/

Pessoas com mais de 80 anos começam a ser vacinadas já na próxima semana

1

Abir Sultan / EPA

Todas as pessoas com mais de 80 anos de idade vão ser incluídas na primeira fase do plano de vacinação contra a covid-19, anunciou esta quinta-feira o coordenador do plano, Francisco Ramos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Todas as pessoas com mais de 80 anos de idade vão ser incluídas na primeira fase do plano de vacinação contra a covid-19, independentemente da existência de doenças associadas, foi esta quinta-feira anunciado.

O coordenador do plano, Francisco Ramos considerou que esta é “provavelmente a mais importante” alteração ao plano de vacinação do país, uma decisão justificada pelo aumento da incidência da doença.

“Aquilo que fica integrado no plano é manter o grupo dos 50 aos 79 anos com as comorbilidades, mas incluir também nesta fase 1 todas as pessoas com mais de 80 anos, independentemente de qualquer comorbilidade ou patologia que tenham”, adiantou, durante a apresentação da atualização do plano de vacinação.

De acordo com a revisão, está prevista a vacinação ainda no decurso da primeira fase – que se estende até abril – de 670 mil pessoas com 80 ou mais anos. A taskforce responsável pelo processo estima que até ao final de março existam já 170 mil pessoas dentro deste grupo com a vacinação completa e outras 170 mil apenas com a primeira toma da vacina.

“Foi possível perceber neste tempo de pandemia que era importante incluir o grupo dos idosos com mais de 80 anos, em função dos níveis de evolução da pandemia e do nível de severidade atingido nesta altura”, reiterou Francisco Ramos.

Paralelamente, o coordenador explicou a alteração introduzida no plano de vacinação com o reforço das metas definidas pela Comissão Europeia na última semana, que apontou à vacinação de pelo menos 80% das pessoas com mais de 80 anos e os profissionais de saúde contra a covid-19, relata a SIC Notícias.

“Aquilo que temos garantido são 2.214.000 doses a receber até final de março. Para atingir este objetivo vamos precisar de 1.642.000 doses para vacinar por completo 800 mil pessoas e 520 mil para iniciar a vacinação. É possível atingir este objetivo com as doses que temos contratadas com a Pfizer, a Moderna e na expectativa de que a vacina da AstraZeneca seja aprovada”, notou, assumindo que a aprovação possa ocorrer esta sexta-feira pela Agência Europeia do Medicamento (EMA).

Já sobre eventuais casos de pessoas com 80 ou mais anos que estejam acamadas em casa, Francisco Ramos assegurou que “haverá equipas de vacinação ao domicílio”, mas salientou que se trata de “um esforço suplementar e que a nível local terão de ser encontradas essas soluções”.

A vacinação contra a covid-19 dos órgãos de soberania deve estender-se a aproximadamente mil pessoas, ainda de acordo com a atualização do plano de vacinação hoje apresentada.

Em causa está a vacinação dos titulares de órgãos de soberania, altos cargos com funções no quadro do Estado de Emergência, responsáveis da proteção civil, Procuradoria-Geral da República e Ministério Público.

Questionado sobre os casos de ministros que estão infetados com o vírus SARS-CoV-2 ou já estiveram nos últimos meses, o coordenador da taskforce observou que a orientação é a mesma para o resto dos cidadãos, ou seja, “quem já teve a doença e já recuperou da doença não será vacinado nesta fase”.

74 mil pessoas já tomaram as duas doses

Das mais de 400 mil doses de vacina da Pfizer e da Moderna que chegaram a Portugal foram administradas 252 mil, com 74 mil pessoas já com a toma das duas doses previstas.

De acordo com o Expresso, que cita o coordenador da taskforce para o plano da vacinação, Francisco Ramos, 183 mil pessoas tomaram a primeira dose. As reações adversas à vacina, continuou, são de 0,65 por 100 vacinados e estão em consonância com os ensaios clínicos.

Neste primeiro trimestre deverão chegar a Portugal 1,5 milhões de doses e no segundo trimestre cinco milhões, prosseguindo a vacinação das pessoas com mais de 50 anos com doenças de risco para a covid-19 e daquelas com mais de 80 anos.

Foram vacinados cerca de 57.500 profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS) com as duas tomas e 16 mil iniciaram ao processo. No privado e nas misericórdias foram 2.300, com uma dose apenas.

No final de março haverá “810 mil pessoas com vacinação completa e 520 mil com primeira toma administrada”, previu Francisco Ramos, estando nessa altura vacinados residentes e profissionais de lares, metade do grupo de 600 mil pessoas com mais de 50 anos e cormobilidades, 120 mil profissionais de saúde, 21 mil elementos das forças armadas e de outros serviços críticos.

Haverá ainda pelo menos um centro de vacinação por concelho a partir desse mês.

Como recordou o ECO, Portugal tem quase 30 milhões de vacinas contratadas, entre as aprovadas e as que aguardam aprovação.

  Taísa Pagno //

1 Comment

  1. Até hoje chegaram 386.000 vacinas. Assim, a este ritmo, são precisos 54 meses (4 anos e meio) para termos vacinas para todos os portugueses. Viva o Portugal miserável.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.