Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS “inacessível”

Mário Cruz / Lusa

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS “inacessível” no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares.

As idas à urgência nas unidades públicas de saúde tem registado uma queda a pique nos últimos tempos. O presidente da Associação de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, justifica a descida com o medo da população em dirigir-se a estes locais devido à pandemia de covid-19.

O cenário é de longe habitual. Muitos serviços de urgência do Serviço Nacional de Saúde estão habituados a estar lotados com utentes a aguardar atendimento urgente. No entanto, nos últimos dias, o número de doentes tem sido anormalmente baixo.

Em entrevista à Rádio Renascença, Alexandre Lourenço admite ser “uma quebra esperada”, mas garante ser necessário recolher mais dados antes de retirar uma conclusão. Os dados disponibilizados pelo SNS mostram esta queda abrupta na afluência aos serviços de urgência.

SNS

Afluência aos serviços de urgências do SNS.

Estes baixos valores geram preocupação nas entidades de saúde, uma vez que se espera que, depois dos efeitos do surto do novo coronavírus suavizarem, uma vaga de doentes graves dê entrada nas urgências.

“Se tiverem mesmo necessidade, devem ir. Quem tem doença grave não pode deixar de ir a uma urgência”, explica a diretora-geral da Saúde. Graça Freitas salienta que a deslocação só “deve ser evitada se não for estritamente necessária”.

Também Alexandre Lourenço demonstra a sua preocupação face a eventuais problemas no SNS. O presidente da Associação dos Administradores Hospitalares destaca que perante um eventual prolongamento da situação atual, serão esperadas “dificuldades no acesso com impacto no estado de saúde da população“.

Isto porque para além do regresso em massa às urgências, há cirurgias e consultas que foram reprogramadas. Tendo em conta o panorama atual, Alexandre Lourenço alerta que é necessário pensar em “novas estratégias” no atendimento aos utentes.

“Parcerias com autarquias, associações de doentes e o setor social” são uma opção para responder às futuras necessidades do SNS. A crise atual, defende, “pode ser uma oportunidade para tornar o Serviço Nacional de Saúde mais eficaz, com menos custos e com melhores cuidados para a população”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu também receio ir a um hospital, é lá que todas as doenças estão, veja-se pela quantidade de médicos e enfermeiros infectados.
    Provavelmente os doentes consultam antes a saude24 que lhes diz ainda não estarem suficientemente doentes… É ironia pois o serviço saude24 é caro, os 808 pagam-se, é tipo chamada local que se paga à parte dos tarifários de telecomunicações contratados. Se fosse um 800 era diferente, mas parece que alguém não prescinde de sacar um dinheirinho…

RESPONDER

Norte sem contágios por covid-19. Grande Lisboa regista 96,5% dos novos casos

Portugal regista hoje 1.424 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que no domingo, e 32.700 infectados, mais 200, segundo o boletim da Direcção-Geral de Saúde (DGS). 193 dos novos casos são na área …

Aviões deixam de ter lotação reduzida a partir desta segunda-feira

Os aviões deixam, a partir desta segunda-feira, de ter a lotação de passageiros reduzida a dois terços, mas o uso de máscara comunitária é obrigatório. O Governo alinhou, assim, as regras nacionais pelas regras europeias no …

Marcelo pede que não se passe do "8 para o 80" e alerta para imagem do país

O Presidente da República reiterou hoje o apelo à população para que não se passe “do 8 para o 80” nas medidas de prevenção da covid-19, alertando para os riscos da imagem do país “cá …

Só metade das crianças deverá voltar ao pré-escolar esta segunda-feira

As crianças em idade pré-escolar regressam esta segunda-feira aos jardins de infância, que voltam a funcionar com novas regras, depois de encerradas durante mais de dois meses, devido à pandemia da covid-19. Apesar do regresso, que …

Dois astronautas (e um dinossauro de peluche) chegaram à EEI à boleia da SpaceX

Para além dos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken, seguia a bordo da Crew Dragon um dinossauro de peluche com lantejoulas. E há uma explicação para isso. Este sábado, o foguetão Falcon 9, da SpaceX, fez …

Pescadores já podem capturar sardinha, mas recuo no consumo é uma preocupação

Os pescadores voltam a poder capturar sardinha, a partir desta segunda-feira, e até 31 de julho, com limites diários e semanais, segundo um despacho publicado em Diário da República. De acordo com o diploma, assinado pelo …

Madeirense contesta quarentena obrigatória em Tribunal (e há uma sentença que lhe dá razão)

Uma cidadã madeirense que chegou no domingo à Madeira e recusa cumprir quarentena num hotel entregou um pedido de ‘habeas corpus’ no Juízo de Instrução Criminal do Tribunal do Funchal. A acompanhar o pedido está …

Idade é o maior factor de risco para se ser internado ou morrer de covid-19

As pessoas com idades entre os 70 e os 79 anos infetadas pelo novo coronavírus têm uma probabilidade de ser internadas em cuidados intensivos 10,4 vezes superior à de uma pessoa até aos 50 anos. Os …

Turismo de Portugal tem 10 milhões para apoiar campanhas de empresas que promovam o país

O Turismo de Portugal tem dez milhões de euros, que vão servir para financiar iniciativas “de valorização, inovação e promoção do destino Portugal” até 2025. A dotação de dez milhões de euros, aprovada por despacho de …

"Perdi quase tudo no casino." Daniel Kenedy explica adeus ao futebol com o vício

O ex-futebolista Daniel Kenedy, que passou por clubes como Benfica, FC Porto, Marítimo e Sporting de Braga, revela que perdeu "quase tudo" no casino por causa do vício do jogo, apontando este problema como uma …