Covid-19. Modelos financeiros são uma melhor alternativa ao “R”

O “R” não é o melhor indicador para medir o risco e o estado da pandemia de covid-19. Uma abordagem baseada em modelos utilizados nos mercados financeiros é a escolha mais adequada.

O indicador mais importante sobre o estado da pandemia é o “R”. Também conhecido como taxa de reprodução, é o número médio de pessoas para as quais uma pessoa infetada transmitirá o vírus. O número R orienta as decisões do governo e, sem dúvida, é uma forma muito intuitiva de medir o estado da pandemia.

No entanto, o número R tem recebido muitas críticas porque é uma média, o que significa que ignora informações úteis sobre os indivíduos e, portanto, não tem em conta a incerteza. Isso inclui o facto de que há uma variação considerável no tempo de incubação do vírus e um grande número de pessoas infetadas, mas assintomáticas, que são difíceis de detetar, além de pacientes que infetam muito mais pessoas do que a média.

Para estimar melhor a ameaça do vírus às nossas populações, os governos devem olhar para os modelos estatísticos usados para os mercados financeiros. A saúde pública compartilha uma característica importante com os mercados financeiros: ambos são compostos por muitas partes interativas que podem ser expostas a choques raros e generalizados, com consequências potencialmente críticas que podem espalhar-se além fronteiras.

A crise financeira global de 2007-09 foi, em muitos aspetos, o equivalente financeiro de uma pandemia. Tudo começou quando uma bolha imobiliária estourou nos EUA e rapidamente espalhou-se internacionalmente por meio do complexo sistema que existia para negociar dívida hipotecária entre instituições financeiras. Isso levou a tudo, desde colapsos bancários a inadimplências da dívida nacional.

Para tentar evitar que tal catástrofe aconteça novamente, o sistema financeiro global desenvolveu um sistema regulatório para testes de stresse de bancos e carteiras de investimentos de grandes empresas. Esses testes avaliam a fragilidade dos bancos e carteiras de investimento e melhoram a sua imunidade a choques, fazendo perguntas como, “quanto eles poderiam perder com um evento raro?” e “quão grave esse choque deve ser antes que o banco entre em colapso?”.

Esses testes contam com modelos de risco preditivo financeiro. Esta técnica não se concentra no que se espera que aconteça a seguir, mas sim na probabilidade de eventos raros como os que precipitaram a crise de 2007-09.

Essa modelagem também é usada para observar o risco de queda do que pode acontecer com a macroeconomia, que é outro ambiente altamente incerto. Por exemplo, quanto PIB será perdido se um raro choque negativo atingir os mercados financeiros. Técnicas semelhantes podem ser usadas para melhorar as nossas previsões sobre a covid-19.

PARTILHAR

RESPONDER

Tragédia Hillsborough: morreu uma vítima, depois de 32 anos em estado vegetativo

Andrew Devine faleceu aos 55 anos. É oficialmente a 97.ª pessoa a morrer por causa do desastre em 1989, em Sheffield. De 15 de abril de 1989 até 27 de julho de 2021 passaram mais de …

Trabalhadores da Google só regressam aos escritórios em outubro e todos vacinados

A maioria dos trabalhadores da Google só regressará aos escritórios em meados de outubro, depois de ser totalmente vacinada, numa tentativa de combater a disseminação da variante Delta do novo coronavírus SARS-COV-2, anunciou esta quarta-feira …

Primeiro-ministro tunisino terá sido agredido antes de concordar em renunciar

O primeiro-ministro da Tunísia, Hichem Mechichi, terá sido alegadamente agredido dentro do palácio presidencial antes de ser afastado de cargo pelo chefe de Estado do país, Kais Saied. Mechichi e o restante governo foram demitidos na …

Comissão Europeia envia primeiro “cheque” do PRR na próxima semana

A Comissão Europeia irá fazer o pagamento da primeira verba do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) no decorrer da próxima semana. Na sessão de assinatura dos contratos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência da União …

Marcelo pede ao TC fiscalização do artigo 6.º da Carta de Direitos na Era Digital

O Presidente da República pediu, esta quinta-feira, ao Tribunal Constitucional a fiscalização sucessiva do artigo 6.º da Carta Portuguesa de Direitos Humanos na Era Digital em vigor, tendo em conta o "importante debate público" sobre …

Portugal regista mais 10 mortes e 3009 casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais 10 mortes e 3009 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3009 novos …

Ministra da Coesão diz que Portugal vai precisar de imigrantes

A ministra da Coesão Territorial disse hoje que a perda de população é preocupante e que Portugal vai ter de trabalhar numa política de imigração muito ativa e acolhedora para fazer face aos investimentos previstos. "Estando …

Testes rápidos serão gratuitos até ao final de agosto

A comparticipação a 100% dos testes rápidos de antigénio (TRAg), que vigorava até final do mês, foi alargada até 31 de agosto, segundo uma portaria esta quinta-feira publicada em Diário da República. "Perante a atual situação …

Tiago Antunes acusa Rui Rio de usar Constituição como "moeda de troca" para agradar ao Chega

No podcast Política com Palavra do PS, o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes, acusou Rui Rio de propor a revisão da Constituição e do sistema eleitoral como "moeda de troca" para o …

Pedro Nuno Santos quer receitas da rodovia a ajudar a financiar a ferrovia

Há dois anos, o ministro defendia a possível separação da REFER das Estradas de Portugal. Agora, volta atrás e quer que as receitas de rodovia ajudem a financiar a ferrovia. O Ministro das Infraestruturas e da …