África “a duas ou três semanas” de uma situação semelhante à da Itália ou Espanha

Nic Bothma / EPA

África está a “duas ou três semanas” de atingir uma situação semelhante à da Itália ou Espanha e precisa de um estímulo financeiro de 100 mil milhões de dólares para reforçar medidas preventivas e reforçar o sistema de saúde para conseguir combater a pandemia de Covid-19.

O alerta é de Vera Songw, secretária executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África, que frisa, em declarações à Bloomberg, que o continente africano, que tem um sistema de saúde já fragilizado, pode ser assolado por uma tempestade “tão brutal” como aquela que atingiu Espanha e Itália, os países europeus mais afetados com a pandemia.

Por isso, defendeu a responsável, é importante que o continente receba rapidamente um forte estímulo financeiro, podendo metade deste valor ser oriundo da renúncia de pagamentos de juros a instituições multilaterais.

Segundo Songw, esta almofada financeira permitiria aos países impor medidas de distanciamento social, ampliar redes de segurança social e equipar hospitais para tratar doentes ainda antes do aumento esperado de infeções por covid-19.

“Se queremos ter uma possibilidade de lutar, precisamos [desta oportunidade] imediatamente (…) Nas próximas duas a três semanas, se agirmos de forma decisiva, podemos ser capazes de aplanar a curva e, quando a tempestade chegar, não será tão brutal como se verifica na Europa”, considerou a responsável.

Tal como recorda o jornal Observador, vários responsáveis internacionais têm alertado para a situação de África. A diretora da Organização Mundial da Saúde para África, Matshidiso Moeti, começou por classificar a evolução de casos da covid-19 como “dramática”.

Recentemente, John Nkengasong, chefe do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças, corrigiu as suas declarações: “Antes disse que era uma ameaça iminente para o continente, agora digo que é um desastre iminente“.

Em declarações ao jornal espanhol La Vanguardia, vários especialistas dão conta que a progressão do vírus em solo africano é semelhante à que se verificou em Itália ou Espanha, apesar de já terem sido tomadas algumas medidas restritivas.

África pede perdão de dívida total

Os ministros das Finanças africanos alertaram esta quarta-feira que o continente pode levar até três anos para recuperar dos efeitos da pandemia e defenderam um perdão de toda a dívida, e para todos os países, durante esse período.

No segundo encontro dos ministros das Finanças africanos, liderado pela secretária executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA), os governantes defenderam que o continente “está a enfrentar um profundo e sincronizado abrandamento económico e que a recuperação pode demorar até três anos”.

No comunicado de imprensa que dá conta das conclusões da reunião, os governantes concordaram que “o foco imediato deve permanecer na frente humanitária e de saúde” e apontaram a necessidade de “continuar a alertar as pessoas sobre a importância dos testes e do distanciamento social”.

Para além da questão de saúde, os ministros africanos insistiram na necessidade de haver um perdão da dívida, mas alargaram o pedido a todo o tipo de dívida e a todos os países do continente, durante os próximos três anos, alargando, assim, a proposta feita na semana passada.

“Os ministros pediram um alívio da dívida por parte dos parceiros bilaterais, multilaterais e comerciais com o apoio de instituições financeiras multilaterais e bilaterais, como o Fundo Monetário Internacional, o Banco Mundial e a União Europeia, para garantir que os países africanos garantem a margem orçamental de que precisam para lidar com a crise da covid-19”, lê-se no comunicado que dá conta das decisões da segunda reunião, feita à distância e na qual alguns ministros já aparecem a usar máscaras.

Este pedido sobre a dívida, salientam, “deve ser para toda a África e deve ser feito de forma colaborativa e coordenada, através da criação de um veículo financeiro especial que lide com as obrigações da dívida soberana”.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Se a pandemia alastrar por África da mesma forma do que por cá, então certamente irá haver milhões de mortes nesse continente!

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado e Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …