Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS “inacessível”

Mário Cruz / Lusa

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS “inacessível” no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares.

As idas à urgência nas unidades públicas de saúde tem registado uma queda a pique nos últimos tempos. O presidente da Associação de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, justifica a descida com o medo da população em dirigir-se a estes locais devido à pandemia de covid-19.

O cenário é de longe habitual. Muitos serviços de urgência do Serviço Nacional de Saúde estão habituados a estar lotados com utentes a aguardar atendimento urgente. No entanto, nos últimos dias, o número de doentes tem sido anormalmente baixo.

Em entrevista à Rádio Renascença, Alexandre Lourenço admite ser “uma quebra esperada”, mas garante ser necessário recolher mais dados antes de retirar uma conclusão. Os dados disponibilizados pelo SNS mostram esta queda abrupta na afluência aos serviços de urgência.

SNS

Afluência aos serviços de urgências do SNS.

Estes baixos valores geram preocupação nas entidades de saúde, uma vez que se espera que, depois dos efeitos do surto do novo coronavírus suavizarem, uma vaga de doentes graves dê entrada nas urgências.

“Se tiverem mesmo necessidade, devem ir. Quem tem doença grave não pode deixar de ir a uma urgência”, explica a diretora-geral da Saúde. Graça Freitas salienta que a deslocação só “deve ser evitada se não for estritamente necessária”.

Também Alexandre Lourenço demonstra a sua preocupação face a eventuais problemas no SNS. O presidente da Associação dos Administradores Hospitalares destaca que perante um eventual prolongamento da situação atual, serão esperadas “dificuldades no acesso com impacto no estado de saúde da população“.

Isto porque para além do regresso em massa às urgências, há cirurgias e consultas que foram reprogramadas. Tendo em conta o panorama atual, Alexandre Lourenço alerta que é necessário pensar em “novas estratégias” no atendimento aos utentes.

“Parcerias com autarquias, associações de doentes e o setor social” são uma opção para responder às futuras necessidades do SNS. A crise atual, defende, “pode ser uma oportunidade para tornar o Serviço Nacional de Saúde mais eficaz, com menos custos e com melhores cuidados para a população”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu também receio ir a um hospital, é lá que todas as doenças estão, veja-se pela quantidade de médicos e enfermeiros infectados.
    Provavelmente os doentes consultam antes a saude24 que lhes diz ainda não estarem suficientemente doentes… É ironia pois o serviço saude24 é caro, os 808 pagam-se, é tipo chamada local que se paga à parte dos tarifários de telecomunicações contratados. Se fosse um 800 era diferente, mas parece que alguém não prescinde de sacar um dinheirinho…

RESPONDER

Pássaros de São Francisco aprenderam uma nova (e mais complexa) melodia durante a pandemia

Uma nova investigação científica relata que os pardais-de-coroa-branca de São Francisco, ave que vive nas zonas urbanas e rurais da cidade norte-americana, aprenderam uma nova e mais complexa melodia durante a pandemia. De acordo com …

Enorme espinha dorsal de tubarão-branco dá à costa em Massachusetts depois de uma tempestade

A espinha dorsal que se acredita pertencer a um espécime de tubarão-branco (Carcharodon carcharias) deu à costa numa praia em Massachusetts, nos Estados Unidos, depois de uma tempestade ter atingido a região. A espinha foi encontrada …

A China está a tornar-se o país com maior influência na ONU

Há dez anos, a China começou uma operação que lhe tem vindo a garantir mais influência nas Nações Unidas. Agora, o poder que possui na organização mundial protege o país asiático do escrutínio internacional. De acordo …

Uma droga pode tratar o nanismo (mas há quem defenda o "orgulho anão")

Um estudo vem agora revelar que uma droga pode tratar o nanismo. Porém, a possibilidade de haver um tratamento para esta condição clínica não é consensual. Um novo estudo, financiado pela BioMarin Pharmaceutical e publicado no …

Meghan Markle perde batalha judicial. Em causa está carta que enviou ao pai (divulgada por jornal britânico)

Depois de no passado mês de agosto, Meghan Marke vencer uma batalha judicial contra o Mail on Sunday, desta vez a Duquesa de Sussex não pode festejar mais uma vitória. A norte-americana perdeu a última …

Após acidente, robô-piloto voltou a levantar voo (e pilotou avião durante 2 horas)

O ROBOpilot, um piloto robótico não tripulado, levantou voo pela primeira vez no ano passado, mas sofreu danos durante um dos seus voos. Agora, está apto para voar novamente. No ano passado, um acidente forçou o Laboratório …

David Attenborough bateu um recorde mundial no Instagram (e destronou Jennifer Aniston)

O naturalista britânico David Attenborough destronou a atriz norte-americana Jennifer Aniston e tornou-se a pessoa a alcançar mais rapidamente um milhão de seguidores no Instagram, segundo os números do Guinness. David Attenborough, de 94 anos, …

Indonésia planeia atração turística com dragões de Komodo ao estilo de Jurassic Park

A Indonésia planeia construir uma atração ao estilo da saga Jurassic Park para que os turistas possam ver os famosos dragões de Komodo. De acordo com a revista Vice, em causa está uma proposta de …

Daniel Alves: uma camisola origina duas controvérsias

Internacional brasileiro vai defrontar o River Plate e apareceu com uma camisola do Boca Juniors. Poderá ter quebrado as regras da Conmebol. River Plate e São Paulo vão entrar em campo na próxima madrugada, para um …

Japão declara guerra aos fax (e quer acabar com o tradicional carimbo Hanko)

Depois de ser escolhido como ministro da reforma administrativa, o primeiro-ministro Taro Kono não perdeu muito tempo a travar uma guerra contra os emblemas da burocracia japonesa. De acordo com o Japan Times, na sexta-feira passada, …