África “a duas ou três semanas” de uma situação semelhante à da Itália ou Espanha

Nic Bothma / EPA

África está a “duas ou três semanas” de atingir uma situação semelhante à da Itália ou Espanha e precisa de um estímulo financeiro de 100 mil milhões de dólares para reforçar medidas preventivas e reforçar o sistema de saúde para conseguir combater a pandemia de Covid-19.

O alerta é de Vera Songw, secretária executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África, que frisa, em declarações à Bloomberg, que o continente africano, que tem um sistema de saúde já fragilizado, pode ser assolado por uma tempestade “tão brutal” como aquela que atingiu Espanha e Itália, os países europeus mais afetados com a pandemia.

Por isso, defendeu a responsável, é importante que o continente receba rapidamente um forte estímulo financeiro, podendo metade deste valor ser oriundo da renúncia de pagamentos de juros a instituições multilaterais.

Segundo Songw, esta almofada financeira permitiria aos países impor medidas de distanciamento social, ampliar redes de segurança social e equipar hospitais para tratar doentes ainda antes do aumento esperado de infeções por covid-19.

“Se queremos ter uma possibilidade de lutar, precisamos [desta oportunidade] imediatamente (…) Nas próximas duas a três semanas, se agirmos de forma decisiva, podemos ser capazes de aplanar a curva e, quando a tempestade chegar, não será tão brutal como se verifica na Europa”, considerou a responsável.

Tal como recorda o jornal Observador, vários responsáveis internacionais têm alertado para a situação de África. A diretora da Organização Mundial da Saúde para África, Matshidiso Moeti, começou por classificar a evolução de casos da covid-19 como “dramática”.

Recentemente, John Nkengasong, chefe do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças, corrigiu as suas declarações: “Antes disse que era uma ameaça iminente para o continente, agora digo que é um desastre iminente“.

Em declarações ao jornal espanhol La Vanguardia, vários especialistas dão conta que a progressão do vírus em solo africano é semelhante à que se verificou em Itália ou Espanha, apesar de já terem sido tomadas algumas medidas restritivas.

África pede perdão de dívida total

Os ministros das Finanças africanos alertaram esta quarta-feira que o continente pode levar até três anos para recuperar dos efeitos da pandemia e defenderam um perdão de toda a dívida, e para todos os países, durante esse período.

No segundo encontro dos ministros das Finanças africanos, liderado pela secretária executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA), os governantes defenderam que o continente “está a enfrentar um profundo e sincronizado abrandamento económico e que a recuperação pode demorar até três anos”.

No comunicado de imprensa que dá conta das conclusões da reunião, os governantes concordaram que “o foco imediato deve permanecer na frente humanitária e de saúde” e apontaram a necessidade de “continuar a alertar as pessoas sobre a importância dos testes e do distanciamento social”.

Para além da questão de saúde, os ministros africanos insistiram na necessidade de haver um perdão da dívida, mas alargaram o pedido a todo o tipo de dívida e a todos os países do continente, durante os próximos três anos, alargando, assim, a proposta feita na semana passada.

“Os ministros pediram um alívio da dívida por parte dos parceiros bilaterais, multilaterais e comerciais com o apoio de instituições financeiras multilaterais e bilaterais, como o Fundo Monetário Internacional, o Banco Mundial e a União Europeia, para garantir que os países africanos garantem a margem orçamental de que precisam para lidar com a crise da covid-19”, lê-se no comunicado que dá conta das decisões da segunda reunião, feita à distância e na qual alguns ministros já aparecem a usar máscaras.

Este pedido sobre a dívida, salientam, “deve ser para toda a África e deve ser feito de forma colaborativa e coordenada, através da criação de um veículo financeiro especial que lide com as obrigações da dívida soberana”.

ZAP ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Se a pandemia alastrar por África da mesma forma do que por cá, então certamente irá haver milhões de mortes nesse continente!

RESPONDER

O vulcão em erupção na Islândia está agora à venda

O vulcão no sudoeste da Islândia, na Península de Reykjanes, que entrou em erupção no final de março, está agora à venda (e já há várias propostas em cima da mesa). De acordo com o jornal …

Após críticas, Cravinho garante que cartões de Antigo Combatente já estão a ser enviados

O Ministro da Defesa garantiu hoje que os cartões de Antigo Combatente já estão a ser produzidos e alguns já foram distribuídos aos beneficiários, assegurando que o processo vai continuar. João Gomes Cravinho abordou o tema …

Palácio onde Churchill nasceu muda nome do "Quarto Indiano" (para afastar polémica sobre ligações coloniais)

O Palácio de Blenheim mudou o nome da sua “Sala Indiana” para evitar polémica sobre ligações coloniais numa nova exposição sobre Winston Churchill. Uma exposição intitulada "O Grande Britânico" no local de nascimento do líder do …

militares a cantar hino do Sporting na parada

Exército investiga vídeo de militares a cantar hino do Sporting na parada

O vídeo que mostra recrutas de um quartel do Funchal, na Madeira, a entoar cânticos de apoio ao Sporting durante uma parada militar está a ser investigado pelo Exército. O episódio terá acontecido depois de …

Autoridade Marítima diz que multas nas praias ainda não podem ser aplicadas

A Autoridade Marítima Nacional explicou hoje que a fiscalização das praias se vai pautar pela sensibilização para o cumprimento das medidas de prevenção da covid-19, indicando que as coimas por incumprimento só podem ser aplicadas …

Trabalhadores das cantinas e refeitórios em greve na 2.ª feira por aumentos salariais

Os trabalhadores das cantinas, refeitórios, fábricas de refeições e bares concessionados vão estar em greve na segunda-feira, por aumentos salariais, segundo a Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (FESAHT). Além …

469 novos casos, 7 mortes e 386 recuperados em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal registou, nas últimas 24 horas, sete mortes atribuídas à covid-19 e 469 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, segundo o boletim epidemiológico da Direção Geral da Saúde. O número de internamentos continua a descer. …

Limpeza, segurança e discrição. O Monte de Saint Michael procura um "rei" para o seu castelo

O Monte de Saint Michael, uma fortificação histórica na Cornualha, está a procura de um "rei". O trabalho inclui a responsabilidade pela segurança e proteção do castelo.  Abriram as inscrições para um "oficial do castelo" residente …

China cancela subidas ao Evereste por receio de casos vindos do Nepal

A China cancelou as permissões de escalar o Monte Evereste do seu lado do pico mais alto do mundo devido ao receio de importar casos de covid-19 do vizinho Nepal, noticiou a imprensa estatal. O encerramento …

Marcelo e Ferro repudiam identificação “inaceitável” de deputada em notícia da Lusa

O Presidente da República e o presidente da Assembleia da República condenaram a “lamentável notícia” da Lusa na qual se identificava a deputada do PS, Romualda Fernandes, de modo “a todos os títulos inaceitável”. A …