Presidente da Comunidade de Madrid recusa confinamento total (e é acusada de “segregação”)

A presidente da Comunidade de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, manteve o seu repúdio ao confinamento total da capital espanhola, apesar do aumento de casos pelo novo coronavírus, considerando que o pedido do Ministério da Saúde se baseia em razões políticas.

Isabel Díaz Ayuso sublinhou que “Madrid não pode ser encerrada”, como pede o Ministério da Saúde.

Após o confronto com o Governo de Pedro Sánchez, que pede confinamento de municípios com uma incidência cumulativa de mais de 500 casos por cem mil habitantes, Ayuso acusou que é o executivo central que quebra a unidade.

“O confinamento total não é possível”, disse Ayuso numa entrevista à Antena 3, onde defendeu que Madrid tem “uma estratégia muito clara”: “as pessoas infetadas são colocadas em quarentena e as suas famílias são notificadas”, enquanto o resto fica “ligado”.

A presidente madrilena defende uma “solução intermédia” e fórmulas criativas mais complicadas que um confinamento total, que “foi fácil” na primeira vaga da pandemia.

Isabel Díaz Ayuso acrescentou que agora se está a “viver as consequências” desse confinamento total, o que está a “arruinar” o país.

O ministro da Saúde, Salvador Illa, considerou que na Comunidade de Madrid “é necessário agir com determinação” porque, embora o Governo atue em todas as regiões autónomas com os mesmos critérios, esta região apresenta características e situações especiais.

Illa pronunciou-se à televisão La Sexta em resposta à polémica suscitada na sexta-feira quando a Comunidade de Madrid anunciou que ia alargar as restrições de mobilidade a mais oito zonas, mas não as estendeu a toda a capital.

O ministro considera ter de rever estas restrições para as estender de acordo com as recomendações dos “especialistas”, porque, há um “sério risco” sanitário.

O governante considera que a Comunidade de Madrid tem de tomar medidas “mais drásticas”, pelo que voltou a apelar aos dirigentes para que as adotassem, e mostrou a confiança de que pode fazê-lo nas próximas “horas ou dias”.

Illa avisou que, se não o fizerem, agirá “em conformidade”, não especificando de que forma, porque o cenário previsto pelo governo é o de um “espaço de cooperação” com todas as comunidades autónomas.

Segundo o ministro da Saúde, Madrid é um importante centro de comunicação, tem uma zona com uma densidade populacional muito elevada que afeta as comunidades vizinhas e uma incidência cumulativa também muito alta, como hospitalização e ocupação das unidades de cuidados intensivos, bem como uma percentagem de casos positivos de análises PCR realizadas acima de 20%.

“É preciso ficar claro: em Madrid é preciso agir com determinação, é preciso assumir o controlo da pandemia e as recomendações são baseadas na experiência acumulada”, sublinhou.

Sul de Madrid volta a protestar

De acordo com o Diário De Notícias, centenas de pessoas reuniram-se junto à assembleia regional de Madrid, no bairro de Vallecas, que se encontra em confinamento parcial desde a semana passada, para voltar a protestar contra as restrições impostas pelo governo da Comunidade.

Manifestações semelhantes de menor dimensão foram realizadas noutras partes da cidade, incluindo em frente à Câmara Municipal e na sede do governo regional de Madrid, na Puerta del Sol.

Os manifestantes queixam-se de discriminação por parte das autoridades e exigem melhores serviços de saúde e menos polícia.

“Não é confinamento, é segregação” foi a palavra de ordem da multidão enquanto ocupou por momentos uma estrada em frente à assembleia.

“Eles não confinam os ricos”, foi um dos cartazes no protesto, que atraiu madrilenos de todas as idades.

Os manifestantes pedem a demissão da líder regional Isabel Díaz Ayuso sob fogo por dizer que o “estilo de vida” das pessoas nos bairros visados era parcialmente responsável pelo aumento dos casos de covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 998.463 mortos e mais de 32,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (41.988 mortos, mais de 434 mil casos), seguindo-se Itália (35.835 mortos, mais de 309 mil casos), França (31.727 mortos, mais de 538 mil casos) e Espanha (31.232 mortos, mais de 716 mil casos).

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Monstros marinhos no deserto? Restos de ancestral do peixe-boi encontrados em deserto no Egito

De acordo com um novo estudo, há 40 milhões de anos, o Deserto Oriental Africano era o lar dos ancestrais dos peixes-boi e dos dugongos.  No ano passado, uma equipa de arqueólogos encontrou fósseis de um antigo …

Mourinho voltar a criticar o VAR (e lembra penálti do City frente ao FC Porto)

O treinador do Tottenham, o português José Mourinho, voltou a criticar o VAR, recordando o penálti assinalado contra o FC Porto no jogo frente ao Manchester City a contar para a fase de grupos da …

Salgado e outros banqueiros suspeitos de desviar milhões de euros do BES Angola

O ex-presidente do BES, Ricardo Salgado, o ex-líder do BESA, Álvaro Sobrinho, o ex-administrador do BES, Amílcar Morais Pires, e o ex-administrador do BESA, Hélder Bataglia, são suspeitos de desviar milhões de euros do BES …

Uma mão cheia de vitórias. Benfica procura melhor arranque na I Liga em 38 anos

O Benfica, líder do campeonato, vai procurar manter o pleno de vitórias na I Liga portuguesa de futebol na receção ao Belenenses SAD, na partida de encerramento da quinta jornada, disputada nesta segunda-feira às 20h15. Com …

Açores. Direita tem mais mandatos do que a esquerda. PSD quer dialogar (mas Chega exclui coligação)

A Assembleia Legislativa dos Açores passará a ter representantes de sete forças políticas, com o Chega, a Iniciativa Liberal e o PAN a chegar pela primeira vez ao parlamento regional onde o PS já não …

Descoberta nova proteína capaz de alterar o ADN e prevenir doenças

Um grupo de investigadores da Universidade de Sevilha, em colaboração com equipas das Universidades de Murcia e Marburg, identificou uma nova proteína que permite recompor o ADN. A proteína em questão chama-se criptocromo, e evoluiu …

Federação dos Médicos alerta que SNS não "consegue responder ao maior desafio que já viveu"

O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), Noel Carrilho, demonstrou este domingo preocupação pela falta de meios no Serviço Nacional de Saúde (SNS), que considera não conseguir responder ao "maior desafio que já viveu". "Desde …

Vacina de Oxford produz "resposta imune robusta" em maiores de 55 anos

A vacina desenvolvidade pela Universidade de Oxford em colaboração com a farmacêutica AstraZeneca produz "uma resposta imune robusta" em pessoas com mais de 55 anos. De acordo com o Financial Times, a vacina desenvolvida pela Universidade de …

Primeiro-ministro da Bulgária testou positivo à covid-19

O primeiro-ministro da Bulgária, Boyko Borisov, anunciou este domingo na sua página da rede social Facebook que testou positivo para o novo coronavírus, que provoca a covid-19 e que apresenta "sintomas leves". "Depois de dois testes …

Pela primeira vez, o Ártico ainda não tem gelo em outubro

Pela primeira vez desde que há registos, o principal viveiro de gelo marinho do Ártico, o Mar de Laptev, na Sibéria, ainda não começou a congelar no final de outubro. O Mar de Laptev mantém-se em …