OMS sobre Covid-19: O mundo “simplesmente não está pronto” para enfrentar a epidemia

Salvatore Di Nolfi / EPA

O especialista que liderou a equipa da Organização Mundial de Saúde (OMS) enviada à China disse hoje que o mundo “simplesmente não está pronto” para enfrentar a epidemia do novo coronavírus.

Bruce Aylward, médico canadiano especialista em emergência, saudou o trabalho desenvolvido por Pequim para conter a doença.

“Devemos estar prontos para gerir isto [uma epidemia] a uma grande escala, e isso deve ser feito rapidamente”, mas o mundo “simplesmente não está pronto”, disse Bruce Aylward em conferência de imprensa em Genebra, referindo-se à possibilidade de se verificar uma pandemia do novo coronavírus, Covid-19.

“Não estamos prontos como deveríamos”, tanto do ponto de vista “psicológico” quanto “material”, afirmou. A missão da OMS visitou várias cidades e províncias chinesas, incluindo Wuhan, berço da epidemia de coronavírus – batizada Covid-19 – para estudar a sua evolução e seus efeitos.

“A avaliação unânime da equipa é que eles [os chineses] mudaram o curso desta epidemia… É impressionante“, disse Bruce Aylward, um veterano na luta contra a epidemia do Ébola.

“Se tiver Covid-19, quero ser tratado na China”, acrescentou, a título de exemplo, destacando os esforços desse país para equipar hospitais e construir novos.

“A China sabe como manter vivas as pessoas com coronavírus”, disse, exortando o resto da comunidade internacional a estar mais preparado.

A epidemia do novo coronavírus atingiu o seu pico na China entre 23 de janeiro e 2 de fevereiro, diminuindo o número diário de novos casos desde então, segundo a OMS. Na China, o vírus infetou cerca de 77.000 pessoas, das quais 2.600 morreram.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.707 mortos e cerca de 80.300 pessoas infetadas, de acordo com dados reportados até hoje, por cerca de 30 países. Além de 2.665 mortos na China, onde o surto começou no final do ano, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência internacional, e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão, nos últimos dias.

Em Portugal, já houve 15 casos suspeitos, que resultaram negativos após análises, e está ainda em avaliação um homem, hospitalizado hoje, no Porto.

O único caso conhecido de um português infetado pelo novo vírus é o de um tripulante de um navio de cruzeiros que está hospitalizado no Japão.

Marcelo admite possível “problema europeu”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que o coronavírus Covid-19 pode transformar-se num “problema europeu”, dado o aumento de casos em Itália, mas alertou para a impossibilidade do fecho de fronteiras.

“Temos a noção de que há aqui um problema que se pode converter num problema europeu, porque a Itália não descobriu ainda a fonte, a origem, da cadeia que chega agora a muitas localidades e, não descobrindo, e com a circulação que existe sobretudo para os países vizinhos em termos de fronteiras da Itália, isto acaba por ir parar um pouco a toda a Europa, a uma parte significativa da Europa”, disse o Presidente.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas à margem de uma visita à Academia Johnson, em Alfragide, Amadora (distrito de Lisboa), e acrescentou que “tudo o que está a ser feito para preparar a estrutura para um eventual agravamento está a ser feito de forma rápida, mas está a ser bem feito”.

Isso é impossível, fechar fronteiras. Alguns países acham que é possível fechar fronteiras, o que eles estão a fazer é controlar algumas pessoas na fronteira, e todos nós sabemos que as pessoas circulam de tal maneira na Europa, que há tantos pontos de passagem por terra, não estou a dizer por mar ou por ar, mas por terra, que é muito difícil fechar fronteiras”, considerou.

Na ótica do Presidente, a “solução é preparar para o futuro uma ação conjunta, como se está a fazer agora e estar preparado mesmo para aquilo que ninguém esperaria”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Este assunto já começa a cheirar mal, provavelmente porque não está a ter ao retorno económico a que se propuseram!
    Noticias de casos um aqui outro acolá, depois dá negativo, enfim, algo de muito grave nos ocultam as forças do mal!?!
    Vamos indo e vendo, esta novela que se desenrola a passo de caracol, onde ja se criam outras vertentes de negócio, incrível…

  2. Evitar um mal maior, uma pandemia, é possível, e sabe-se como:
    – Fechem as fronteiras, impeçam a circulação de pessoas e mercadorias, instaurem recolher obrigatório e lei marcial.
    Em pouco tempo o COVID-19 será erradicado, depois é só evitar que volte a surgir, e também se sabe como, mudando de hábitos alimentares, nomeadamente na China.
    Agora permitir que uma pandemia que por selecção natural, vai eliminar os idosos e doentes crónicos, que inviabilizam os sistemas de saúde e de pensões, é uma forma cruel de os tornar sustentável.
    É fácil dizer que isso teria implicações nas economias a nível global, mas não será pior assim?
    Sejam humanos, vejam as pessoas como ser humanos e não como números mais ou menos incómodos.

RESPONDER

O nosso cérebro evoluiu para acumular mantimentos (e julgar os outros por fazer o mesmo)

O nosso cérebro evoluiu de uma forma que, em situações de stress, acumulamos mantimentos e julgamos os outros por fazer exatamente o mesmo. Os media estão repletos de histórias – e a condenação – de pessoas que …

Autarca de Vieira do Minho denuncia: testes estão a ser desviados para Lisboa

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Gerês/Cabreira, Vieira do Minho, detetou 77 infetados pelo novo coronavírus, com os autarcas da área a reclamarem contra a demora na distribuição de testes, disse esta sexta-feira à …

Trump recomenda uso de máscaras (mas recusa-se a usá-las)

Esta sexta-feira, os Estados Unidos tiveram, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de mortes em 24 horas, num total de 1.094, e contam com quase 30 mil novos casos. No seu briefing diário, de acordo …

A Antártida já foi uma floresta tropical

A Antártida pode ter sido o lar de ecossistemas quentes e pantanosos cercados por fetos e árvores coníferas há 90 milhões de anos, altura marcada pelo auge dos dinossauros. Uma análise do solo antigo extraído da …

Algumas estrelas têm "veneno" dentro de si (e é por isso que explodem)

Algumas estrelas têm um "veneno" dentro de si: o elemento néon no núcleo das estrelas pode desencadear uma reação química que leva a uma morte definitiva e explosiva. Estrelas menos massivas, como o nosso Sol, expandem-se …

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …

Descobertas sete novas aranhas-pavão. E uma parece um quadro de Van Gogh

Foram encontradas sete novas espécies de aranha do género Maratus. E há uma que se destaca por se parecer com "A Noite Estrelada", famoso quadro de Vincent Van Gogh. Nos últimos anos, as aranhas-pavão (do género Maratus) …

Estado de emergência no México suspende produção de cerveja Corona

Nem toda a publicidade é boa publicidade. Que o diga a cerveja mexicana Corona que, em tempos de pandemia, partilha o nome com o vírus de que já ninguém quer ouvir falar. Segundo o jornal The …

Gás natural pode transformar Moçambique no "Qatar de África" (se os jihadistas deixarem)

A descoberta de gás natural em Moçambique é vista como uma grande esperança para o país que, à boleia dos avultados investimentos que está a receber de grandes multinacionais, sonha tornar-se no "Qatar de África". …