Médicos criticam resposta à covid-19 na Grande Lisboa (já há hospitais com taxas de ocupação de 100%)

Alejandro Garcia / EPA

Com o aumento de casos de covid-19 na região da Grande Lisboa e o aumento da pressão sobre os hospitais da região, há médicos a denunciar a falta de uma resposta coordenada, com críticas à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) que não terá ainda promovido qualquer reunião com as administrações das unidades de saúde.

A directora de infecciologia do Hospital Amadora-Sintra, Patrícia Pacheco, é uma das vozes críticas, notando, em declarações à SIC, que não houve qualquer reunião conjunta com a ARSLVT.

Para esta profissional de saúde “fazia sentido sentar na mesma mesa os diferentes intervenientes para elaborar uma tentativa de resposta mais centralizada, mais fácil”. A médica realça que urge implementar uma resposta “global, integrada e participativa”, com recurso a “um comando estruturado para agilizar e programar”.

Na Ordem dos Médicos (OM), o presidente da secção sul, Alexandre Valentim Lourenço, critica que “há muito tempo que a OM não é chamada para uma reunião”, conforme declarações divulgadas pelo Público.

O director do serviço de infecciologia do Hospital Curry Cabral, Fernando Maltez, também lamenta no Público que “nunca foi convocado para nenhuma reunião promovida pela ARS”.

O administrador do Hospital de Loures, Artur Vaz, vinca, igualmente neste jornal, que “gostava que a ARS pensasse num plano de resposta para a região e desse indicações para o trabalho em rede“.

Já o Bastonário da OM, Miguel Guimarães, sustenta num comunicado que a Direcção Geral de Saúde revelou “incapacidade de antecipação”, apelando que “é urgente antecipar e não correr atrás do prejuízo, o que implica ter a humildade de ouvir os profissionais de saúde agora, como foi feito no início” da pandemia.

“Não faz sentido que não haja coordenação entre centros de Saúde, hospitais e as administrações regionais de saúde”, destaca ainda Miguel Guimarães em declarações ao Correio da Manhã (CM), atestando que “é absolutamente obrigatório que haja esta coordenação”. “A ideia que tenho é que as ARS não estiveram nada bem nesta pandemia”, conclui.

Hospital de Loures tem taxa de ocupação de 100%

Nesta altura, os hospitais com situações mais preocupantes são o Amadora-Sintra e o de Loures que “estão a passar por sérias dificuldades”, fruto do aumento de contágios na região, o que já os obrigou a “transferir doentes para outras unidades hospitalares”, conforme apurou o Público.

O Amadora-Sintra tinha 82 doentes internados com covid-19 no passado sábado, dos quais 10 na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), enquanto o de Loures tinha 66 pacientes, dos quais 7 na UCI, segundo dados avançados por este jornal.

O CM reforça que o Hospital de Setúbal também está muito pressionado por causa da pandemia, com uma taxa de ocupação de 86%, notando que no Amadora-Sintra é de 93% e no de Loures é de 100%.

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem, actualmente, 45% dos casos de covid-19 do país, enquanto o Norte soma 42%. Há, em especial, 18 concelhos da Grande Lisboa que preocupam mais, com 18.752 casos dos 41.646 a nível nacional – são estes concelhos, respectivamente, Lisboa, Sintra, Cascais, Odivelas, Loures, Oeiras, Amadora, Vila Franca de Xira, Almada, Seixal, Barreiro, Moita, Montijo e Alcochete, Setúbal, Palmela, Sesimbra e Mafra.

Numa entrevista a um jornal espanhol, António Costa referiu que os surtos em Lisboa “não têm nenhuma relação com o centro da cidade” e que se devem, sobretudo a “alguns bairros de municípios vizinhos“, onde “não se assistiu à redução generalizada registada em todo o território”.

Entretanto, a ARSLVT aponta, numa nota citada pelo Público, que está a acompanhar a situação dos hospitais da Grande Lisboa “de forma sistemática e permanente”, realçando que “ocorreram reuniões/teleconferências periódicas com os conselhos de administração”.

O Ministério da Saúde também sustenta que as equipas de saúde têm sido reforçadas, nomeadamente nos hospitais de Odivelas, Loures e Amadora-Sintra, prevendo ainda continuar esse reforço nesta semana, designadamente com “80 médicos internos, provenientes do INSA [Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge] e de vários hospitais, em especial para trabalho em part-time”, conforme nota citada pelo Público.

Além disso, o Ministério refere que “estão ainda em formação cerca de 40 internos de saúde pública”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. E tudo ia bem… diziam eles. Só tretas. Nunca estivemos bem. Agora, ainda conseguimos estar pior. Só em Lisboa há mais infetados do que em toda a Grécia. Mas como o povo é burro e come o que o Costa lhe diz… E assim vai a burrolândia.

  2. Se agora é assim imagine-se durante o Inverno que está aí à porta e onde todos os Invernos o problema de hospitais à pinha com pessoas com gripe é o pão de cada dia, depois como se vai distinguir entre uma gripe normal e o Covid 19?

RESPONDER

"Tão lentamente quanto humanamente possível". Site simula como era usar a Internet nos anos 90

Se é jovem e gostaria de experimentar as velocidades lentas da Internet dos anos 90, está com sorte. Um novo site simula a experiência dolorosa à qual já não estamos habituados com as redes atuais. Nos …

Novembro vai ser “muito duro e muito exigente” (e fechar escolas seria uma "grande falta de respeito")

O primeiro-ministro, António Costa, avisou hoje que “convém não criar falsas expectativas”, porque novembro vai ser “muito duro e muito exigente”, sendo maior a probabilidade de, daqui a 15 dias, acrescentar mais concelhos à lista …

O Torsus Praetorian é o autocarro mais radical de sempre (e não permite faltas à escola)

Cheias, árvores caídas ou tempestades. Há muitas razões para faltar à escola ou, neste caso, haviam. É que a Torsus lançou um novo autocarro capaz de enfrentar todos os obstáculos e transportar as crianças até …

Spot, o cão-robô, visitou Chernobyl (e analisou os seus níveis de radiação)

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Bristol visitou a Central Nuclear de Chernobyl na semana passada para testar Spot, um robô de quatro patas feito pela empresa norte-americana Boston Dynamics. O Spot é o robô …

Sangue de porco é mais proteico do que qualquer proteína do mercado (e pode ser consumido em smoothies)

Uma equipa de investigadores do departamento de ciência alimentar da Universidade de Copenhaga desenvolveu um método para extrair proteínas do sangue de porco. O resultado é um pó fino, branco, com sabor neutro e com …

Costa anuncia cinco medidas restritivas para 121 concelhos "de elevado risco" e reforços da capacidade de resposta

Após um Conselho de Ministros extraordinário que durou mais de 8 horas, o primeiro-ministro anunciou este sábado novas "medidas imediatas" de combate à pandemia de covid-19. Concelhos "de elevado risco" estão sujeitos a medidas restritivas, …

Escola na China transformou-se num "edifício andante" para evitar a demolição

Os residentes da cidade chinesa de Xangai que, no início deste mês, passaram pelo distrito de Huangpu podem ter encontrado uma visão incomum: um "edifício andante". De acordo com a cadeia de televisão CNN, uma escola primária …

Joke Boon, a chef holandesa que não tem olfato nem paladar

Joke Boon perdeu o paladar e o olfato quando ainda era criança, mas isso não a impediu de viver da culinária, área na qual estes requisitos são, à partida, essenciais.  "Como seria a minha vida se …

Portugal com mais 39 mortos, mais 4007 casos e recorde de internamentos graves

Portugal registou hoje 39 mortos e mais 4.007 casos de novas infeções pelo novo coronavírus, tendo alcançado um novo recorde de 286 doentes internados nos cuidados intensivos por covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Registou-se este …

Leiloada carta de Nobel antissemita a desprezar Einstein e os judeus

Uma carta escrita em 1927 pelo Prémio Nobel Philipp Lenard a um colega a reclamar das conquistas de Einstein e do suposto domínio judaico da ciência foi a leilão no Nate D. Sanders Auctions, em …