Moderna contradiz Trump. Não haverá vacina até às eleições

Stefani Reynolds / EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O diretor-executivo da farmacêutica Moderna Therapeutics, que está a desenvolver uma das mais avançadas vacinas para a covid-19, disse que esta não estará pronta até às eleições presidenciais dos Estados Unidos.

Em declarações ao jornal Financial Times, Stéphane Bancel, diretor executivo da Moderna, disse que a empresa não pode solicitar autorização para a vacina pelo menos até ao final de novembro e que a farmacêutica não vê como possível pedir autorização de uso ao regulador americano Food and Drug Administration (FDA) antes de 25 de novembro.

Bancel acrescentou que não espera ter total aprovação para distribuir a vacina a todos os setores da população antes da próxima primavera, provavelmente em março.

Numa intervenção na Conferência de Farmácia e Biotecnologia do Financial Times, nos Estados Unidos, Stéphane Bancel disse que “25 de novembro é a data que consideramos possível para enviar um pedido de autorização urgente à FDA, assumindo que todos os dados da vacina são seguros”.

Bancel disse que a Moderna não estará pronta para registar um pedido para atender toda a população antes, pelo menos, do final de janeiro, indicando até o mês de março como possível data para ser aprovada a vacina

O calendário para a autorização de uma vacina foi tema de discussão entre Donald Trump e Joe Biden no debate presidencial desta terça-feira. Trump insistiu que uma vacina estará disponível mais cedo do que os seus próprios conselheiros científicos admitem – e desmentiu Moncef Slaoui, chefe da task-force de vacinas da Casa Branca, que disse esperar que uma vacina esteja disponível entre abril e junho do próximo ano.

“Falei com as empresas e podemos ter muito mais cedo. Falei com a Pfizer, falei com todas as pessoas com quem devia falar: Moderna, Johnson & Johnson e outros. Podem ir muito mais rápido do que isso”, afirmou Donald Trump. “É uma possibilidade haver uma resposta antes de 1 de novembro.”

São Paulo recebe 46 milhões de doses de vacina chinesa

São Paulo, o estado brasileiro mais afetado pela covid-19, assinou esta quarta-feira um contrato para receber 46 milhões de doses da vacina “coronavac”, do laboratório chinês Sinovac, e que pretende aplicar à população a partir de 15 de dezembro.

O acordo para 46 milhões de vacinas contra o novo coronavírus, o equivalente a toda a população do estado, foi assinado no Palácio dos Bandeirantes pelo governador estadual, João Doria, pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e pelo vice-presidente mundial da Sinovac, Weining Meng.

No valor de 90 milhões de dólares (76,7 milhões de euros), o contrato também formaliza a transferência de tecnologia para produção da vacina pelo Instituto Butantan, organização científica vinculada ao governo regional de São Paulo.

São Paulo não perde tempo, São Paulo quer proteger a saúde e a vida dos brasileiros”, afirmou Doria, acrescentando que existe ainda um entendimento verbal entre a direção do Butantan e a Sinovac para que outros 14 milhões de doses da vacina sejam fornecidos em fevereiro de 2021.

O governador espera que, uma vez aprovada pelas autoridades sanitárias brasileiras, a campanha de vacinação comece no dia 15 de dezembro, com os profissionais de saúde de São Paulo a serem os primeiros a serem imunizados.

“São Paulo será um dos primeiros lugares do mundo a vacinar a população”, mas “vamos respeitar todos os procedimentos” clínicos e “aguardar a aprovação” da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), afirmou.

Segundo o executivo de São Paulo, a segurança do imunizante já foi comprovada numa investigação com mais de 50 mil voluntários na China. A vacina também já vem sendo testada no Brasil desde julho e, atualmente, os estudos clínicos da última fase são acompanhados por 12 centros de investigação científica em cinco estados brasileiros e no distrito federal.

O diretor do Instituto Butatan informou ainda que já receberam a vacina sete mil dos 13 mil voluntários programados para esta terceira e última fase dos testes, que se prolongará no Brasil até 15 de outubro.

São Paulo, o estado mais rico e populoso do país, com cerca de 46 milhões de habitantes, é a região do Brasil mais afetada pela pandemia em números absolutos, com 979.519 casos de infeção e 35.391 óbitos, segundo o último balanço do Ministério da Saúde. Já o Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de mortos (mais de 4,7 milhões de casos e 142.921 óbitos), depois dos Estados Unidos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PCP desafia Governo a renacionalizar os CTT

O secretário-geral do PCP desafiou hoje o Governo a responder "à chantagem" do "grupo Champalimaud", retirar-lhe a concessão do serviço postal e renacionalizar os CTT. A proposta foi feita por Jerónimo de Sousa depois de estar …

"Covid persistente" atinge cerca de 20% dos curados (mas não recuperados)

Um novo estudo britânico indica que vários pacientes podem apresentar sintomas e sequelas durante vários meses, mesmo depois de testarem negativo. Os casos de “covid persistente” afetam maioritariamente mulheres e idosos. Há ainda muito por descobrir …

Acuña já é destaque em Espanha: "Não é bom nos 100 metros, mas..."

O ex-jogador do Sporting será uma referência para Lopetegui e já demonstrou um grande nível no jogo da Liga dos Campeões contra o Rennes. Marcos Acuña chegou a Sevilha há um mês e meio mas começa …

Portagens devem manter preços em 2021

Os preços das portagens nas autoestradas deverão voltar a manter-se em 2021, a confirmar-se a estimativa da taxa de inflação homóloga, sem habitação, de -0,18% em outubro, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A fórmula …

Governo estuda novo confinamento total nas duas primeiras semanas de dezembro

O Governo está a ponderar decretar um novo confinamento total da população portuguesa nas duas primeiras semanas de dezembro. A notícia foi avançada esta sexta-feira pela TVI e, entretanto, confirmada por outros órgãos de informação. O …

Pelo menos 140 pessoas afogam-se no naufrágio mais mortal de 2020

Pelo menos 140 migrantes morreram afogados ao largo da costa senegalesa depois de a embarcação em que seguiam se ter incendiado e naufragado, avançou a Organização Internacional para as Migrações (OIM). O barco transportava 200 pessoas …

Nélson Évora terminou contrato com o Sporting

Nelson Évora, campeão olímpico do triplo salto nos Jogos Olímpicos Pequim2008, vai deixar o Sporting após o fim do contrato com o clube, no sábado, confirmou à "Lusa" fonte oficial do Sporting, esta sexta-feira. O atleta, …

Nova Zelândia aprova eutanásia. Mas rejeita legalização da marijuana

Os neozelandeses aprovaram a eutanásia voluntária, mas rejeitaram a legalização da marijuana para uso recreativo, em dois referendos realizados em 17 de outubro, anunciou esta sexta-feira a Comissão Eleitoral. Cerca de 65,2% dos neozelandeses votaram a …

Governo pondera novas medidas de apoio ao emprego e empresas

O Governo está a ponderar novas medidas de apoio ao emprego e às empresas em resposta ao agravamento da pandemia de covid-19, disse hoje o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro …

Cova da Piedade não joga: "Prefiro perder três pontos do que alguém perder a vida"

O jogo entre Estoril e Cova da Piedade, como se esperava, não vai ser realizado e deverão ser atribuídos três pontos ao Estoril. Diretor do Cova da Piedade não poupa nas críticas. Mais uma partida da …