podem (literalmente) parar o coração

Um equipa de investigadores descobriu que um jogo de futebol emocionante, que deixa as pessoas stressadas ou zangadas, pode provocar um ataque cardíaco. Em 2014, a Alemanha venceu a Argentina na final do Campeonato Mundial de …

PSD aprovou lei que mantém libertação de presos

Num texto conjunto com o PS, no ano passado, o PSD propôs que a vigência do regime de perdão de penas no âmbito da covid-19 terminasse "na data a fixar em lei própria". O líder do …

Exoneração de encarregado da Câmara de Lisboa congelada. Falta divulgar relatório da auditoria

A exoneração do encarregado de proteção de dados, na sequência do envio de dados de manifestantes para várias embaixadas estrangeiras, só se irá materializar caso Fernando Medina garanta a aprovação em Reunião de Câmara. O Expresso …

Antecipada vacinação de idosos e funcionários de lares por vacinar

Os idosos e funcionários dos lares que estiveram infetados há mais de três meses vão ser vacinados contra a covid-19, antecipando para metade o prazo previsto para receberem a vacina, anunciou a task force da …