/

Governo garante que julho foi o mês com mais testes à covid-19

António Cotrim / Lusa

A secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira

O mês de julho registou o maior número de testes à covid-19, totalizando 431.178 rastreios e uma média diária de 13.909, revelou, esta quarta-feira, a secretária de Estado da Saúde.

Na conferência de imprensa para fazer o balanço da situação epidemiológica no país, a secretária de Estado da Saúde, Jamila Madeira, afirmou que “julho foi o mês com maior número de testes. Um total de 431.178 testes. A média diária foi de 13.909, a mais alta taxa de testes já realizada”.

A secretária de Estado destacou um “aumento de testes feitos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, que “é hoje cerca de 50% do total”.

Por sua vez, o subdiretor-geral da Saúde, Rui Portugal, disse que a realização de testes nas escolas será avaliado caso a caso pelas autoridades de saúde locais. Contudo, acrescentou, “sabe-se que não é de todo absolutamente necessário e de uma forma sistematizada percorrer rastreios que sejam únicos e generalizados nas escolas”.

Questionado sobre a atual situação nas Residências Montepio, no Porto, o responsável apelou aos responsáveis das estruturas onde vivem idosos para que se mantenham “permanentemente em vigilância”.

Eventos são analisados “caso a caso”

A propósito da autorização para a realização da Festa do Avante!, Rui Portugal disse que a DGS está a analisar um documento enviado pela organização e que poderá sofrer alguns ajustes.

“Há um conjunto de critérios que estão a ser avaliados e não estão colocados de parte eventuais ajustes relativamente às propostas, no sentido de perceber qual é a forma de minimização de risco”, revelou.

De acordo com o responsável, “todos os eventos têm a sua particularidade pelo tempo que decorrem e pelo tipo de pessoas que os frequentam associado às características epidemiologistas que ocorrem no país”, sendo igualmente feita uma avaliação “caso a caso” por um grupo específico de peritos da DGS.

O regresso do público aos estádios de futebol foi outro dos temas abordados, tendo o subdiretor-geral referido, mais uma vez, que a DGS avalia os eventos caso a caso e que “não há uma avaliação definitiva”.

App Stayaway covid disponível dentro de dias

Na mesma conferência de imprensa, o presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), Luís Goes Pinheiro, explicou que, atualmente, “quase mil pessoas” com telemóveis Android estão a testar a aplicação.

O responsável diz ainda que “é essencial que a loja de testes da Apple a disponibilize” e que “falta publicar o diploma” promulgado, esta terça-feira, pelo Presidente da República.

“A Apple já tem toda a informação necessária para esse efeito, já deu uma luz verde inicial, portanto será algo para muito breve. Eu diria que estamos por dias”, afirmou.

“É mais um instrumento de combate à pandemia. Não será deste instrumento que virá a grande revolução, mas é mais uma ajuda para continuar a melhorar, independentemente da adesão” que venha a ter em Portugal, frisou.

O presidente dos SPMS garantiu que os dados recolhidos pela aplicação serão “apagados após 14 dias, para evitar que dados pessoais estejam guardados para lá do que é necessário”. Assim, assegurou, “a app preserva ao máximo a privacidade e liberdade de movimentos de quem a utiliza”.

De acordo com o relatório da situação epidemiológica da DGS, divulgado esta quarta-feira, houve mais uma morte e 167 novos casos de covid-19 em Portugal. Isto significa que, até hoje, e desde o início da pandemia, registaram-se 51.848 casos e 1740 mortes.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.