A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

Jonas Ekstromer / TT News Agency

O primeiro-ministro da Suécia, Stefan Löfven

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos.

O Governo sueco não impôs um confinamento à população e, em vez disso, apelou às pessoas para que aplicassem o distanciamento social. Ainda que tenham sido proibidos ajuntamentos com mais do que 50 pessoas, restaurantes, bares, ginásios, lojas e cabeleireiros mantiveram-se abertos.

As consequências foram inevitáveis e a mais óbvia foi o número de mortos atingido pelo novo coronavírus: segundo o Diário de Notícias, com 3.998 até este domingo, a Suécia tem mais 2.682 do que Portugal. Em número de mortos por milhão de habitantes, Portugal regista 129, a Suécia 396.

Mas não foi apenas a saúde que se ressentiu: a economia, nomeadamente o emprego, sentiram na pele os efeitos negativos da pandemia de covid-19.

Na quarta-feira, o banco central sueco manteve as previsões realizadas em abril. No primeiro cenário, o PIB poderá contrair 6,9% em 2020, antes de voltar a crescer 4,6% em 2021. Contudo, uma previsão mais negativa prevê que o PIB poderá contrair 9,7% e a recuperação mais lenta, crescendo apenas 1,7% em 2021.

No primeiro cenário, o desemprego poderá atingir 8,8% em 2020, contra os 7,2% atuais. No pior dos casos, a previsão poderá atingir 10,1%.

Imunidade de grupo

Anders Tegnell, epidemiologista chefe da Agência de Saúde Pública, continua a defender a abertura de fronteiras de outros países nórdicos por considerar que a Suécia está mais avançada na curva de infeção. “Quando chegarmos ao verão, pode acontecer que tenhamos tantas pessoas na Suécia que são imunes que poderá ser mais seguro para os suecos irem para lá [países vizinhos] do que outros”, explicou.

O epidemiologista também defende que, ao permitir que os jovens saudáveis fiquem infetados e recuperem, o país ficará mais bem protegido se ou quando uma segunda vaga ocorrer.

Na quarta-feira, Tegnell disse acreditar que uma em cada cinco pessoas em Estocolmo tenha desenvolvido anticorpos contra o vírus.

ZAP //

PARTILHAR

55 COMENTÁRIOS

  1. Sempre a bater na Suécia que optou por respeitar a liberdade individual dos seus cidadãos, porque não falam dos outros países com número de mortos por milhão de hab. muito superiores à Suécia e que seguiram a cartilha da OMS como meninos bem comportados? E a economia nesses países está magnifica? Não interessa pois não?

    • Era bom que nos ajudasses a perceber quais são “os outros paises” piores que a Suécia por não terem debochado da OMS.

      • É fácil saber quais são, vá ao site: https://www.worldometers.info/coronavirus/
        clique na coluna vertical “Deaths/1M pop” de forma a colocar a lista por ordem e verá que a Suécia está em 8º lugar. E mesmo abaixo da Suécia há vários outros com números próximos. Portanto a estratégia da Suécia foi tão boa ou má quanto os outros que teem resultados similares em número de mortos por milhão de hab.

        • Mais uma vez: para fazer comparações e preciso saber interpretar dados (e o mínimo de bom senso).
          Comparar o n°de mortos por milhão de habitante, sem considerar todos os outros factores vale pouco mais do que nada!…
          Basta olhar para a densidade populacional – a Bélgica tem quase 20 (vinte!) vezes mais habitantes por km2 do que a Suécia!!
          Portugal tem 5x mais habitantes por km2 do que a Suécia!
          Este é só mais um entre muitos factores – outro muito importante é a fase do surto, etc…
          Comparações cegas só podem dar asneira!…

          • É preciso interpretar os dados com bom senso sim, sem dúvida!
            Consegue provar que a densidade populacional nas cidades da Suécia é diferente da densidade das cidades da Bélgica, França, Espanha ou Portugal? Ou será que acha que os principais focos de transmissão ocorrem no campo?

            • Mau… vou repetir mais uma vez:
              “Comparar o n°de mortos por milhão de habitante, sem considerar todos os outros factores vale pouco mais do que nada!…”
              A densidade populacional é “só” mais um factor – há muitos outros!!

          • Olhem-me este…
            A densidade populacional!!!! Vá ver como é que a população está distribuída na Suécia e vai reparar que muito é gelo sem ninguém por lá.

          • @Eu! finalmente alguém com 2 dedos de testa!

            Falar é fácil quando se olha apenas para 1 identificador e não para o conjunto!

            O resto´e simples, da Suécia, nada vem de bom… É, foi e continuará a ser o País das experiências sociais que dão errado.. e na Suécia, o não confinamento, está a dar Mau Resultado!

            Vejam a República Chega que tem 403,358 testes feitos, a mesma demografia que nós, “apenas” 8,972 casos positivos, “apenas” 317 mortes, “apenas” 30 mortes / milhão de habitante..

            • Dizer que Portugal teve um bom desempenho é como ouvir os adeptos do Sporting a celebrar a manutenção na 1ª divisão. Por amor de Deus. Tenham juízo. Se não sabem, procurem e verão que Portugal está no primeiro grupo dos países com maior número de mortos per capita na Europa. Em trinta e tal países estamos em 10º. E o resto meus amigos são tretas. Números são números.

            • @Marrem para aí com força não me recordo ter dito que Portugal teve um bom desempenho, que não teve, mas esteve melhor que outros países com a demografia equivalente da nossa.

              Falhámos muito muito muito, infelizmente, podia ter sido bem melhor e em vez dos mais de 1300 mortos que tivemos podiamos ter tido bem menos!!

        • A Suécia,se tem adotado a estratégia dos países vizinhos,tinha poupado muitas vidas e tinha metade dos infectados e na volta já podia ter as fronteiras abertas para os turistas,mas como está a ter uma taxa elevada dúvido que alguém queira ir para a Suécia,eu preferia ir para a Dinamarca, Noruega ou filandia!

    • E juizo, não? Existe uma coisa chamada rigor científico, o qual pessoas como você odeiam. Pessoas como você odeiam os rigores da ciência porque tornam mais difíceis de contradizer os factos, quando estes não lhe agradam.

      Diga-me lá… Qual é essa importância toda da liberdade individual? Não há se calhar coisas mais importantes, não? Como por exemplo, o bem estar da maioria? Você fala de “liberdade individual” como se fosse assim uma espécie de coisa sem limites. Acontece para sua enorme frustração, que a sua liberdade individual termina onde começa a liberdade individual dos outros, e isso faz com que a dita liberdade individual esteja sempre consideravelmente restringida. É assim que tem de ser e pronto. Não gosta, azarito… Vá-se queixar ao Totta.

      Para si a liberdade individual é ir por cima de tudo e todos até não conseguir mais. Acontece que até esse conceito você tem distorcido porque isso não é liberdade mas sim anarquia individual: “eu faço tudo o que me apetecer e que se lixem os outros se isso os impedir de conseguirem o básico. O problema dos outros não é meu… Caguei!”

      A Suécia não quis “respeitar a liberdade individual” de ninguém. Em particular a Suécia nunca respeitou a liberdade individual daqueles que não se querem infectar, ao permitir aos infectados que se atirem pra cima deles à vontade. O que a suécia quis foi ser diferente por ser diferente, à espera de reinventar a roda. Agora torcem a orelhinha e não deita sangue.

      • Sr Miguel, com rigor científico vá ver os números, um pais respeita a liberdade dos seus cidadãos, outros tratam a população como criminosos simplesmente por andaram na rua, ambos teem número de mortes por milhão de hab. similares, quem teve a melhor estratégia? Pare com esse ódio todo, só lhe faz mal.
        https://www.worldometers.info/coronavirus/

      • Não deixa de ser irónico que os defensores de um modelo social a roçar a perfeição refiram sempre a Suécia e aqui chegados parecem baralhar-se com o argumento.
        “Qual é essa importância toda da liberdade individual? Não há se calhar coisas mais importantes, não? Como por exemplo, o bem estar da maioria? ” refere o Miguel Queiroz.
        Pois, neste caso seguiram a liberdade individual e não o bem estar da maioria, ou mais precisamente, pensavam que iriam beneficar a maioria por via de uma estratégia de imunidade de grupo que afinal não chegou e que assentava da manutenção do dia-a-dia das pessoas.
        Isto serve apenas para referir que o bem estar do todo pode ser alcançado de diferentes formas. Isto é válido para a economia e para a saúde. Aqui aparentemente terão falhado. Mas também em Portugal fala-se muito do sucesso do atual governo quando na Europa estamos no grupo da frente do número de mortos per capita. Atendendo a que somos um país periférico o resultado poderia ter sido bem melhor. Mas se atendessemos à vontade do António Costa teria sido bem pior. Afinal não queria fechar escolas, fronteiras, adiou aquilo que todos os Portugueses já tinham feito (barricar-se em casa) atrasando o estado de emergência (ao qual se opunha) uma semana, recomendou passeios a Fátima, tolerou o 1º de Maio, o arraial popular do Avante, disse que as máscaras não deviam ser usadas (entretanto já todos os portugueses as usavam e lá deu o braço a torcer). Enfim. O que nos valeu foi o povo que teve juízo e andou sempre 3 passos à frente do governo.

    • Eu quero que a economia vá para o diabo que a carregue tal como todos que a defendem, não quero é ver pessoas depois de mortas serem tratadas pior que animais, empilhadas como estrume ou então ser enterradas sem qualquer dignidade em vales comuns!!!!
      Economia, economia, passam a vida a falar de economia, destroem o planeta, degradam a vida das pessoas, tudo em nome da Economia, Selvagens, são é mais primitivos que os verdadeiros primitivos!!!

    • A Suécia estará no 6o lugar da mortalidade per capita (vamos excluir estados com menos população que alguns bairros de Lisboa). Ainda assim, a comparação deverá ser com os países geograficamente próximos por uma série de afinidades. Por muita intelectualidade que se queira passar, a estratégia da Suécia não teve nada de científico (nem era possível ter perante algo ainda muito desconhecido), e foi um mero tiro ao calhas. No final não ficaram bem na economia nem na mortalidade, e representam a corrente de pensamento que defende que não se deve sacrificar a economia por causa dos idosos. Para além disso, fizeram pouquíssimos testes à população, o que faz pensar que a mortalidade poderá ter sido significativamente superior, simplesmente muita gente morreu sem ser testada. Aliás, a curva completamente irregular da mortalidade na Suécia permite facilmente perceber que não se tratam de dados muito fiáveis.

    • Bem visto. Também concordo que a Suécia teve um comportamento correto. Faltou-lhe apenas ter pensado na proteção dos grupos de risco ( idosos e doentes crónicos) e seguramente o número de mortos talvez nem fosse superior ao de Portugal. Algo que as notícias não passam, mas parece ser um fator diferencial é o plano de vacinação de cada país… Todos os países que mantiveram BCG no plano tiveram bons resultados

  2. É triste a manipulação e a falta de rigor que os media fazem da Suécia, aqui ficam os números dos principais países europeus:
    Nº de mortes por milhão de habitantes (hoje):
    Bélgica: 804; Espanha: 615; UK: 542; Itália: 542; França: 435; Suécia: 399; Holanda: 340; Portugal: 130; Alemanha: 100; Dinamarca: 97.
    Mas parece que a grande tragédia é na Suécia…

    • Caro Sérgio,
      Também não é possível fazer uma análise comparativa sem incluir factores que, ainda que alguns sejam intangíveis, são também muito importantes. Tais como os factores socioeconómicos.
      Vimos os efeitos que a pandemia causou nos meios mais desfavorecidos dos EUA (minorias; grupos economicamente deprimidos; etc.)
      Logo, para uma análise comparativa com algum rigor científico esses factores devem ser tidos em conta.
      Assim, seria mais correcto fazer as comparações de estratégia estre a Suécia e, por exemplo, a Dinamarca.
      Então?!…os números já lhe dizem mais alguma coisa sobre eficácia de estratégia???

        • Bem pelo contrário. Mas a tua cabeça não dá para muito mais.
          O outro quer fazer uma comparação entre a Suécia e a Dinamarca. De facto a ignorância é atrevida. Bem se vê que nem nunca foi à Suécia ou à Dinamarca. Esses dois países não têm nada a ver um com o outro do ponto de vista social, cultural, económico. Enfim.

          • Hahahahaaa… mais um iluminado!…
            Exacto, a Suécia e a Dinamarca não tem NADA a ver e por isso não se podem comparar – já comparar a Suécia com Portugal, com a Bélgica, ou com meio mundo, faz todo o sentido!….

      • Caro Thomas, sim, é verdade, há muitos factores que influenciam os números, mas por isso mesmo não há razão para a campanha em curso contra a Suécia. Nunca disse que a Dinamarca estava errada, ou a Alemanha, ou Portugal, apenas percebe-se que a Suécia está, por agora, dentro do mesmo resultado que aconteceu com outros países, como a França ou a Holanda. Não me lembro de ler um artigo a denegrir estes dois países e a questionar a estratégia adoptada.

        • Mas qual campanha contra a Suécia??
          Onde está a “manipulação e a falta de rigor dos media” na notícia?
          Enfim… uma coisa é saber ler; outra é saber interpretar o que se lê!…

  3. Humanamente o “Big Brother Sweden ” mostrou se mais uma vez irresponsável. (Durante a 2a guerra mundial mantiveram se “neutrais”, mas deixaram as tropas alemãs atravessar o pais para ir matar os noruegueses. O que de facto aconteceu).
    Tudo em nome, e sempre em nome do dinheiro.
    Suécia tem sensivelmente (um pouco inferior) a mesma população que Portugal, mas um território muito superior. Tem practicamente 4 × mais mortes que nos. O mais mortífera em Europa.

    Muitos dos trabalhadores nos lares na Suécia trabalham à hora. O que resulta em, que trabalham em simultânea em varios lares. Tornando a transmissão do virus super facil. A Suécia socialista já foi …. há muitos anos. Com este tipo de contratos de trabalho para trabalhadores no sector social/saúde é …. capitalista e irresponsavel.
    Pensando que podiam salvar a sua economia, sozinhos no mundo em pandamia é no minimo : narcisismo, megalomanía e profunda ignorância.
    Coisas que muitos dos líderes de varios grandes nações sofrem. Neste momento da história.

  4. Eu acho que o governo sueco agiu mal. Claramente deveria ter promovido a defesa da mulher sueca, esse património mundial da humanidade.

  5. Achei graça que agora querem invadir outros países, mas de forma egocentrista, pois já ‘devem’ estar bem protegidos quando vão para o estrangeiro. Pouco importa que as populações lá correm o risco serem infectadas por esta vaga de vikings.
    Conclusão: Continuam anti-sociais os escandinavos, mas bem camuflado!

  6. Existe um fenómeno, popularmente designado de “carneirada” que faz com que todos se alinhem e digam mal daqueles que são diferentes, tomam opções diferentes, escolham diferentes caminhos.
    Este fenómeno está aqui bem patente. Efetivamente, o desempenho da Suécia não foi assim tão mau. Vários outros países tiverem desempenhos piores.
    Destaca-se a Suécia porque tomou opções diferentes. E os carneiros vêm sempre todos marrar sem saber bem o motivo. Marram porque o outro também marrou. É uma lógica grupal marcada pela ausência de análise de raciocínio e interpretação do mundo e remissão dessas funções para um pseudo ser superior dotado de capacidade de compreender e determinar o que está correto ou incorreto. E se alguém diz que é para marrar, todos se juntam e marram alegremente. Agora estão todos a marrar na Suécia. Mas ainda há 1 mês atrás marravam todos na Holanda.

  7. A peça pretende avaliar, do ponto de vista económico, a estratégia da Suécia… com base em previsões!
    Oh meus amigos, prognósticos é no final do jogo

  8. Estes julgavam que eram mais espertos e inteligentes que os outros – o eterno complexo de superioridade.
    Acabaram por ter mais do triplo dos mortos que Portugal (com uma população ainda um pouco menor).

    • Do ponto de vista per capita o desempenho é 3 vezes pior. Mas o nosso desempenho está longe de estar entre os melhores. A nível per capita também não estamos bem.

  9. Admitindo que não houve mortes na Suécia por incapacidade de resposta do serviço de saúde, muito provavelmente estaremos a tirar conclusões precipitadas. O tempo o dirá mas é provável que eles apenas tenham acelerado as mortes que inevitavelmente iriam sempre ocorrer seja pela idade, doenças, etc nos demais países onde todos estiveram confinados. Daqui a um ano fazemos as contas…se cá estivemos

  10. o numero de mortes nao esta relacionado diretamente com a estrategia seguida. a estrategia basicamente influencia a tx de crescimento do contagio, e por isso pode implicar uma maior ou menor numero de infetados num dado periodo de tempo. a estrategia generica foi diminuir o numero de casos a durante um maior periodo de tempo. a estrategia da suecia implicava um aumento mais rapido de numero de infetados mas por um periodo menor. ainda nao sabemos e so os proximos meses reveleram essa evoluçao. quanto ao numero de mortos, temos 11% de mortos para os infetados identificados e 4% em portugal. é um numero substancialmente maior mas nao sabemos quantos sao realmente os infetados em nenhum dos paises e isso influencia a taxa. também nao sabemos muito bem a condiçao de saude desses obitos. a dgs fala em 40% de obitos com 3 ou mais patologias e media idade 81,4 anos. para comparar os dados da tx moprtalidade teremos que saber tb os dados da suecia para perceber as razoes. mas basicamente, estes dados por si so nao devem ser utilizados para catalogar as estrategias seguidas,

RESPONDER

Tribunal de Justiça da UE rejeita recurso de suspeito do caso Maddie

O Tribunal de Justiça da União Europeia rejeitou, esta quinta-feira, o recurso de Christian B. contra a sua detenção, após ser extraditado para a Alemanha por um juiz italiano, em execução de mandado europeu. Christian B. …

Antigo gestor de Isabel dos Santos denuncia "contrato falso" da Sonangol

O antigo assessor da empresária Isabel dos Santos na Sonangol, Mário Leite da Silva, queixou-se junto de reguladores internacionais sobre um “contrato falso” que terá lesado a petrolífera angolana em 193 milhões de euros em …

Presidente do Líbano pede ajuda na ONU para a reconstrução pós-explosão

O Presidente do Líbano, Michel Aoun, pediu na quarta-feira à comunidade internacional apoio para a reconstrução do principal porto do país e dos bairros de Beirute destruídos pela catastrófica explosão ocorrida em agosto. Na sua intervenção pré-gravada …

Ninguém foi indiciado pela morte de Breonna Taylor. Dois polícias baleados durante protestos

Um painel de jurados do Kentucky indiciou esta quarta-feira apenas um polícia por disparar contra apartamentos na vizinhança, mas não avançou com acusações contra nenhum polícia na morte da jovem negra Breonna Taylor. Imediatamente após o …

Multas de transportes públicos não são cobradas há três anos (e já chegam aos 17,6 milhões de euros)

As multas nos transportes públicos não estão a ser cobradas desde setembro de 2017 e já chegam a mais de 17,68 milhões de euros. As primeiras multas desde que foi alterado o regime de sanções, …

Football Leaks. PGR e FPF só souberam de ataques informáticos pela PJ

A Procuradoria Geral da República (PGR) e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) só souberam que tinham sido alvo de ataques informáticos através da Polícia Judiciária (PJ), revelou esta quinta-feira o inspetor José Amador no …

Governo prolonga prazo das moratórias até setembro de 2021. Portugal em contingência até 14 de outubro

O Conselho de Ministros decidiu prorrogar, esta quinta-feira, a vigência da situação de contingência em Portugal continental até às 23h59 de 14 de outubro. As moratórias de crédito foram prolongadas até 30 de setembro de …

Trump diz que diretrizes mais rigorosas para aprovação de vacina são “jogada política”

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse, esta quarta-feira, que a Casa Branca “pode ou não” aprovar novas directrizes da Food and Drug Administration. As novas diretrizes para aprovação de vacina contra a covid-19 exigem …

Maduro insta ONU a criar fundo que garanta alimentos e medicamentos

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, propôs que a Organização das Nações Unidas (ONU) crie um fundo rotativo de compras públicas para garantir o acesso a alimentos e a produtos de saúde, financiado com recursos …

Mais três mortes e 691 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 691 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da Direção-Geral de Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da …