Pandemia de coronavírus está a tornar-se numa crise de direitos humanos, alerta ONU

André Kosters / Lusa

O ex-primeiro-ministro e atual secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres

A pandemia de coronavírus não deve ser usada como pretexto para que estados autoritários atropelem os direitos humanos ou reprimam o livre fluxo de informações, alertou o secretário-geral da ONU, António Guterres, na quinta-feira.

Segundo noticiou o Guardian, Guterres indicou que o que começou como uma emergência de saúde pública está rapidamente a transformar-se numa crise de direitos humanos. As respostas dos governos à crise foram consideradas desproporcionais em países como a China, a Índia, a Hungria, a Turquia e a África do Sul.

O secretário-geral já tinha apelado a um cessar-fogo global e alertado para um aumento da violência doméstica como resultado da pandemia, mas a ONU tem sido criticada por não ter um papel determinante na crise.

Na sua última intervenção, Guterres alertou que “o vírus está a ter um impacto desproporcional em certas comunidades, através do aumento do discurso de ódio, do direcionamento de grupos vulneráveis ​​e dos riscos de respostas de segurança pesadas que prejudicam a resposta à saúde”.

No seu recente relatório sobre a Covid-19 e os direitos humanos, a ONU destacou o uso de frases como “doença do estrangeiro” para descrever o vírus, dizendo que esse tipo de observação pode levar à discriminação, xenofobia, racismo e ataques.

Ao divulgar o relatório, o secretário-geral pediu que todos os estados de emergência, aplicados nos diferentes países, fossem proporcionados e limitados no tempo, com foco e duração específicos.

Embora defenda que a liberdade de movimento precisa ser reduzida, Guterres afirmou que a escala de tais restrições pode ser reduzida caso existam testes eficazes e medidas direcionadas de quarentena. Mais de 131 países fecharam as suas fronteiras, continuou, indicando que apenas 30 permite exceções para requerentes de asilo.

De acordo com o relatório da ONU, milhares de pessoas “foram recusadas ou deportadas para locais perigosos desde o início da crise. Refugiados, deslocados internos e migrantes vivem em condições superlotadas, com acesso ilimitado ao saneamento e saúde”.

A ONU referiu que, sob o pretexto de notícias falsas, jornalistas, médicos, profissionais de saúde, ativistas e membros da oposição política estão a ser detidos. A vigilância ‘online’ e a política cibernética agressiva também estão a aumentar. Para Guterres, a solução passa por governos que falem de transparente sobre os seus esforços para combater o vírus.

Embora a ONU reconheça que as novas tecnologias podem ajudar na luta contra o vírus, “o uso de inteligência artificial e big data para impor medidas de emergência ou rastrear populações suscita preocupações”. “O potencial de abuso é alto: o que é justificado durante uma emergência agora pode se normalizar depois que a crise passar”, frisou.

“Sem salvaguardas adequadas, essas poderosas tecnologias podem causar discriminação, ser intrusivas e violar a privacidade ou podem ser usadas contra pessoas ou grupos para fins que vão muito além da resposta à pandemia”, acrescentou a ONU.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha sem mortes pelo segundo dia consecutivo. Há 41 mil profissionais de saúde infetados

Espanha registou esta terça-feira o segundo dia consecutivo sem mortes associadas à covid-19, mantendo-se o total 27.127 de óbitos desde o início da pandemia, anunciaram as autoridades de saúde. O ministério da Saúde de Espanha informou …

Petição pela "anulação imediata" do Avante já conta com mais de 16 mil assinaturas

Uma petição online para a "anulação imediata" da Festa do Avante!, a festa anual organizada pelo PCP, conta já com mais de 16 mil assinaturas. Às 10:30 desta quarta-feira, a petição, disponível no portal Petição Pública, …

Venda de Wendel ao Everton sofre revés. Nápoles e Nice entram em jogo

A licença de trabalho pode deitar por terra uma eventual transferência de Wendel para o Everton. O Nápoles é o favorito na corrida à sua contratação, mas o Nice também está atento. As negociações entre o …

Celebrações do 10 de junho só terão oito pessoas. “É como achei que devia ser o 25 de abril e o 1º de maio”

A “cerimónia simbólica” comemorativa do Dia de Portugal que se realizará no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, terá apenas oito presenças, incluindo o chefe de Estado e o presidente desta edição do 10 de Junho, …

O futebol português está de volta. Uma corrida de dois cavalos e a montra para Amorim

A bola volta hoje a rolar em Portugal após a interrupção devido à pandemia de covid-19. Regresso o futebol que tão bem conhecemos, mas de uma forma como nunca vimos antes. Estádios desertos e jogos quase …

Cientistas identificam fóssil do inseto mais antigo do mundo

Um fóssil de um milípede descoberto em 1899 é o inseto mais antigo do mundo, concluiu um novo estudo. O espécime em causa tem 425 milhões de anos. Uma equipa de investigadores da Universidade do Texas …

Jorge Jesus renova com o Flamengo por mais uma época

O treinador português anunciou, esta quarta-feira, que vai ficar mais uma época nos brasileiros do Flamengo, até junho de 2021. "Digam à nação que fico!". É esta a frase que acompanha a fotografia publicada, esta quarta-feira, …

Governo deixa cair lay-off simplificado. Novo apoio vai variar em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em lay-off que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou esta terça-feira a ministra do …

Grupo de precários da Casa da Música dispensado de serviço via e-mail "meia hora depois" de uma vigília de protesto

Cerca de 13 trabalhadores "precários" da Casa da Música, no Porto, foram dispensados dos concertos que tinham alocados para o mês de junho. Em declarações à Lusa, Hugo Veludo, um dos 13 assistentes de sala …

Sete detidos em operação na Quinta da Fonte ficam em prisão preventiva

Os sete homens que foram detidos numa operação policial no bairro da Quinta da Fonte, em Loures, na segunda-feira, ficaram em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, revelou à agência Lusa a Polícia …