Eslováquia. Testes em massa à covid-19 reduzem taxa de infeção em 60%

Guillaume Horcajuelo / EPA

Os testes em massa para a covid-19, juntamente com regras de confinamento e de quarentena rígidas, reduziram a taxa de infeção na Eslováquia em cerca de 60% numa semana, revelaram investigadores britânicos. 

De acordo com o Guardian, as empresas eslovacas passaram a exigir testes aos funcionários, só permitindo que trabalhassem os que tivessem resultado negativo. Em caso de resultado positivo, os trabalhadores tinham que entrar numa quarentena de dez dias com a família, sendo o ordenado pago na totalidade.

Um resultado negativo permitia às pessoas trabalharem, mas não era um critério para visitar familiares em casas de repouso ou para os alunos regressarem às aulas. Esse método de testagem em massa não foi implementado para suspender as restrições, mas para identificar casos de covid-19 e isolá-los.

Combinado com as restrições sociais, o método foi bem sucedido, disseram os investigadores da London School of Hygiene & Tropical Medicine, cujo trabalho foi publicado recentemente na medRxiv e ainda não foi revisto pelos pares.

“Na Eslováquia, há evidências relativamente fortes de que o confinamento, combinado com os testes em massa, levou a uma grande redução na taxa de infeções por covid-19”, disse o professor associado Stefan Flasche.

A Eslováquia usou o teste rápido SD Biosensor, aprovado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e não o Innova, usado no Reino Unido. Em Liverpool, por exemplo, surgiram recentemente evidências de que os testes rápidos utilizados não foram capazes de identificar 50% as infeções, 30% das quais com uma alta carga viral.

Daniel Pockett / EPA

A Eslováquia realizou testes entre 23 e 25 de outubro nos quatro condados mais afetados, seguido por uma ronda nacional a 31 de outubro e a 01 de novembro. Os condados de alta prevalência foram testados novamente a 07 e 08 de novembro. Os testes identificaram 50 mil pessoas infetadas, que foram obrigadas a isolar-se com famílias.

Para o professor Sebastian Funk, a estratégia implementada pela Eslováquia parece ter mais sucesso na redução do número de casos do que se fossem aplicadas apenas as restrições. “Parece ter realmente reduzido o tempo de confinamento”, afirmou,

“As medidas [para controlar] a covid-19, como o confinamento, têm um enorme impacto social e económico”, referiu Martin Pavelka, do Ministério da Saúde da Eslováquia, outro dos autores do estudo.

“Testes rápidos de baixo custo, que podem ser produzidos em grande escala, oferecem a oportunidade de conduzir campanhas de testes em massa que identificam a maioria dos indivíduos infetados”, acrescentou.

Já Alexander Edwards, professor de tecnologia biomédica da Reading University, indicou: “É ótimo ver a avaliação dos programas de teste em massa, mas não é fácil interpretar” estes dados “de forma a sugerir” que o método “funcionará em qualquer lugar, nem será fácil descobrir como programas semelhantes podem ser usados ​​no Reino Unido”.

“Como apontado pelos autores, há muita coisa a acontecer ao mesmo tempo, portanto atribuir uma queda dos casos apenas aos testes em massa é difícil. No entanto, há evidências de que um programa de testes em massa pode contribuir para uma redução nos casos”, sublinhou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Profissionais de saúde começam hoje a receber segunda dose da vacina

Até sexta-feira, tinham sido vacinadas 106 mil pessoas em Portugal continental, incluindo utentes e funcionários de lares de idosos. Os primeiros profissionais de saúde que foram vacinados contra a covid-19 no final do ano vão começar …

Garcia de Orta alerta para risco de pré-catástrofe. Hospital de Loures com doentes ventilados na urgência

O Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, apresentava, este sábado, um total de 169 doentes com covid-19 internados, dos quais 18 em cuidados intensivos. Já o Hospital de Loures tinha 187 doentes com covid-19 …

Os novos robôs da Samsung fazem pequenas tarefas domésticas (e ainda lhe servem um copo de vinho)

O Samsung Galaxy S21 não é a única surpresa que a empresa tem preparada para 2021. A Samsung apresentou algumas propostas de robôs domésticos, na primeira grande feira de tecnologia do ano. A Samsung levantou um …

Cientistas desenvolveram mini-cérebros (quase) humanos

Cientistas norte-americanos enviaram para a Estação Espacial Internacional (EEI) aglomerados de células nervosas, chamadas de mini-cérebros, que estão, agora, a desenvolver-se de formas que os investigadores não imaginavam ser possível. Os organóides foram criados a partir …

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …