Pandemia de coronavírus está a tornar-se numa crise de direitos humanos, alerta ONU

André Kosters / Lusa

O ex-primeiro-ministro e atual secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres

A pandemia de coronavírus não deve ser usada como pretexto para que estados autoritários atropelem os direitos humanos ou reprimam o livre fluxo de informações, alertou o secretário-geral da ONU, António Guterres, na quinta-feira.

Segundo noticiou o Guardian, Guterres indicou que o que começou como uma emergência de saúde pública está rapidamente a transformar-se numa crise de direitos humanos. As respostas dos governos à crise foram consideradas desproporcionais em países como a China, a Índia, a Hungria, a Turquia e a África do Sul.

O secretário-geral já tinha apelado a um cessar-fogo global e alertado para um aumento da violência doméstica como resultado da pandemia, mas a ONU tem sido criticada por não ter um papel determinante na crise.

Na sua última intervenção, Guterres alertou que “o vírus está a ter um impacto desproporcional em certas comunidades, através do aumento do discurso de ódio, do direcionamento de grupos vulneráveis ​​e dos riscos de respostas de segurança pesadas que prejudicam a resposta à saúde”.

No seu recente relatório sobre a Covid-19 e os direitos humanos, a ONU destacou o uso de frases como “doença do estrangeiro” para descrever o vírus, dizendo que esse tipo de observação pode levar à discriminação, xenofobia, racismo e ataques.

Ao divulgar o relatório, o secretário-geral pediu que todos os estados de emergência, aplicados nos diferentes países, fossem proporcionados e limitados no tempo, com foco e duração específicos.

Embora defenda que a liberdade de movimento precisa ser reduzida, Guterres afirmou que a escala de tais restrições pode ser reduzida caso existam testes eficazes e medidas direcionadas de quarentena. Mais de 131 países fecharam as suas fronteiras, continuou, indicando que apenas 30 permite exceções para requerentes de asilo.

De acordo com o relatório da ONU, milhares de pessoas “foram recusadas ou deportadas para locais perigosos desde o início da crise. Refugiados, deslocados internos e migrantes vivem em condições superlotadas, com acesso ilimitado ao saneamento e saúde”.

A ONU referiu que, sob o pretexto de notícias falsas, jornalistas, médicos, profissionais de saúde, ativistas e membros da oposição política estão a ser detidos. A vigilância ‘online’ e a política cibernética agressiva também estão a aumentar. Para Guterres, a solução passa por governos que falem de transparente sobre os seus esforços para combater o vírus.

Embora a ONU reconheça que as novas tecnologias podem ajudar na luta contra o vírus, “o uso de inteligência artificial e big data para impor medidas de emergência ou rastrear populações suscita preocupações”. “O potencial de abuso é alto: o que é justificado durante uma emergência agora pode se normalizar depois que a crise passar”, frisou.

“Sem salvaguardas adequadas, essas poderosas tecnologias podem causar discriminação, ser intrusivas e violar a privacidade ou podem ser usadas contra pessoas ou grupos para fins que vão muito além da resposta à pandemia”, acrescentou a ONU.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …

Benfica 2-0 Belenenses SAD | Darwinismo rende arranque histórico

O Benfica cumpriu e venceu o Belenenses SAD por 2-0, no Estádio da Luz, na partida que encerrou a quinta jornada da Liga NOS. Foi o quinto triunfo benfiquista no campeonato em cinco partidas, o …

Uma tarefa doméstica está a poluir sorrateiramente o ambiente

O que vestimos e como lavamos as nossas roupas influencia o número de microfibras sintéticas que libertamos no meio ambiente. Há uma tarefa doméstica a poluir sorrateiramente o ambiente. Um novo artigo científico, publicado na PLOS …

A companhia aérea que faliu devido à covid-19 está de volta

A pandemia de covid-19 foi traiçoeira para muitas empresas. A Flybe, uma das primeiras vítimas, está agora a ressuscitar - e pode voltar a rasgar os céus já no próximo ano. A economia mundial foi muito …

Dormir bem antes de tomar a vacina da gripe pode ajudar a aumentar a sua eficácia

Segundo os especialistas, uma boa noite de sono pode mesmo ajudar a aumentar a eficácia da vacina da gripe, que neste ano ganha particular relevância em plena pandemia de covid-19. De acordo com Matthew Walker, autor …

Há um petroleiro abandonado há mais de uma década nas Caraíbas (e é uma "bomba-relógio")

Um navio de armazenamento de petróleo venezuelano está ancorado no Golfo de Paria, um trecho de mar fechado entre a Venezuela e a ilha de Trinidad, há mais de uma década. Antes de os Estados Unidos …

Portugal deve bater recorde de doentes em cuidados intensivos ainda esta semana

Portugal deverá ultrapassar, esta quarta-feira, o recorde de doentes em unidades de cuidados intensivos, alertou a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa sobre a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para combater …

A Budapest Eye foi restaurante por um dia (e com estrela Michelin)

Um restaurante com estrela Michelin em Budapeste, na Hungria, ofereceu aos clientes uma experiência gastronómica na famosa roda gigante Budapest Eye. Atraiçoado pela queda de faturação após o desaparecimento de turistas estrangeiros, o restaurante Costes, premiado …

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …