Presidente da Comunidade de Madrid recusa confinamento total (e é acusada de “segregação”)

A presidente da Comunidade de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, manteve o seu repúdio ao confinamento total da capital espanhola, apesar do aumento de casos pelo novo coronavírus, considerando que o pedido do Ministério da Saúde se baseia em razões políticas.

Isabel Díaz Ayuso sublinhou que “Madrid não pode ser encerrada”, como pede o Ministério da Saúde.

Após o confronto com o Governo de Pedro Sánchez, que pede confinamento de municípios com uma incidência cumulativa de mais de 500 casos por cem mil habitantes, Ayuso acusou que é o executivo central que quebra a unidade.

“O confinamento total não é possível”, disse Ayuso numa entrevista à Antena 3, onde defendeu que Madrid tem “uma estratégia muito clara”: “as pessoas infetadas são colocadas em quarentena e as suas famílias são notificadas”, enquanto o resto fica “ligado”.

A presidente madrilena defende uma “solução intermédia” e fórmulas criativas mais complicadas que um confinamento total, que “foi fácil” na primeira vaga da pandemia.

Isabel Díaz Ayuso acrescentou que agora se está a “viver as consequências” desse confinamento total, o que está a “arruinar” o país.

O ministro da Saúde, Salvador Illa, considerou que na Comunidade de Madrid “é necessário agir com determinação” porque, embora o Governo atue em todas as regiões autónomas com os mesmos critérios, esta região apresenta características e situações especiais.

Illa pronunciou-se à televisão La Sexta em resposta à polémica suscitada na sexta-feira quando a Comunidade de Madrid anunciou que ia alargar as restrições de mobilidade a mais oito zonas, mas não as estendeu a toda a capital.

O ministro considera ter de rever estas restrições para as estender de acordo com as recomendações dos “especialistas”, porque, há um “sério risco” sanitário.

O governante considera que a Comunidade de Madrid tem de tomar medidas “mais drásticas”, pelo que voltou a apelar aos dirigentes para que as adotassem, e mostrou a confiança de que pode fazê-lo nas próximas “horas ou dias”.

Illa avisou que, se não o fizerem, agirá “em conformidade”, não especificando de que forma, porque o cenário previsto pelo governo é o de um “espaço de cooperação” com todas as comunidades autónomas.

Segundo o ministro da Saúde, Madrid é um importante centro de comunicação, tem uma zona com uma densidade populacional muito elevada que afeta as comunidades vizinhas e uma incidência cumulativa também muito alta, como hospitalização e ocupação das unidades de cuidados intensivos, bem como uma percentagem de casos positivos de análises PCR realizadas acima de 20%.

“É preciso ficar claro: em Madrid é preciso agir com determinação, é preciso assumir o controlo da pandemia e as recomendações são baseadas na experiência acumulada”, sublinhou.

Sul de Madrid volta a protestar

De acordo com o Diário De Notícias, centenas de pessoas reuniram-se junto à assembleia regional de Madrid, no bairro de Vallecas, que se encontra em confinamento parcial desde a semana passada, para voltar a protestar contra as restrições impostas pelo governo da Comunidade.

Manifestações semelhantes de menor dimensão foram realizadas noutras partes da cidade, incluindo em frente à Câmara Municipal e na sede do governo regional de Madrid, na Puerta del Sol.

Os manifestantes queixam-se de discriminação por parte das autoridades e exigem melhores serviços de saúde e menos polícia.

“Não é confinamento, é segregação” foi a palavra de ordem da multidão enquanto ocupou por momentos uma estrada em frente à assembleia.

“Eles não confinam os ricos”, foi um dos cartazes no protesto, que atraiu madrilenos de todas as idades.

Os manifestantes pedem a demissão da líder regional Isabel Díaz Ayuso sob fogo por dizer que o “estilo de vida” das pessoas nos bairros visados era parcialmente responsável pelo aumento dos casos de covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 998.463 mortos e mais de 32,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (41.988 mortos, mais de 434 mil casos), seguindo-se Itália (35.835 mortos, mais de 309 mil casos), França (31.727 mortos, mais de 538 mil casos) e Espanha (31.232 mortos, mais de 716 mil casos).

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Chernobyl do século XXI." Pandemia de covid-19 poderia ter sido evitada, dizem especialistas

A pandemia de covid-19 podia ter sido evitada e o mundo deve aprender com os erros que não permitiram travar a disseminação do vírus, conclui um novo relatório, divulgado esta quarta-feira. A pandemia de covid-19 poderia …

"Estamos a ver a patologia da banca. Uma patologia triste", diz CEO do Novo Banco

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho, tem visto, nos últimos tempos, grandes devedores da instituição financeira a explicarem-se na comissão de inquérito, classificando o que assiste como "triste". "Estamos a ver a patologia da …

Maduro aceita conversar com Guaidó sobre "acordo de salvação" da Venezuela

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou estar disposto a reunir-se quando a oposição quiser, um dia depois de o líder opositor Juan Guaidó propor um "acordo de salvação" da Venezuela, entre as "forças democráticas" e …

No Brasil, os "velhos" goleadores estão em destaque (e na Europa, ainda dão cartas)

Os goleadores de quase metade das equipas brasileiras que disputam a Copa Libertadores e a Sul-Americana têm mais de 30 anos. Aos olhos do futebol podem ser "velhos", mas preenchem o vazio dos jovens que …

Morreu Maria João Abreu. Atriz tinha 57 anos

Maria João Abreu morreu esta quinta-feira, após ter sofrido dois aneurismas. A atriz tinha apenas 57 anos. Maria João Abreu estava internada no Hospital Garcia de Orta, em Almada. A atriz, de 57 anos, foi submetida …

Um óbito e 436 novos casos registados nas últimas 24 horas

Esta quinta-feira, Portugal regista mais um óbito e 436 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

O "palheiro" de Vieira é agora um jardim (foi comprado pela Câmara de Vila Franca de Xira)

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, já não é dono do "palheiro" que foi entregue como aval pessoal no âmbito de empréstimos concedidos pelo Novo Banco. O dirigente vendeu o imóvel à Câmara de Vila …

Fim das moratórias. Banco de Fomento está a trabalhar com outros bancos

O Banco Português de Fomento está a trabalhar com vários stakeholders, nomeadamente os bancos, para ter o fim das moratórias em conta com a perspetiva para este e o próximo ano. Nos próximos tempos, o Banco …

Pessoas com 55 anos ou mais já podem agendar a vacina contra a covid-19

Depois dos maiores de 60 anos, chegou a vez da inscrição dos utentes com 55 anos ou mais. Estes cidadãos já podem agendar a toma da vacina contra a covid-19. O auto-agendamento para a vacina contra …

Primeiro-ministro israelita garante que o país usará "força crescente" contra Hamas

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, avisou na quarta-feira que Israel vai continuar a intensificar a força dos ataques retaliatórios contra as milícias palestinianas em Gaza e que vai visar vários comandantes da liderança militar do …